A personagem teatral e o pícaro espanhol em Dois perdidos numa noite suja, de Plínio Marcos

Sergio Manoel Rodrigues

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar as personagens Tonho e Paco da peça Dois perdidos numa noite suja (1966), do dramaturgo Plínio Marcos, estabelecendo uma comparação das mesmas com a figura do pícaro espanhol, cujos caracteres muito se aproximam aos dos seres plinianos. Desse modo, propõe-se, inicialmente, a abordagem das principais características da personagem teatral, a fim de se verificar os elementos que constituem o ser fictício na dramaturgia e, assim, analisar os perfis e as relações existentes entre as personagens da peça em questão. Evidenciando, portanto, a marginalidade social e suas consequências (agressões, roubo, assassinato) como as principais temáticas exploradas por Plínio e pela picaresca espanhola.

Palavras-chave


Plínio Marcos; Dramaturgia; Personagem; Pícaro; Marginalidade

Texto completo:

PDF

Referências


BLISKSTEIN, Isidoro. Plínio Marcos: o discurso da violência. Contexto, revista quadrimestral, São Paulo, n. 5, p. 117-142, mar. 1978.

CANDIDO, Antonio. O discurso e a cidade. In: CANDIDO, Antonio. O discurso e a cidade. 3. ed. Rio de Janeiro: Ouro Sobre Azul, 2004. p. 15-129.

CANDIDO, Antonio; PRADO, Décio de Almeida et al. A personagem de ficção. 11. ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

CEIA, Carlos. E-dicionário de termos literários. [s.l.], 2010. Disponível em: . Acesso em: 02 jun. 2012.

DALCASTAGNÈ, Regina. Vozes na sombra: representação e legitimidade na narrativa contemporânea. In: DALCASTAGNÈ, Regina. Ver e imaginar o outro. Vinhedo: Horizonte, 2008. p. 78-107.

ENEDINO, Wagner Corsino; SOUSA, Celeste da Silva. Subalternidade, marginalidade e violência num tempo sem lei: uma leitura de Querô, uma reportagem maldita e híbrida. Revista estação literária, Londrina, v. 12, p. 370-387, jan. 2014. Disponível em:

Art24.pdf>. Acesso em: 01 fev. 2014.

FREIRE, Rafael de Luna. Navalha na tela: Plínio Marcos e o cinema brasileiro. Rio de Janeiro: Leia Brasilis, 2008.

GEREMEK, Bronislaw. Os filhos de Caim: vagabundos e miseráveis na literatura europeia (1400-1700). São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

GOLOMB, Abigail. Terror na infância. In: VARVIN, Sverre; VOLKAN, Vamik Djemal. Violência ou diálogo?: reflexões psicanalíticas sobre terror e terrorismo. São Paulo: Perspectiva, 2008. p. 187-197.

GONZÁLEZ, Mario Miguel. A saga do anti-herói: estudo sobre o romance picaresco espanhol e algumas de suas correspondências na literatura brasileira. São Paulo: Nova Alexandria, 1994.

LIMA, Luiz Ferreira. Violência e poder. São Paulo: Iglu, 1999. MARCOS, Plínio. Dois perdidos numa noite suja. In: MARCOS, Plínio. O melhor teatro de Plínio Marcos. São Paulo: Global, 2003. p. 61-134.

MARTIN, Vima Lia. Literatura e marginalidade: um estudo sobre João Antônio e Luandino Vieira. São Paulo: Alameda, 2008.

MENDES, Oswaldo. Bendito maldito: uma biografia de Plínio Marcos. São Paulo: Leya Brasil, 2009.

MOISÉS, Massaud. A criação literária: poesia e prosa. São Paulo: Cultrix, 2012.

MOISÉS, Massaud. Diálogo. In: MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1974. p. 143-148.

PARANHOS, Kátia Rodrigues. A literatura dramática de Plínio Marcos: cenas da(s) cidade(s). Periódico do programa de pósgraduação em artes cênicas PPGAC/UNIRIO, Rio de Janeiro,

n. 01, p. 1-11, jan./jun. 2009. Disponível em:

br/index.php/opercevejoonline>. Acesso em: 06 ago. 2011.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2011.

PEACOCK, Ronald. Formas da literatura dramática. Rio de Janeiro: Zahar, 1968.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Introdução à análise do teatro. 1. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

SIGNIFICADO dos nomes. Dicionário de nomes próprios. [s.l.],

Disponível em: . Acesso em: 12 jul. 2014.

VIEIRA, Paulo. Plínio Marcos: a flor e o mal. Rio de Janeiro: Firmo, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2017.2.26095

e-ISSN: 1984-7726 | ISSN-L: 0101-3335


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.