Hospitalização e taxas de mortalidade por diarreia no Brasil: 2000-2015

Victor Antônio Kuiava, Ana Thereza Perin, Eduardo Ottobelli Chielle

Resumo


Introdução: A diarreia é um dos sinais mais antigos já descritos, atinge todas as faixas etárias, ricos e pobres, países desenvolvidos e em desenvolvimento apresentando significante relação com a pobreza. Está relacionada à elevada morbidade e mortalidade, sendo o seu manejo fundamental para melhora de indicadores sociais. Objetivo: O presente estudo analisou a evolução das taxas de hospitalização e as taxas de mortalidade por diarreia no Brasil durante os anos de 2000 a 2015. Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo de agregado temporal, retrospectivo e descritivo de 15 anos (2000 a 2015), utilizando as taxas de mortalidade e de internação hospitalar de diarreia nos 26 estados federais e no Distrito Federal. Os dados foram extraídos do DATASUS e IBGE. Resultados: No período analisado observou-se mais de 3,4 milhões de casos de internações hospitalares por diarreia e 72 mil mortes no território brasileiro. A taxa média de internação foi de 112/100 mil habitantes (IC95%, 100-123). As maiores taxas de mortalidade foram em pacientes acima de 80 anos, com 49/100 mil habitantes (IC95%, 47-52). Observou-se ao longo dos anos uma melhora nos índices pediátricos, porém foi notado aumento da mortalidade e internação hospitalar em estados do Nordeste na população idosa. Conclusão: O Brasil apresentou melhora nos índices de internação e mortalidade por doença diarreica em um contexto geral, possivelmente devido a melhora da infraestrutura social e do tratamento hospitalar, no entanto, cuidados com a população idosa ainda merecem atenção especial principalmente no Nordeste. Contudo, investimentos ainda devem ser feitos para consolidar esse cenário.


Palavras-chave


epidemiologia; diarreia; mortalidade; hospitalização.

Texto completo:

PDF

Referências


Victora CG. Diarrhea mortality: what can the world learn from Brazil? J Pediatr. 2009;85(1):3-5. https://doi.org/10.2223/jped.1860

Fleisher GR. Approach to diarrhea in children in resource-rich countries. Waltham: UpToDate; 2018.

Vasconcelos MJOB, Rissin A, Figueiroa JN, Lira PIC de, Batista Filho M. Doenças diarreicas e hospitalizações em menores de cinco anos no estado de Pernambuco, Brasil, nos anos de 1997 e 2006. Ciên Saúde Coletiva. 2018;23(3):715-22. https://doi.org/10.1590/1413-81232018233.14872016

Imada KS, de Araújo TS, Muniz PT, Pádua VL. Socioeconomic, hygienic, and sanitation factors in reducing diarrhea in the Amazon. Rev Saúde Pública. 2016;50:1-11. https://doi.org/10.1590/s1518-8787.2016050006505

LaRocque R, Pietroni M. Approach to the adult with acute diarrhea in resource-limited countries. Waltham: UpToDate; 2018.

Latorre MRDO, Cardoso MRA. Análise de séries temporais em epidemiologia: uma introdução sobre os aspectos metodológicos. Rev Bras Epidemiol. 2001;4(3):145-52. https://doi.org/10.1590/s1415-790x2001000300002

Kale PL, Fernandes C, Nobre FF. Temporal pattern of diarrhea hospitalizations and deaths in children, 1995 to 1998, Brazil. Rev Saude Publica. 2004;38(1):30-7.

Meneguessi GM, Mossri RM, Segatto TCV, Reis PO. Morbimortalidade por doenças diarreicas agudas em crianças menores de 10 anos no Distrito Federal, Brasil, 2003 a 2012. Epidemiol Serv Saúde. 2015;24(4):721-30. https://doi.org/10.5123/s1679-49742015000400014

Agarwal A, Agarwal T. 50 years ago in the journal of pediatrics: comparison of orally absorbable and nonabsorbable antibiotics in Shigellosis: a double-blind study with ampicillin and neomycin. J Pediatr. 2018;196:138.

Instituto Adolfo Lutz; Centro de Vigilância Epidemiológica “Professor Alexandre Vranjac”. Diarréia e rotavírus. Rev Saude Publica. 2004;38(6):844-5. https://doi.org/10.1590/s0034-89102004000600014

Oliveira TCR, Latorre MRDO. Tendências da internação e da mortalidade infantil por diarréia: Brasil, 1995 a 2005. Rev Saúde Pública. 2010;44(1):102-11. https://doi.org/10.1590/s0034-89102010000100011

Marinho F, Passos VM de A, França EB. Novo século, novos desafios: mudança no perfil da carga de doença no Brasil de 1990 a 2010. Epidemiol Serv Saúde. 2016;25(4):713-24. https://doi.org/10.5123/s1679-49742016000400005

Oliveira JSC, Medeiros AM, Castor LG, Carmo RF, Bevilacqua PD. Soluções individuais de abastecimento de água para consumo humano: questões para a vigilância em saúde ambiental. Cad Saúde Coletiva. 2017;25(2):217-24. https://doi.org/10.1590/1414-462x201700020371

Carlos Jr EAC. Saúde e povos indígenas no Brasil: reflexões a partir do I Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Indígena. Cad Saúde Pública. 2014;30(4):855-9. https://doi.org/10.1590/0102-311x00031214

Riddle MS, DuPont HL, Connor BA. ACG Clinical Guideline: diagnosis, treatment, and prevention of acute diarrheal infections in adults. Am J Gastroenterol. 2016;111(5):602-22. https://doi.org/10.1038/ajg.2016.126

Bittencourt SA, Leal MC, Santos MO. Hospitalization due of infectious diarrhea in Rio de Janeiro State. Cad Saúde Pública. 2002;18(3):747-54. https://doi.org/10.1590/s0102-311x2002000300018

Brandt KG, Antunes MMC, Silva GAP. Diarreia aguda: manejo baseado em evidências. J Pediatr. 2015;91(6 suppl 1):S36-S43.

Brasil. Ministério da Saúde. DataSUS [Internet]. Brasilia: Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde; 2018 [capturado em 22 jul. 2018]. Disponível em: www.datasus.saude.gov.br https://doi.org/10.11606/d.8.2007.tde-05032007-232241

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção da população do Brasil e das unidades da federação [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2018 [capturado em 22 jul. 2018]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/. https://doi.org/10.17143/ciaed/xxiilciaed.2017.00322

Lebrão ML, Jorge MHPM, Laurenti R. II - Morbidade hospitalar por lesões e envenenamentos. Rev Saúde Pública. 1997;31(4 suppl):26-37. https://doi.org/10.1590/s0034-89101997000500003

Gonçalves RF, Sousa IMC de, Tanaka OY, Santos CR dos, Brito- Silva K, Santos LX. Programa Mais Médicos no Nordeste: avaliação das internações por condições sensíveis à Atenção Primária à Saúde. Ciên Saúde Colet. 2016;21(9):2815-24. https://doi.org/10.1590/1413-81232015219.15392016

Bühler HF, Ignotti E, Neves SMAS, Hacon SS. Análise espacial de indicadores integrados de saúde e ambiente para morbimortalidade por diarreia infantil no Brasil, 2010. Cad Saúde Pública. 2014;30(9):1921-34. https://doi.org/10.1590/0102-311x00078013

Laranjeira C, Eiriz R, Santos P. Vacinação contra o rotavírus nos cuidados de saúde primários. Rev Port Med Geral Fam. 2014;30(2):78-82. https://doi.org/10.32385/rpmgf.v30i2.11281

Masukawa MLT, Moriwaki AM, Uchimura NS, Souza EM, Uchimura TT. Intervention analysis of introduction of rotavirus vaccine on hospital admissions rates due to acute diarrhea. Cad Saude Publica. 2014;30(10):2101-11. https://doi.org/10.1590/0102-311x00124713

França EB, Lansky S, Rego MAS, Malta DC, França JS, Teixeira R, Porto D, Almeida MF, Souza MFM , Szwarcwald CL, Mooney M, Naghavil M, Vasconcelos AMN. Principais causas da mortalidade na infância no Brasil, em 1990 e 2015: estimativas do estudo de Carga Global de Doença. Rev Bras Epidemiol. 2017;20(suppl 1):46-60. https://doi.org/10.1590/1980-5497201700050005

Solano JPC, Scazufca M, Menezes PR. Frequência de sintomas no último ano de vida de idosos de baixa renda em São Paulo: estudo transversal com cuidadores informais. Rev Bras Epidemiol. 2011;14(1):75-85. https://doi.org/10.1590/s1415-790x2011000100007

Rufino R, Gracie R, Sena A, Freitas CM, Barcellos C. Surtos de diarreia na região Nordeste do Brasil em 2013, segundo a mídia e sistemas de informação de saúde – Vigilância de situações climáticas de risco e emergências em saúde. Ciên Saúde Coletiva. 2016;21(3):777-88. https://doi.org/10.1590/1413-81232015213.17002015

Jones R, Lydeard S. Irritable bowel syndrome in the general population. BMJ. 1992;304(6819):87-90. https://doi.org/10.1136/bmj.304.6819.87

Santos FS, Santos FCS, Santos LH, Leite AM, Mello DF. Breastfeeding and protection against diarrhea: an integrative review of literature. Einstein (São Paulo). 2015;13(3):435-40. https://doi.org/10.1590/s1679-45082015rw3107

Pinto Junior EP, Silva IT, Vilela ABA, Casotti CA, Pinto FJM, Silva MGC. Dependência funcional e fatores associados em idosos corresidentes. Cad Saúde Coletiva. 2016;24(4):404-12. https://doi.org/10.1590/1414-462x201600040229

Santos M, Almeida A. Polimedicação no idoso. Rev Enf Ref.

;3(2):149-62. https://doi.org/10.12707/riii1011




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2019.2.30022

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS