A epêntese vocálica medial em PB e na aquisição de inglês como LE: uma análise morfofonológica

André Schneider, Luiz Carlos Schwindt

Resumo


Neste artigo, apresentamos uma análise do fenômeno fonológico de epêntese vocálica medial, que é atestado na fala do português brasileiro (PB) (p. ex., [I] em mag[I]ma) e do inglês aprendido por brasileiros (p. ex., [I] em mag[I]net). Com o objetivo de averiguar a suspeita de Collischonn (2002) de que o número de ocorrências de epêntese após prefixos como sub- seja maior do que o número de ocorrências de epêntese em encontros consonantais localizados no interior de vocábulos não prefixados, investigamos o papel dos prefixos na realização desse fenômeno em português e em inglês. A partir dos resultados dos testes de transparência de prefixos e das análises estatísticas que realizamos, concluímos que o prefixo tem papel importante para a epêntese em PB e que a epêntese em inglês resulta da transferência linguística que ocorre da L1 para a interlíngua do aprendiz.

Palavras-chave


Epêntese; Prefixos; Aquisição de linguagem

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.