O particular e o universal na poética de Carlos Drummond de Andrade

José Wellington Dias Soares

Resumo


Nosso objetivo é analisar os elementos poéticos de Carlos Drummond de Andrade, como enriquecedores da vida humana nos seus aspectos singulares, particulares e universais. Essas categorias serão trabalhadas a partir da visão teórica de Georg Lukács, sobretudo, no primeiro volume da Estética I e em Marxismo e teoria da literatura. Pensamos haver uma forte intenção do poeta de concentrar a sua poética, ou seja, os métodos e motivos literários no seu livro intitulado Corpo. Esse livro, nesse sentido, é a sua última tentativa, ao lado de Farewell, de construir uma obra, cujos poemas são, ao mesmo tempo, coesos e aparentemente sem nexos, portanto, dialéticos, que abarquem toda a preocupação de fundir temas universais e particulares (filosófico-existenciais, sociais, amorosos) e o fazer literário (singularidade). Corpo é, propositadamente, a síntese da obra poética de Drummond de Andrade. Para desenvolver o nosso estudo acerca da poesia drummoniana, partiremos de dois pontos. Em primeiro lugar, consultaremos a sua fortuna crítica, tendo como centro da pesquisa bibliográfica o livro O amor e outros aspectos em Drummond, do professor e poeta Linhares Filho; o texto “Inquietudes na poesia de Drummond”, de Antonio Candido (Vários escritos); e a obra de crítica e interpretação de Affonso Romano de Sant’Anna, intitulada Drummond, o gauche no tempo. O segundo momento é a análise dos poemas de Corpo, fazendo um estudo intratextual com outras obras do poeta mineiro.


Palavras-chave


Drummond. Poesia. Estética. Crítica.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Carlos Drummond de. Corpo. 9. ed. Rio de Janeiro: Record, 1986.

ANDRADE, Carlos Drummond de. Alguma poesia. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

ANDRADE, Carlos Drummond de. A paixão medida. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 1994.

ANDRADE, Mário de. O artista e o artesão. In: ANDRADE, Mário de. O baile das quatro artes. São Paulo: Martins; Brasília: INL, 1975.

ARISTÓTELES. Arte poética. Trad.: Assis Brasil. São Paulo: Tecnoprint, 1986.

CANDIDO, Antonio. Inquietudes na poesia de Drummond. In: CANDIDO, Antonio. Vários escritos. São Paulo: Duas cidades, 2004.

JOSEF, Bella. A questão da crítica e a crítica em questão. Revista Tempo Brasileiro – Função da crítica, Rio de Janeiro, n. 60, jan./mar., 1980.

https://doi.org/10.11606/t.8.2017.tde-31072017-121336

LINHARES FILHO. O amor e outros aspectos em Drummond. Fortaleza: Editora UFC, 2002.

PAZ, Octávio. Os signos em rotação. In: PAZ, Octávio. Signos em rotação. São Paulo: Perspectiva, 1976.

https://doi.org/10.2307/j.ctt169zstb.11

PLATÃO. Livros III, IX, X. In: PLATÃO. A República. Trad: Eurico Corvisieri. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

SANT’ANNA, Affonso Romano de. Drummond, o gauche no tempo. Rio de Janeiro: Lia, INL, 1972.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2019.1.29170

e-ISSN: 1984-7726

ISSN-L: 0101-3335

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS