Abordagem interprofissional à população em situação de rua: relato de experiência

Larissa Oliveira Barbosa, Tayná Coelho Nascimento, Maria Alice Barbosa Fortunato, Marcelo Moreira Corgozinho

Resumo


Objetivo: Relatar a experiência vivenciada por duas acadêmicas do curso de enfermagem da Universidade Católica de Brasília, após acompanhar uma equipe de consultório na rua.
Descrição da Experiência: A experiência foi vivenciada junto à equipe de uma Região Administrativa do Distrito Federal, onde foram realizadas atividades de redução de agravos voltadas à população em situação de rua. Trata-se de uma população que merece atenção especial em virtude da sua marginalização, estigmatização e invisibilidade social. A equipe interprofissional desempenha importante função social na redução de agravos, pois a interdisciplinaridade promove a troca de saberes que qualificam o produto final das ações em saúde.
Conclusão: Considera-se que esta vivência junto ao consultório na rua contribuiu para a formação profissional das acadêmicas de enfermagem, pautada no desenvolvimento de posicionamento crítico e reflexivo quanto à responsabilidade social dos profissionais e gestores frente às populações específicas em extrema vulnerabilidade social.


Palavras-chave


sistema único de saúde; atenção primária à saúde; equipe interdisciplinar de saúde; população de rua.

Texto completo:

PDF

Referências


Londero MFP, Ceccim RB, Bilibio LFS. Consultório de/na rua: desafio para um cuidado em verso na saúde. Interface Comun Saúde Educ. 2014;18:251-60.

https://doi.org/10.1590/1807-57622013.0738

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n° 122, de 25 de janeiro de 2011. Define as diretrizes de organização e funcionamento das equipes de consultório na rua [Internet]. 2012 [capturado 2018 Jun 07]. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt0122_25_01_2012.html

Nery Filho A, Valério ALR, Monteiro LF. Guia do projeto consultório de rua. Salvador: Cetad; 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Manual sobre o cuidado à saúde junto à população em situação de rua. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Hallais JAS, Barros NF. Consultório na rua: visibilidades, invisibilidades e hipervisibilidade. Cad Saúde Pública. 2015;31:1497-504.

https://doi.org/10.1590/0102-311X00143114

Schervinski AC, Merry CN, Evangelista IC, Pachedo VC. Atenção à saúde da população em situação de rua. Extensio. 2017;14(26): 55-64.

Costa TS. Consultórios na rua do Distrito Federal e perfil dos profissionais de saúde no ano de 2015 [Monografia]. Brasília: Graduação em Saúde Coletiva da Universidade de Brasília; 2015.

Barr H. Interprofessional education: the genesis of a global movement. London: Centre for Advancement of Interprofessional Education; 2015.

Reis Junior AG. Estudo de caso da equipe de saúde da família para a população em situação de rua de Belo Horizonte-MG. Rio de Janeiro: ENSP/Fiocruz; 2011.

Menezes ACSA, Campos TD, Pinheiro SMA. Promoção de ações educativas de saúde na população em situação de rua. In: Ev’Ângela DS, Barros BR, organizadores. Extensão PUC Minas: Sujeitos, espaços e tempo de ação. Belo Horizonte: PUC; 2017.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Acolhimento à demanda espontânea. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Sousa AR, Oliveira APP, Farias LT, Colares MC, Feitoza AR. Consultório de rua: nova forma de atenção em saúde. Tendên Enferm Profis. 2015;7(3):1640-45.

Silva FP, Frazão IS, Linhares FMP. Práticas de saúde das equipes dos consultórios de rua. Cad Saúde Pública. 2014;30:805-14.

https://doi.org/10.1590/0102-311X00100513

Silveira RWM, Rezende D, Moura WA. Pesquisa-intervenção em um CAPSad – Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas. Gerais (Univ. Fed. Juiz Fora). 2010;3(2):184-97.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2018.3.30839

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS