Dos sonhos de Kindzu e da produção dialética de lugares e não lugares em Terra sonâmbula, de Mia Couto

Jorge Alves Santana

Resumo


“Naparama? Nunca eu tinha ouvido falar em gente dessa.” Com essa pergunta, o narrador Kindzu, criado pelo escritor moçambicano Mia Couto, apresenta-nos um dos eixos políticos e psicossociais do romance Terra sonâmbula (1992). Acompanharemos, nesse estudo, Kindzu, perspectivado pelos simbolismos, pela razão prática e poética dos Naparamas, dinamizando estratégias multiculturais através de suas ações e da escrita de diários, para compreender seu lugar no complexo processo pós-colonial de Moçambique. Através dos diários do filho de Taímo, em narrativa mise en abyme, o velho Tuahir e o adolescente Muindiga terão elementos tradicionais e contemporâneos para a coexistência nas espacialidades tensionadas de lugares e não lugares (AUGÉ, 2010; 2012), com o objetivo de sobreviver ao corolário da guerra civil e para compreender possíveis mecanismos de reconstrução de sua nação.

********************************************************************

Of Kindzu’s Dreams and of Dialectical Production of Places and Non-Places in Mia Couto’s Sleepwalking Land


Abstract: “Naparama? Never have I heard of such people.” With this question, the narrator Kindzu, created by the Mozambican writer Mia Couto, introduces us to one of the political and psychosocial center lines of the novel Sleepwalking Land (1992). We'll follow, in this study, Kindzu, by the prospect of symbolism, practical reason and the poetic of Naparamas, giving dynamism to multicultural strategies through his actions and journal writing, to understand his place in the complex Post-Colonial process in Mozambique. Through the journals of Taímo's son, in mise en abyme narrative, the old Tuahir and the teenager Muindiga will have traditional and contemporary elements to coexist in tense spatiality of places and non-places (AUGÉ, 2010; 2012), with the purpose of surviving the corollary of the civil war and understanding possible mechanisms of the nation's reconstruction.

Keywords: Mia Couto; Sleepwalking Land; Spaciality; Decolonisation


Palavras-chave


Mia Couto; Terra sonâmbula; Espacialidade; Descolonização

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e a difusão do nacionalismo. Tradução de Denise Bottman. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ANDERSON, Benedict. Nação e consciência nacional. Tradução de Lólio Lourenço de Oliveira. São Paulo: Ática, 1989.

AUGÉ, Marc. Não lugares: introdução a uma antropologia da supermodernidade. Tradução de Maria Lúcia Pereira. Campinas: Papirus, 2012.

AUGÉ, Marc. Por uma antropologia da mobilidade. Tradução de Bruno César Cavalcanti e Rachel Rocha de Almeida. Maceió: EDLTFAL/UNESP, 2010.

COELHO, João Paulo Borges. A “literatura quantitativa” e a interpretação do conflito armado em Moçambique. In . Acesso em: 12 jun. 2016.

COUTO, Mia. Official Website. . Acesso em: 07 jun. 2016.

COUTO, Mia. Estórias abensonhadas. Lisboa: Editorial Caminho, 2009.

COUTO, Mia. Terra sonâmbula. São Paulo: Cia. das Letras, 2007.

DINERMAN, Alice. Revolution, Counter-Revolution and Revisionism in Postcolonial Africa: The Case of Mozambique, 1975-1994. Londres/Nova York: Routledge, 2006.

FANON, Frantz. Pele negra, máscaras brancas. Tradução de Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA, 2008.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. 2. ed. Prefácio de Jean-Paul Sartre. Tradução de José Laurenio de Melo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

GOVERNO de Moçambique. Portal do Governo de Moçambique. . Acesso em: 02 jun. 2016.

MANHEIM, Karl. O problema sociológico das gerações. In: FORACCHI, Marialice M. (Org.). Sociologia e sociedade: leituras de introdução à Sociologia. São Paulo: Ática. 1982.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa e André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora FMG, 2010.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty et al. Estudios postcoloniales: ensayos fundamentales. Traducción de Marta Malo Madri: Queimadas Graficas, 2008.

VENÂNCIO, José Carlos. Literatura e poder na África Lusófona. Lisboa: Ministério da Educação. Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1992.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2016.4.22976

e-ISSN: 1984-7726

ISSN-L: 0101-3335

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS