As classes formais do português brasileiro

Cíntia da Costa Alcântara

Resumo


Na linha da Morfologia Distribuída (Halle e Marantz, 1993, 1994; Harris 1999), este artigo se detém nos agrupamentos de vocábulos não-derivados do português terminados em /o/, /e/, /a/ átonos ou ‘zero’ fonológico, considerando-os em quatro classes formais. Os resultados permitem reconhecer as vogais /o/ e /a/ como legítimas “vogais temáticas” (VT) – morfemas de classe formal –, e a vogal /e/ com dois status: morfema de classe formal e vogal epentética.

Palavras-chave


Morfologia distribuída; Vocábulos não-derivados; Vogal átona final; Classes formais

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726

ISSN-L: 0101-3335

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS