Divertimento: Cortázar y su juguete autobiográfico

Cynthia Valente

Resumo


 Divertimento: Cortázar e seu brinquedo autobiográfico

Divertimento, a primeira novela de Cortázar, escrita em 1949, foi publicada apenas postumamente. Nessa novela, ainda pouco explorada pela crítica, um grupo de amigos artistas se diverte com suas opiniões estéticas sobre a arte. A narrativa experimental, em ritmo de mistério, revela, em pequenas doses humorísticas, a visão de arte de um escritor ainda em formação. Dentro desse divertido jogo ficcional, onde se discute o surrealismo y suas diferentes manifestações artísticas, interessa-nos investigar os aspectos autobiográficos y receptivos que fluem das opiniões convergentes e divergentes de seus personagens. Para este propósito, foi fundamental retomar o epistolário de Cortázar, já que em suas cartas o escritor também brinca de mesclar ficção com autobiografia.


Palavras-chave


Julio Cortázar; Autobiografia; Surrealismo

Texto completo:

PDF


e-ISSN: 1984-7726

ISSN-L: 0101-3335

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 

Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS