A linguagem do imaginário

Francimar Arruda

Resumo


A linguagem do imaginário constitui, hoje, uma questão situada na arena de debates sobre as possibilidades da comunicação. É digna de reflexão essa busca tumultuada de pistas para compreender a forma como os seres lidam com a sua competência comunicativa e as suas frustrações pela não comunicação concreta. Admite-se atualmente, cada vez mais, a necessidade de se desvendarem os mistérios de uma linguagem com base ontológica, deixando antever o prenúncio de um novo paradigma. Este terá que incorporar novas regras num modelo mais amplo e generoso, onde a linguagem simbólica e, portanto, imaginária mostre sua importância e concretude. Este texto pretende percorrer os labirintos dessa proposta mostrando uma comunicação pelo imaginário como con-sentimento e esclarecer alguns de seus pressupostos.

Palavras-chave


Imaginário; Competência comunicativa; Linguagem simbólica

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.