Compreensão de texto argumentativo em crianças

Denise Dias Almeida, Alina Galvão Spinillo, Ilka Dayanne Medrado Lima

Resumo


O presente estudo teve por objetivo investigar a habilidade de crianças em compreender textos argumentativos a partir do estabelecimento de inferências de diferentes tipos: causais, de estado e de previsão. Crianças (8 e 9 anos) foram individualmente solicitadas a ler um texto argumentativo segmentado em cinco partes. Imediatamente, após a leitura de cada parte, eram feitas perguntas inferenciais acerca do texto e perguntas de explicação em que a criança tinha que justificar as respostas dadas. Os dados foram analisados em função do número de respostas corretas e a partir de uma análise qualitativa acerca da natureza das dificuldades apresentadas. Observou-se que as crianças de ambos os grupos etários não tinham dificuldades com as inferências causais e que as crianças de 8 anos tinham dificuldades em relação às inferências de previsão.


Palavras-chave


Texto argumentativo. Compreensão de texto. Crianças.

Texto completo:

PDF

Referências


BARETTA, L.; TOMITCH, L. M. B.; MCNAIR, N.; LIM, V. K.; WALDIE, K. E. Inference making while reading narrative and expository texts: An ERP study. Psychology & Neuroscience, Rio de Janeiro, v. 2, p. 137-145, 2009. https://doi.org/10.3922/j.psns.2009.2.005

BAŞTUĞ, M. Comparison of reading comprehension with respect to text type, grade level and test type. International Online Journal of Educational Sciences, Turkey, v. 6, n. 2, p. 281-291, 2014. https://doi.org/10.15345/iojes.2014.02.003

CADIME, I.; SANTOS, S.; LEAL, T.; VIANA, F. L.; RODRIGUES, B.; COSME, M. DO C.; RIBEIRO, I. Compreensão de textos: diferenças em função da modalidade de apresentação da tarefa, tipo de texto e tipo de pergunta. Análise Psicológica, Lisboa, v. 3, n. XXXV, p. 351-366, 2017.

https://doi.org/10.14417/ap.1234

CAPELLINI, S. A.; PINTO, C. DE A. R.; CUNHA, V. L. O. Reading comprehension intervention program for teachers from 3rd grade’students. Procedia – Social and Behavioral Sciences, v. 174, p. 1339-1345, 2015. https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2015.01.756

CAVALCANTE, T. C. F.; LEITÃO, S. A natureza argumentativa dos processos inferenciais preditivos na compreensão textual. Estudos de Psicologia, Natal, v. 17, n. 1, p. 35-42, 2012. https://doi.org/10.1590/S1413-294X2012000100005

ÇAKIR, O. The effect of textual differences on children's processing strategies. Reading improvement. ProQuest Educational Journals, [S. l.], v. 45, n. 2, p. 69-83, 2008.

DIAKIDOY, I. N.; MOUSKOUNTI, T.; IOANNIDES, C. Comprehension and Learning from Refutation and Expository Texts. Reading Research Quarterly, Newark, v. 46, n. 1, 2011, p. 22-38. https://doi.org/10.1598/RRQ.46.1.2

DIAKIDOY, I. N.; CHRISTODOULOU, S. A.; FLOROS, G.; IORDANOU, K.; KARGOPOULUS, P. Forming a belief: The contribution of comprehension to the evaluation and persuasive impact of argumentative text. British Journal of Educational Psychology, Leicester, v. 85, p. 300-315, 2015.

https://doi.org/10.1111/bjep.12074

KING, A. Beyond literal comprehension: a strategy to promote deep understanding of text. In: MCNAMARA, D. S. (org.). Reading comprehension strategies: Theories, interventions and technologies. Mahwah, NJ: Lawrence Erlbaum, 2007. p. 267-290.

KINTSCH, W. Comprehension: A paradigm for cognition. Cambridge, MA: Cambridge University Press, 1998. LARSON, M.; BRITT, A.; LARSON, A. Disfluencies in comprehending argumentative texts. Reading Psychology, v. 25, p. 205-224, 2004. https://doi.org/10.1080/02702710490489908

LEITÃO, S. Composição textual: Especificidade da escrita argumentativa. In: CORREA, J.; SPINILLO, A. G.; LEITÃO, S. (orgs.). Desenvolvimento da linguagem: Escrita e textualidade. Rio de Janeiro: Nau Editora, 2001. p. 117-141.

LEITÃO, S. O trabalho com argumentação em ambientes de ensino-aprendizagem: Um desafio persistente. Uni-pluri (Medellin), v. 12, p. 23-37, 2012.

LEÓN, J. A. Una introducción a los procesos de inferencias en la comprensión del discurso escrito. In: J. A. León (org.). Conocimiento y discurso: Claves para inferir y compreender. Madrid: Pirámide, 2003. p. 23-44.

LEÓN, J. A.; SOLARI, M.; OLMOS, R.; ESCUDERO, I. La generación de inferencias dentro de un contexto social: Un análisis de la comprensión lectora a través de protocolos verbales y una tarea de resumen oral. Revista de Investigación Educativa, v. 29, n. 1, 2011, p.13-42.

MARCUSCHI, L. A. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MCNAMARA, D. S.; OZURU, Y.; FLOYD, R. G. Comprehension challenges in the fourth grade: The roles of text cohesion, text genre, and readers’ prior knowledge. International Electronic Journal of Elementary Education, v. 4, n. 1, p. 229-257, 2011.

OAKHILL, J.; CAIN, K.; ELBRO, C. Understanding and teaching reading comprehension: A handbook. London: Routledge, 2015. https://doi.org/10.4324/9781315756042

RAMÍREZ, N.; SOUZA, D.; LEITÃO, S. Desarrollo de habilidades argumentativas en contexto de enseñanzaaprendizaje de contenidos curriculares. Cogency: Journal of Reasoning and Argumentation, v. 5, n. 1, p. 107-134, 2013.

RIBEIRO, I.; VIANA, F. L. (orgs.). Bateria de Avaliação da Leitura (BAL): Abordagens teóricas e opções metodológicas. Lisboa: CEGOC-TEA, 2014.

SANTA-CLARA, A.; SPINILLO, A. G. Pontos de convergência entre o inferir e o argumentar. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 22, n. 1, p. 87-94, 2006. https://doi.org/10.1590/S0102-37722006000100011

SANTOS, S.; VIANA, F. L.; RIBEIRO, I.; PRIETO, G.; BRANDÃO, S.; CADIME, I. Development of listening comprehension tests with narrative and expository texts for Portuguese students. The Spanish Journal of Psychology, v. 18, n.e5, p. 1-7, 2015. https://doi.org/10.1017/sjp.2015.7

SANTOS, S.; CADIME, I.; VIANA, F. L.; PRIETO, G.; CHAVES-SOUSA, S.; SPINILLO, A. G.; RIBEIRO, I. An application of the Rasch model to reading comprehension measurement. Psicologia: Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 29, n. 38, 2016. https://doi.org/10.1186/s41155-016-0044-6

SANTOS, S.; CADIME, I.; VIANA, F. L.; CHAVESSOUSA, S.; GAYO, E.; MAIA, J.; RIBEIRO, I. Assessing reading comprehension with narrative and expository texts: Dimensionality and relationship with fluency, vocabulary and memory. Scandinavian Journal of Psychology, v. 58, n. 1,

p. 1-8, 2017. https://doi.org/10.1111/sjop.12335

SARAIVA, R. A.; MOOJEN, S. M. P.; MUNARSKI, R. Avaliação da compreensão leitora de textos expositivos para fonoaudiólogos e psicopedagogos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2009.

SOLÉ, I. Estratégias de leitura. Porto Alegre: Penso, 1998.

SPINILLO, A. G. O leitor e o texto: Desenvolvendo a compreensão de textos na sala de aula. Revista Interamericana de Psicologia/Interamericana Journal of Psychology. San Juan, v. 42, n. 1, p. 29-40, 2008. https://doi.org/10.1590/0102-37722016011986045051

SPINILLO, A. G. Alfabetização e consciência metalinguística: Da leitura da palavra à leitura do texto. In: MALUF, M. R.; CARDOSO-MARTINS, C. (org.). A alfabetização no século XXI: Como se aprende a ler e a escrever (p.). Porto Alegre: Penso, 2013. p. 138-154. https://doi.org/10.1590/S0102-79722007000300014

SPINILLO, A. G. Compreensão de textos e metacognição: o papel da tomada de consciência no estabelecimento de inferências. In: 8º Encontro Nacional (6º Internacional) de Investigação em Leitura, Literatura Infantil e Ilustração. Universidade do Minho/ Gualtar/ Braga, 2010. p. 42-57.

SPINILLO, A. G.; ALMEIDA, D. D. Compreendendo textos narrativo e argumentativo: Há diferenças? Arquivos Brasileiros de Psicologia. Rio de Janeiro, v. 66, n. 3, 2014, p.115-132.

SPINILLO, A. G.; HODGES, L. V. DOS S. D.; ARRUDA, A. S. Reflexões teórico-metodológicas acerca da pesquisa em compreensão de textos com crianças. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 32, n. 1, p.45-51, 2016.

SPINILLO, A. G.; MAHON, É. R. Compreensão de texto em crianças: Comparações entre diferentes classes de inferência a partir de uma metodologia on-line. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 20, n. 3, 2007, p. 463-471.

SPINILLO, A. G.; MAHON, E. DA R. “O que você acha que vai acontecer agora?” Um estudo sobre as inferências de previsão na compreensão de textos. In: NASCHOLD, A. C.; PEREIRA JR, A.; GUARESI, R.; PEREIRA, V. W. (orgs.). Aprendizado da leitura e da escrita: a ciência em interface. Natal: Editora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2015. p. 163-192.

SPINILLO, A. G.; SILVA, A. P. M. O. Coesão e estrutura textual: uma relação investigada a partir da escrita de textos narrativos e argumentativos. In: LUNA, M. J. de M.;

SPINILLO, A. G.; RODRIGUES, S. G. (org.). Leitura e produção de texto. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2010. p. 101-136.

VIDAL-ABARCA, E.; RICO, G. M. Por que os textos são tão difíceis de compreender? As inferências são a resposta. In: TEBEROSKY, A. et al. (orgs.). Compreensão de leitura: A língua como procedimento. Porto Alegre: Artmed, 2003. p. 139-153.

WOLFE, M. B. W. Narrative and expository text: Independent influences of semantic associations and text organization. Journal of Experimental Psychology: Learning, Memory, and Cognition, v. 31, n. 2, p. 359-364, 2005. https://doi.org/10.1037/0278-7393.31.2.359




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2019.2.32158

ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.