Comportamentos relacionados à saúde de crianças que estudam em período integral e parcial

Manoella de Oliveira Santos, Diego Grasel Barbosa, Andreia Pelegrini, Clarissa Stefani Teixeira, Érico Pereira Gomes Felden

Resumo


Objetivo: Investigar as relações entre o período de estudo (integral ou parcial) e questões de saúde relacionadas ao sono, comportamento alimentar, status de peso e a prática de atividades físicas em crianças.
Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo exploratório de corte transversal, no qual participaram 61 crianças de seis a 10 anos de uma escola particular de Florianópolis-SC. Foram investigadas variáveis de sono por meio do Children’s Sleep Habits Questionnaire (CSHQ), comportamento alimentar e prática de atividade física por meio do Questionário de Dia Típico de Atividade Física e Alimentação (DAFA) e status de peso.
Resultados: As crianças do período integral apresentaram mediana superior na pontuação do CSHQ, indicando mais problemas com o sono (p=0,014). Além disso, na análise fatorial do CSHQ, o fator mais importante no grupo de crianças do período integral foi formado pelas subescalas “duração do sono” e “parassonias”. Já no período parcial, o fator mais importante foi composto pelos “despertares noturnos” e “parassonias”. Apesar disso, as crianças do período integral praticavam mais atividade física (p=0,036). Não foram observadas diferenças no consumo de alimentos e status de peso entre os períodos (p>0,05).
Conclusão: As crianças do período integral apresentaram maior frequência de problemas com o sono e maior prática de atividade física que as crianças do período parcial. Assim, os dados sustentam a hipótese que o período de estudo pode influenciar na saúde das crianças, no entanto, a influência deste fator foi diferenciada de acordo com a variável investigada indicando a necessidade de avaliações, intervenções e acompanhamentos específicos para esta população.


Palavras-chave


sono; atividade motora; peso-estatura; criança.

Texto completo:

PDF

Referências


Imbernón F. As comunidades de aprendizagem e o novo papel do professor. Rev Ped Pátio. 2003;13(52):14-7.

Lobato IM, Carvalho DV. Família e escola de tempo integral: um diálogo necessário na formação do sujeito. Rev Ibero-Am Estud Educ. 2013;8(4):861-74.

Bernier A, Beauchamp MH, Bouvette-Turcot AA, Carlson SM, Carrier J. Sleep and cognition in preschool years: specific links to executive functioning. Child Develop. 2013;84(5):1542-53.

https://doi.org/10.1111/cdev.12063

Kopasz M, Loessl B, Hornyak M, Riemann D, Nissen C, Piosczyk H, Voderholzer U. Sleep and memory in healthy children and adolescents–a critical review. Sleep Med Rev. 2010;14(3):167-77.

https://doi.org/10.1016/j.smrv.2009.10.006

Astill RG, Van Der Heijden KB, Van Ijzendoorn MH, Van Someren EJW. Sleep, cognition, and behavioral problems in school-age children: A century of research meta-analyzed. Psychol Bull. 2012;138(6):1109-38.

https://doi.org/10.1037/a0028204

Gruber R, Laviolette R, Deluca P, Monson E, Cornish K, Carrier J. Short sleep duration is associated with poor performance on IQ measures in healthy school-age children. Sleep Med. 2010;11(1):289-94.

https://doi.org/10.1016/j.sleep.2009.09.007

Spruyt K, Molfese DL, Gozal D. Sleep duration, sleep regularity, body weight, and metabolic homeostasis in school-aged children. Pediatrics. 2011;127(2):e345-52.

https://doi.org/10.1542/peds.2010-0497

Lima SCVC, Arrais RF, Pedrosa LDFC. Evaluation of usual diet of obese and overweight children and adolescents. Rev Nutrição. 2004;17(4):469-77.

https://doi.org/10.1590/S1415-52732004000400007

Ekelund U, Luan JA, Sherar LB, Esliger DW, Griew P, Cooper A, International Children’s Accelerometry Database (ICAD) Collaborators. Moderate to vigorous physical activity and sedentary time and cardiometabolic risk factors in children and adolescents. Jama. 2012;307(7):704-12.

https://doi.org/10.1001/jama.2012.156

Twisk JW. Physical activity guidelines for children and adolescents: a critical review. Sports Med.2001;31(8):617-27.

https://doi.org/10.2165/00007256-200131080-00006

Rocha ES, Rose GJ, Schivinski CIS. Level of physical activity and functional in athletes children. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum. 2014;24(2):127-34.

Mello MT, Tufik S. Atividade física, exercício físico e aspectos psicobiológicos. Rio de Janeiro(RJ): Guanabara Koogan; 2004.

Grande AJ, Valter S, Martimbianco ALC, Carvalho APV. Atividade física para prevenção e tratamento de obesidade em crianças: evidências das Coleções Cochrane. Diagn Tratamento. 2012;17(3):101-4.

Silva FG, Silva CR, Braga LB, Neto AS. Questionário de Hábitos de Sono das Crianças em Português-validação e comparação transcultural. J Pediatr. 2014;90(1):78-84.

https://doi.org/10.1016/j.jped.2013.06.009

Costa FF. Hábitos alimentares e de atividade física de escolares de Florianópolis, Santa Catarina, Brasil [dissertação]. [Florianópolis]: Universidade Federal de Santa Catarina; 2010.

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Atenção à Saúde, Coordenação Geral da Politica de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde; 2005.

Heyward VH, Stolarczyk LM. Avaliação da composição corporal aplicada. São Paulo (SP): Manole; 2000.

Ministério da Saúde (Brasil), Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: norma técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Cole TJ, Bellizzi MC, Flegal KM, Dietz WH. Establishing a standard definition for child overweight and obesity worldwide: international survey. BMJ. 2000;320(7244):1240-3.

https://doi.org/10.1136/bmj.320.7244.1240

Cole TJ, Flegal KM, Nicholls D, Jackson AA. Body mass index cut offs to define thinness in children and adolescents: international survey. BMJ. 2007;335(7612):194.

https://doi.org/10.1136/bmj.39238.399444.55

Wang GH, Xu G, Liu Z, Lu N, Ma R, Zhang E. Sleep patterns and sleep disturbances among Chinese school-aged children: Prevalence and associated factors. Sleep Med. 2013;14(1):45-52.

https://doi.org/10.1016/j.sleep.2012.09.022

Owens JA, Spirito A, Mcguinn M. The Children’s Sleep Habits Questionnaire (CSHQ): psychometric properties of a survey instrument for school-aged children. Sleep. 2000;23(8):1043-52.

https://doi.org/10.1093/sleep/23.8.1d

Gregory AM, Cox J, Crawford MR, Holland J, Haravey AG. Dysfunctional beliefs and attitudes about sleep in children. J Sleep Res. 2009;18(4):422-6.

https://doi.org/10.1111/j.1365-2869.2009.00747.x

Sheares BJ, Kattan M, Leu CS, Lamm CI, Dorsey KB, Evans D. Sleep Problems in Urban, Minority, Early-School-Aged Children More Prevalent Than Previously Recognized. Clinl Ped. 2013;52(4): 302-9.

https://doi.org/10.1177/0009922813476573

Matsuoka M, Nagamitsu S, Iwasaki M, Iemura A, Yamashita Y, Maeda M, Kitani S, Kakuma T, Uchimura N, Matsuishi T. High incidence of sleep problems in children with developmental disorders: Results of a questionnaire survey in a Japanese elementary school. Brain Dev. 2014;36(3):35-44.

https://doi.org/10.1016/j.braindev.2012.12.004

Van Litsenburg RRL, Waumans RC, Gemke RJBJ. Sleep habits and sleep disturbances in Dutch children: a population-based study. Eur J Pediatr. 2010;169(8):1009-15.

https://doi.org/10.1007/s00431-010-1169-8

Narendhran R, Bharti B, Malhi P. Children Sleep Habits Questionnaire (CSHQ): psychometric validation in Indian School Children. Indian J Sleep Med. 2008;3(3):102-6.

Aparas T. Sono-Vigilia em crianças com e sem perturbações do espectro do autismo. [dissertação]. Aveiro: Universidade de Aveiro; 2008.

Bueno C, Wey D. Gênese e ontogênese do ritmo de sono/vigília em humanos. Rev Biol. 2012;9(3):62-7.

Davis KF, Parker KP, Montgomery GL. Sleep in infants and young children: part two: common sleep problems. J Pediatr Health Care. 2004;18(3):130-7.

https://doi.org/10.1016/S0891-5245(03)00150-0

Mason TBA, Pack AI. Pediatric parasomnias. Sleep. 2007;30(2): 141-51.

https://doi.org/10.1093/sleep/30.2.141

Mendes L, Fernandes A, Garcia F. Hábitos e perturbações do sono em crianças em idade escolar. Acta Pediatr Port. 2004;35(4):341-7.

Zuo H, Shi Z, Yuan B, Dai Y, Hu G, Wu G, Hussain A. Interaction between physical activity and sleep duration in relation to insulin resistance among non-diabetic Chinese adults. BMC Public Health. 2012;12(1):247.

https://doi.org/10.1186/1471-2458-12-247

Pereira EG, Gordia AP, Quadros TMB. Padrão do sono em universitários brasileiros e a sua relação com a prática de atividades físicas: uma revisão da literatura. Rev Bras Ciênc Saúde. 2011;9(30):55-60.

Potasz C, Carvalho LBC, Natale VB, Russo CRA, Ferreira VR, Varela MJV, Prado LBF, Prado GF. Influência dos distúrbios do sono no comportamento da criança. Rev Neurocienc. 2008;16(2):124-9.

Campanha SMA, Freire LMS, Fontes MJF. O impacto da asma, da rinite alérgica e da respiração oral na qualidade de vida de crianças e adolescentes. Rev CEFAC. 2008;10(4):513-9.

https://doi.org/10.1590/S1516-18462008000400011

Teo CRPA, Corrêa EM, Gallina LS, Fransozi C. Programa nacional de alimentação escolar: adesão, aceitação e condições de distribuição de alimentação na escola. Nutrire Rev Soc Bras Aliment Nutr. 2009;34(3):165-85.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2018.3.29951

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS