Perfil clínico-epidemiológico de crianças e adolescentes em tratamento oncológico

Luísa Gabellieri Hintz, Cláudio Galvão de Castro Júnior, Janice Luisa Lukrafka

Resumo


Objetivo: Descrever o perfil clínico-epidemiológico de pacientes em internação hospitalar para tratamento de doenças oncológicas e hematológicas malignas, atendidos em um hospital de referência de Porto Alegre. Materiais e Métodos: Estudo transversal, descritivo, com análise de prontuários de pacientes que passaram por internação hospitalar no período entre 1º de janeiro de 2015 a 31 de junho de 2017.

Resultados: Analisados prontuários de 296 pacientes, dos quais 203 (68,58%) eram diagnósticos novos. A mediana de idade ao diagnóstico foi de 6,3 anos (percentil 2,81-12,63) sendo a maioria do sexo masculino (53,3%) e procedentes do estado do Rio Grande do Sul (97,30%). Os principais diagnósticos foram as leucemias (31,8%), seguidas dos tumores de sistema nervoso central (21,6%) e linfomas (14,9%). Dos 296 pacientes, 14,2% tinham indicação de realizar o transplante de células tronco hematopoiéticas (TCTH). Vinte e cinco conseguiram fazer o procedimento, sendo 60% transplantes autólogos e 40% alogênicos. Dos 65 pacientes que faleceram durante este período, 72,3% receberam cuidados paliativos.

Conclusão: A maioria dos pacientes eram meninos, brancos, procedentes do estado do Rio Grande do Sul, com diagnóstico de leucemia. Por se tratar de um centro de referência em neurocirurgia, os resultados referentes aos principais diagnósticos encontrados se assemelham aos de países desenvolvidos.


Palavras-chave


epidemiologia; oncologia; hematologia; pediatria.

Texto completo:

PDF

Referências


Instituto Nacional do Câncer (BR). Câncer na criança e no adolescente no Brasil: dados gerais dos registros de base populacional e de mortalidade. Rio de Janeiro: INCA; 2008.

Ministério da Saúde (BR). Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) [Internet]. Brasília; 2017 [capturado em 22 jan. 2019] Disponível em: http://svs.aids.gov.br/dantps/cgiae/sim/ apresentacao/

Instituto Nacional do Câncer (BR). Estimativa 2016: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2016.

Instituto Nacional do Câncer (BR). Incidência, mortalidade de morbidade hospitalar por câncer em crianças, adolescentes e adultos jovens no Brasil: Informações dos registros de câncer e do sistema de mortalidade. Rio de Janeiro: INCA; 2016.

Instituto Nacional do Câncer (BR). Epidemiologia dos tumores da criança e do adolescente. Rio de Janeiro: INCA; 2002.

nstituto Nacional do Câncer (BR). Estimativa 2014: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA; 2014.

de Camargo B, de Oliveira Santos M, Rebelo MS, de Souza Reis R, Ferman S, Noronha CP, et al. Cancer incidence among children and adolescents in Brazil: first report of 14 population-based cancer registries. Int J Cancer. 2010;126(3): 715-20.

Instituto Nacional do Câncer (BR). Classificação internacional do câncer na infância. Rio de Janeiro: INCA; 2009.

Kleihues P, Cavenee WK, editors. Pathology and genetics of tumours of the nervous system. Lyon: IARC; 2000. (World Health Organization classification of tumours; 1).

Fletcher CDM, Unni KK, Mertens F, editors. Pathology and genetics of tumours of soft tissue and bone. Lyon: IARC; 2002. (World Health Organization classification of tumours; 4).

Ries LAG, Smith MA, Gurney JG, Linet M, Tamra T, Young JL, et al., editors. Cancer incidence and survival among children and adolescents: United States SEER Program 1975-1995 [Internet]. Bethesda: National Cancer Institute; 1999 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: https://seer.cancer.gov/archive/publications/ childhood/childhood-monograph.pdf

International Agency for Research on Cancer. International Incidence of Childhood Cancer 3 [Internet]. Lyon: IARC; 2019 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: http://iicc.iarc.fr/

International Agency for Research on Cancer. BRASIL, 5 registries (1995-2012) [periódico online]. Lyon: IARC, 2012 [capturado 2017]. Disponível em: http://iicc.iarc.fr/includes/results/registries/ America-Latin/America-Latin_BRAZIL_5-registries.pdf

International Agency for Research on Cancer. FRANCE, Paediatric (2000-2012) [Internet]. 2012 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: http://iicc.iarc.fr/includes/results/registries/Europe/ Europe_FRANCE_Paediatric.pdf

International Agency for Research on Cancer. GERMANY, Paediatric (1996-2012) [Internet]. 2012 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: http://iicc.iarc.fr/includes/results/registries/Europe/ Europe_GERMANY_Paediatric.pdf

International Agency for Research on Cancer. UK (2000-2011) [Internet]. 2011 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: http:// iicc.iarc.fr/includes/results/registries/Europe/Europe_UK.pdf

Little J, editor. Epidemiology of childhood cancer [Internet]. Lyon: IARC; 1999 [capturado 23 jan. 2019]. (IARC Scientific publications; n. 149). Disponível em: http://publications.iarc.fr/Book-And-ReportSeries/Iarc-Scientific-Publications/Epidemiology-Of-ChildhoodCancer-1999

Bollard CM, Krance RA, Heslop HE. Hematopoietic stem cell transplantation in pediatric oncology. In: Pizzo PA, Poplack DG, editors. Principles and practice of pediatric oncology. 6th ed. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins; 2011. Chapter 46.

Instituto Nacional do Câncer (BR). Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2018 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: http://redome.inca. gov.br/o-redome/dados/

Instituto Nacional do Câncer (BR). Tópicos em transplante de células-tronco hematopoiéticas [Internet]. Rio de Janeiro: INCA; 2012 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: http://bvsms. saude.gov.br/bvs/publicacoes/inca/topicos_transplantes.pdf

Hann I, Viscoli C, Paesmans M, Gaya H, Glauser M. A comparison of outcome from febrile neutropenic episodes in children compared with adults: results from four EORTC studies. International Antimicrobial Therapy Cooperative Group (IATCG) of the European Organization for Research and Treatment of Cancer (EORTC). Br J Haematol. 1997;99(3):580-8.

Salstrom JL, Coughlin RL, Pool K, Bojan M, Mediavilla C, Schwent W, et al. Pediatric patients who receive antibiotics for fever and neutropenia in less than 60 min have decreased intensive care needs. Pediatr Blood Cancer. 2015;62(5):807-15.

World Health Organization. WHO guide for effective programmes.

Geneva: WHO; 2007.

World Heralth Organization. Palliave care [Internet]. Geneva; WHO; 2019 [capturado em 23 jan. 2019]. Disponível em: http:// www.who.int/mediacentre/factsheets/fs402/en/

Cancer Research UK. Childhood Cancers by Cancer Site: 1996-2005: average number of deaths per year and proportion of all childhood cancer deaths, ages 0-14, Great Britain [Internet]. 2017 [capturado em 13 jan. 2019]. Disponível em: http://www.cancerresearchuk. org/sites/default/files/cstream-node/child_mort_p_bysite.pdf




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2019.1.31421

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS