O recurso ao diário em A Noite da Espera, de Milton Hatoum: o desenho de um conflito pessoal e de um conflito histórico-político

Alexandre Luiz Ribeiro da Fonseca Júnior

Resumo


O presente artigo visa à análise do recente livro de Milton Hatoum, A Noite da Espera, publicado em 2017 e pertencente à trilogia O Lugar mais Sombrio. Tal análise procura identificar no romance, escrito em forma de diário ficcional, a potencialidade da escrita de si como espaço de autoconhecimento, de autorreflexão e de resistência diante da dupla crise vivida pelo narrador: uma crise de ordem familiar e outra de ordem histórico-política, representada pela ditadura civil-militar brasileira. Ademais, enxergam-se os vestígios e as ruínas como consequentes desse processo crítico, proporcionando entender o diário como a escrita mais pertinente nesse espaço-tempo caótico.


Palavras-chave


Diário ficcional. Memória traumática. Crise e ruínas. Ditadura civil-militar.

Texto completo:

PDF

Referências


BLANCHOT, Maurice. O recurso ao “diário”. In: O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987. p. 19-20.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Trad. Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira: Momentos Decisivos. Rio de Janeiro/São Paulo: Ouro sobre Azul/FAPESP, 2009.

CURY, Maria Zilda Ferreira. Novas geografias discursivas. Letras de Hoje, Porto Alegre, v. 42, n. 4, p. 7-1, dez. 2007.

FREUD, Sigmund. O estranho. Rio de Janeiro: Imago, 1976, p. 273-318. (Edição standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud, v. XVII).

GINZBURG, Jaime. O narrador na literatura brasileira contemporânea. Tintas. Quaderni di letterature iberiche e iberoamericane, [s. l.], v. 2, p. 199-221, 2012.

HATOUM, Milton. A Noite da Espera. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

KELLY-LAINÉ, K. Preface in three voices. In: SZEKACSWEISZ, J.; WARD, I. Lost childhood and the language of exile. London: Imago MLPC and The Freud Museum, 2004.

KRISTEVA, Julia. Estrangeiros para nós mesmos. Trad. Maria Carlota Carvalho Gomes. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

LEJEUNE, Philippe. Um diário todo seu. In: NORONHA, Jovita Maria Gerheim (org.). O pacto autobiográfico: de Rousseau à Internet. Trad. Jovita Maria Gerheim Noronha e Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

PERLATTO, Fernando. História, literatura e a ditadura brasileira: historiografia e ficções no contexto do cinquentenário do golpe de 1964. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 30, n. 62, p. 721-740, set./dez. 2017. https://doi.org/10.1590/s2178-14942017000300011

PIGLIA, Ricardo. Una propuesta para el nuevo milenio. Margens, Belo Horizonte, n. 2, p. 1-3, out. 2001.

ROSA, João Guimarães. Diálogo com Guimarães Rosa. In: Guimarães Rosa: ficção completa v. 1. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2009, 2 v.

SAID, Edward. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. Trad. Pedro Maia Soares. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Introdução. In: SAID, Edward. História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. Campinas: Editora UNICAMP, 2003. p. 7-44.

VECCHI, Roberto; DALCASTAGNÈ, Regina. Apresentação. Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea. Literatura e Ditadura, Brasília, n. 43, p. 11-12, jan./jun. 2014. https://doi.org/10.1590/S2316-40182014000100001

VIEIRA, Nelson H. Fora do Brasil-globalização e deslocamento na literatura brasileira contemporânea: migração transnacional e luto cultural. In: CHIARELLI, Stefania; OLIVEIRA NETO, Godofredo. Falando com estranhos – o estrangeiro e a literatura brasileira. Rio de Janeiro: 7letras, 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2019.4.33038

e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.