As narrativas na contemporaneidade: algumas características elementares e seus tipos de leitores

Cleber Nelson Dalbosco, Tania Mariza Kuchenbecker Rösing

Resumo


Toda e qualquer narrativa tende a apresentar as marcas de seus respectivos suportes/mídias e da época em que foram criadas e veiculadas. Mas, para além dessa, que é a mais evidente e comum característica, pode-se notar a expressividade do contexto de assimilação por parte dos leitores, bem como a influência que os diferentes meios ocasionam na maneira de se criar e consumir narrativas. Portanto, busca-se aqui, através de referencial teórico interdisciplinar, compreender as mais perceptíveis mudanças nas narrativas contemporâneas, discutindo aspectos ligados ao universo da literatura, leitura, cinema, comportamento humano, design, comunicação e sociedade.


Palavras-chave


Narrativas contemporâneas. Fragmentação narrativa. Pessoas-tipográficas. Pessoas pós-tipográficas.

Texto completo:

PDF

Referências


BRUNER, Jerome. Enfocando o literário. In: BRUNER, Jerome. Realidade mental, mundos possíveis. Tradução Marcos A. G. Domingues. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. p. 3-11.

CARSON, David; MEGGS, Philip B. Fotografiks: an equilibrium between photography and design through graphic expression that evolves from content. London: Laurence King Publishing, 1999. 190 p.

FIELD, Syd. A sequência. In: FIELD, Syd. Manual do roteiro: os fundamentos do texto cinematográfico. Tradução Álvaro Ramos. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 86-100.

CHARTIER, Roger. A leitura como prática cultural. Entrevista com Roger Chartier. Revista Observatório Itaú Cultural, São Paulo, n. 17, p. 18-39, ago./dez. 2014.

Disponível em: http://d3nv1jy4u7zmsc.cloudfront.net/wp-content/uploads/2014/07/OBS17_BOOK-PDF-final.pdf. Acesso em: 6 out. 2018.

https://doi.org/10.18411/d-2016-154

GOMBRICH, Ernst Hans. Arte experimental: a primeira metade do século XX. In: GOMBRICH, Ernst Hans. A história da arte. Tradução Cristiana de Assis Serra. Rio de Janeiro: LTC, 2013. p. 428-463.

https://doi.org/10.11606/d.31.2018.tde-01032018-113045

EISENSTEIN, Elisabeth L. The Unacknowledged Revolution. In: EISENSTEIN, Elisabeth L. The Printing Press as an Agent of Change: Communications and Cultural Transformations in Early-Modern Europe. Cambridge and New York: Cambridge University Press, 1997. p. 3-42.

https://doi.org/10.2307/2861164

JAMESON, Fredric. Pós-modernidade e sociedade de consumo. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n. 12, p. 16-26, jun. 1985.

Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/2918778/mod_resource/content/1/516_13_base_JAMESON_%20pos%20modernidade%20e%20sociedade%20de%20consumo_novos%20estudos.pdf. Acesso em: 19 set. 2018.

https://doi.org/10.1590/s0101-33002008000100003

LEMKE, Jay. Multimodality, identity, and time, p. 455-479, 2017.

Disponível em: http://static1.1.sqspcdn.com/static/f/694454/12422458/1306510897553/Multimodalityidentity-time-2009.pdf?token=26heZoh6DjCDiX8zEZP6Zl2gEDA%3D. Acesso em: 09 out. 2018.

LIBERATO, Yara; FULGÊNCIO, Lúcia. É possível facilitar a leitura: um guia para escrever claro. São Paulo: Contexto, 2007. 175 p.

MACIEL, Luiz Carlos. O roteiro. In: MACIEL, Luiz Carlos. O poder do clímax: fundamentos do roteiro de cinema e TV. Rio de Janeiro: Record, 2003. p. 15-31.

https://doi.org/10.11606/d.27.2011.tde-10062013-111213

MCLUHAN, Marshall; FIORE, Quentin. O meio é a massagem: um inventário de efeitos. Tradução Julio Silveira. Rio de Janeiro: Imã Editorial, 2011. 128 p.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1982. 520 p.

PEREIRA, Helena Bonito. Breves apontamentos para a história literária brasileira. In: PEREIRA, Helena Bonito (org.). Novas leituras da ficção brasileira no século XXI. São Paulo: Ed. Mackenzie, 2011. p. 31-49. 390 p.

https://doi.org/10.7476/9788582930489

PINKER, Steven. As artes. In: PINKER, Steven. Tábula rasa: a negação contemporânea da natureza humana. Tradução Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. p. 541-566.

https://doi.org/10.1590/s0102-37722005000300015

REIS, Carlos; LOPES, Ana Cristina M. Dicionário de teoria da narrativa. São Paulo: Ática, 1988. 327 p.

ROJO, Roxane (Org.). Escola conectada: os multiletramentos e as TICs. São Paulo: Parábola, 2013. 216 p.

SANTAELLA, Lucia. Três tipos de leitores: o contemplativo, o movente e o imersivo. In: SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2007. p. 15-36.

SANTAELLA, Lucia. O ciberespaço e sua linguagem: a hipermídia. In: SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2007. p. 37-53.

SANTAELLA, Lucia. Comunicação ubíqua: repercussões na cultura e na educação. São Paulo: Paulus, 2013. 376 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2019.1.32350

e-ISSN: 1984-7726

ISSN-L: 0101-3335

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS