Unidades do discurso, indagação comparativa e proximidade linguística: perspectivas e limites da categoria de “gênero”

Adrián Pablo Fanjul

Resumo


O artigo propõe uma reflexão sobre possibilidades que diferentes categorias formuladas nos estudos discursivos oferecem para uma modalidade de pesquisa comparativa: a que confronta corpora de textos comparáveis pelo seu papel sócio-histórico, mas produzidos em línguas e estados nacionais diferentes. Especificamente, apoia e exemplifica suas considerações nos resultados de um projeto de pesquisa desenvolvido sobre gêneros de circulação massiva em português e em espanhol na contemporaneidade da América do Sul, principalmente do Brasil e da Argentina. Desse modo, articula o problema teórico das relações entre categorias discursivas e diversidade linguística com a especificidade das línguas próximas. A reflexão sobre as unidades para o estudo do discurso se centra na categoria de “gênero discursivo” e tenta demonstrar a necessidade de que a pesquisa comparativa reconheça e, juntamente, desestabilize as delimitações dos gêneros no campo cultural, fazendo intervir categorias de análise relacionadas aos lugares sociais de dizer e a regularidades na ordem do linguístico.

 

************************************************************************************************************************************************************************************************************

 

Discourse units, comparative questioning and linguistic proximity: perspectives and limitations of the “genre” category

Abstract: The article proposes a reflection on the possibilities that different categories elaborated in discourse studies may offer to one type of comparative research which confronts the corpora of texts that are comparable for their social historic role, but were produced in different languages and national states. Specifically, it supports and exemplifies its considerations on the results of a research project about contemporary mass circulation genres in Portuguese and in Spanish, in South America, mainly in Brazil and in Argentina. In this way, it articulates the theoretical problem of the relations between discourse categories and linguistic diversity with the peculiarity of similar languages. The reflection on the units for the discourse study is centered on the category of “discourse genre” and tries to demonstrate the need for the comparative research to recognize and at the same time destabilize the genre boundaries in the cultural field, bringing about analysis categories related to social places of speech and to linguistic regularities.

Keywords: Comparative discourse studies; Discourse genres; Linguistic proximity; Cultural field

 

 


Palavras-chave


Estudos discursivos comparados; Gêneros do discurso; Proximidade linguística; Campo cultural

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Maria Ermantina Galvão Pereira. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BEACCO, Jean-Claude. Trois perspectives linguistiques sur la notion de genre discursif. Langages, Paris, v. 153, n. 153, p. 109-119, jun. 2004.

BECCARIA, Luis. Empleo, remuneraciones y diferenciación social en el último cuarto del siglo XX. In: BARTLEY, Paula;

BECCARIA, Luis; FELDMAN, Silvio. Sociedad y sociabilidad en la Argentina de los 90. Buenos Aires: Biblos, 2002. p. 27-54.

BOURDIEU, Pierre. Campo de poder, campo intelectual: itinerario de un concepto. Trad. Alberto Escurdia. Buenos Aires: Quadrata, 2003.

BOURDIEU, Pierre. El sentido social del gusto: elementos para una sociología de la cultura. Trad. Alicia Gutiérrez. Buenos Aires: Siglo XXI, 2010.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. Trad. Ana Raquel Machado. São Paulo: EDUC, 2007.

DÍAZ, Claudio. Libro de viajes y extravíos: un recorrido por el rock argentino 1965-1985. Córdoba: Narvaja Editor, 2005.

FANJUL, Adrián. Proximidad lingüística y memoria discursiva: reflexiones alrededor de un caso. Signo & Seña, Buenos Aires, v. 20, p. 183-205, 2009.

FANJUL, Adrián. Tallado y demarcación: composiciones transpuestas entre el rock de Brasil y de Argentina. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 13, n. 2, p. 359-381, 2013.

FINBOW, Thomas. A formação dos conceitos de “latim” e de “romance”. In: LAGARES, Xoán; BAGNO, Marcos. Políticas da norma e conflito linguístico. São Paulo: Parábola, 2011. p. 89-119.

FOUCAULT, Michel. La arqueologia del saber. México: Siglo XXI, 1972.

GOMES, Cristiano. Temos nosso próprio tempo. Modernidade – uma leitura das composições de Renato Russo. 2013. 249 fls. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de História, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2013.

GRANGEIA, MARIO. Redemocratização e desigualdades sociais segundo Cazuza e Renato Russo. Aurora, São Paulo, v. 12, p. 45-71, 2011.

GUIMARÃES, Eduardo. Semântica do acontecimento: um estudo enunciativo da designação. Campinas: Pontes, 2005.

MAINGUENEAU, Dominique. Cenas da enunciação. Trad. Maria C. P. de Souza e Silva. São Paulo: Parábola, 2008.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Trad. Ronald Polito e Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2008.

MENEZES, Andréia. Entre pátrias, pandeiros e bandoneones: o embate entre vozes marginais e disciplinadoras em composições de samba e tango (1917-1945). 2012. 310 fls. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

MENEZES, Andréia. Topografia, personagens marginais e identidade em letras de samba e de tango. Caracol, São Paulo, v. 8, p. 40-59, 2014.

PERRONE, Charles. Changing of the Guard: Questions and Contrasts of Brazilian Rock Phenomena. Studies on Latin American Popular Culture, Austin, n. 9, p. 65-83, 1990.

RUSSO, Martín. A voz do torcedor e do “hincha” na narração de futebol no Brasil e na Argentina. 2013, 143 fls. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

SEMÁN, Pablo; VILA, Pablo. Rock chabón e identidad juvenil en la Argentina neo-liberal. In: FILMUS, Daniel (Coord.). Los noventa: política, sociedad y cultura en América Latina y Argentina de fin de siglo. Buenos Aires: Eudeba, 2001. p. 225-258.

SEVERIANO, Jairo. Uma história da música popular brasileira: das origens à modernidade. São Paulo: Editora 34, 2008.

VOLOSHINOV, Valentin. El marxismo y la filosofía del lenguaje. Trad. Tatiana Bubnova. Buenos Aires: Ediciones Godot Argentina, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7726.2015.4.20235

e-ISSN: 1984-7726

ISSN-L: 0101-3335

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS