A influência da atividade física na qualidade de vida de idosas

Michele Marinho da Silveira, Mirna Wetters Portuguez

Resumo


Objetivo: Verificar a influência da prática de atividade física na qualidade de vida de idosas.

Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal e descritivo com amostra de conveniência com 107 idosas de idade igual ou superior a sessenta anos pertencentes a grupos de convivência da região norte do Rio Grande do Sul, Brasil. Avaliaram-se os dados sociodemográficos, a atividade física e a qualidade de vida com escala WHOQOLBref, individualmente a cada idosa.

Resultados: A média de idade foi de 66,0±5,8 anos, as idosas praticavam atividade física regularmente, em média, 222,6±61,1 minutos semanais. O domínio físico apresentou o maior escore (70,9±16,3) e o meio ambiente o menor (67,2±13,9). Houve correlação entre o domínio físico frequência e tempo de atividade física, além de escolaridade, renda e autopercepção de saúde. O tempo de atividade física (beta=0,188; p=0,026) e a frequência (beta=0,191; p=0,023) se associaram com a qualidade de vida no domínio físico.

Conclusão: Observou-se que a maior frequência de atividade física está associada a maior pontuação no questionário WHOQOL-Bref.


Palavras-chave


envelhecimento; idosos; qualidade de vida; atividade física.

Texto completo:

PDF

Referências


Duarte EC, Barreto SM. Transição demográfica e epidemiológica: a Epidemiologia e Serviços de Saúde revisita e atualiza o tema. Epidemiol Serv Saúde. 2012;21(4):529-32. https://doi.org/10.5123/S1679-49742012000400001

Wójcicki TR, Roberts SA, Learmonth YC, Hubbard EA, Kinnett-Hopkins D, Motl RW, McAuley E. Improving physical functional and quality of life in older adults with multiple sclerosis via a DVD-delivered exercise intervention: a study protocol. BMJ Open. 2014;4(12):e006250. https://doi.org/10.1136/bmjopen-2014-006250

Hayter AKM, Jeffery R, Sharma C, Prost A, Kinra S. Community perceptions of health and chronic disease in South Indian rural transitional communities: a qualitative study. Glob Health Action. 2015;8:25946. https://doi.org/10.3402/gha.v8.25946.

Wong F, Stevens D, O'Connor-Duffany K, Siegel K, Gao Y; Community Interventions for Health (CIH) collaboration. Community Health Environment Scan Survey (CHESS): a novel tool that captures the impact of the built environment on lifestyle factors. Glob Health Action. 2011;4:5276. https://doi.org/10.3402/gha.v4i0.5276

Wichmann FMA, Couto AN, Areosa SVC, Monta-és MCM. Grupos de convivência como suporte ao idoso na melhoria da saúde. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2013;16(4):821-32. https://doi.org/10.1590/S1809-98232013000400016

Gonçalves MM. Atividade física e funcionalidade do idoso. Motriz: Rev Educ Fís. 2010;16(4):1024-32. https://doi.org/10.5016/1980-6574.2010v16n4p1024

Rodrigues PCS, Barreiros JMP, Vasconcelos MOF, Carneiro SRM. Efeito da prática regular de atividade física no desempenho motor em idosos. Rev Bras Educ Fís Esporte. 2010;24(4):555-63. https://doi.org/10.1590/S1807-55092010000400012

Rocha DC. Relação entre fatores ambientais e a prática de atividade física em idosos participantes do programa nacional marcha e corrida [dissertação]. Porto: Universidade do Porto, 2014.

Tribess S, Junior JSV. Prescrição de exercícios físicos para idosos. Rev Saúde Com. 2005;1(2):163-72.

Dias RMR, Gurjão ALD, Marucci MFN. Benefícios do treinamento com pesos para aptidão física de idosos. Acta Fisiatr. 2006;13(2):90-5.

Silva WF, Almeida AR, Santos DT, Silveira MB. Os benefícios da atividade física para a qualidade de vida dos idosos em um clube de terceira idade na cidade de Porteirinha, MG. EFDeportes.com [Internet]. 2010 [capturado 2017];15(149). Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd149/os-beneficios-da-atividade-fisicapara-

idosos.htm

Silva Maitê Fátima da, Goulart Natália Batista Albuquerque, Lanferdini Fábio Juner, Marcon Marcelo, Dias Caroline Pieta. Relação entre os níveis de atividade física e qualidade de vida de idosos sedentários e fisicamente ativos. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2012;15(4):634-42. https://doi.org/10.1590/S1809-98232012000400004

Mazo Giovana Z, Mota Jorge, Gonçalves Lúcia H.T., Matos Margarida G., Carvalho Joana. Actividade física e qualidade de vida de mulheres idosas da cidade de Florianópolis, Brasil. Rev Port Cien Desp. 2008;8(3):414-23.

Alencar Nelyse de Araújo, Souza Júnior José Vitorino de, Aragão Jani Cleria Bezerra, Ferreira Márcia de Assunção, Dantas Estélio. Nível de atividade física, autonomia funcional e qualidade de vida em idosas ativas e sedentárias. Fisioter Mmov. 2010;23(3):473-81. https://doi.org/10.1590/S0103-51502010000300014

Fleck MPA, Louzada S, Xavier M, Chachamovich E, Vieira G, Santos L, Pinzon, V. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida "WHOQOL-bref". Rev Saúde Públ. 2000;34(2):178-83. https://doi.org/10.1590/S0034-89102000000200012

IBGE. Sinopse do Censo demográfico [Internet]. 2011 [cited 2017]. Available from: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default_sinopse.shtm

Silveira MM, Tavares GMS, Zuppa C, Portuguez MW, Silva Filho IG, Carli GA, Pasqualotti A, Colussi EL. Análise da qualidade de vida de idosos frequentadores de oficinas de informática. ConScientiae Saúde. 2014;12:598-603. https://doi.org/10.5585/ConsSaude.v12n4.4327

Silveira MM, Pasqualotti A, Colussi EL. Envelhecimento e usuários de informática: repercussões de um programa ergonômico. Estud Interdiscip Envelhec. 2014;19:219-34.

Leite MT, Winck MT, Hildebrandt LM, Kirchner RM, Silva LAA. Qualidade de vida e nível cognitivo de pessoas idosas participantes de grupos de convivência. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2012;15(3): 481-92. https://doi.org/10.1590/S1809-98232012000300009

Busato A, Gallina LS, Téo CRPA, Ferretti F, Pozzagnol M. Autopercepção de saúde e vulnerabilidade em idosos. Rev Baiana Saúde Pública. 2014;38(3):625-35. https://doi.org/10.5327/Z0100-0233-2014380300010

Girardi CE, Heck R, Bobek ML, Benetti ERR, Stumm EMF, Colet CF. Quality of life of people in living groups with diabetes mellitus type 2. J Nurs UFPE. 2015;9(4):7239-46. https://doi.org/10.5205/reuol.7275-62744-1-SM.0904201508

Silva HO, Carvalho MJAD, Lima FEL, Rodrigues LV. Perfil epidemiológico de idosos frequentadores de grupos de convivência no município de Iguatu, Ceará. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2011;14(1): 123-33. https://doi.org/10.1590/S1809-98232011000100013

Chaim J, Ramundo ME, Ferreira CAS, Yuaso DR. Prática regular de atividade física e sedentarismo: influência na qualidade de vida de idosas. Rev Bras Ci Env Hum. 2010;7(2):198-209. https://doi.org/10.5335/rbceh.2012.445

Cordeiro Juliana, Del Castillo Bruna Lencina, Freitas Caroline Silva de, Gonçalves Marisa Pereira. Efeitos da atividade física na memória declarativa, capacidade funcional e qualidade de vida em idosos. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2014;17(3):541-52. https://doi.org/10.1590/1809-9823.2014.13006

Vitorino LM, Vianna LAC, Paskulin LMG. Qualidade de vida de idosos em instituição de longa permanência. Rev Latino-Am Enfermagem. 2012;20(6):1-9. https://doi.org/10.1590/S0104-11692012000600022

Silva RS, Silva I, Silva RA, Souza L, Tomasi E. Atividade física e qualidade de vida. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(1):115-20. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000100017

Sanchez MA, Brasil JMM, Ferreira IAM. Benefícios de um programa de atividade física para a melhoria da qualidade de vida de idosos no estado do Rio de Janeiro. RBCEH. 2014;11(3):209-18. https://doi.org/10.5335/rbceh.2014.4528

Pucci GCMF, Rech CR, Fermino RC, Reis RS. Association between physical activity and quality of life in adults. Rev Saúde Pública. 2012;46(1):1-12. https://doi.org/10.1590/S0034-89102012000100021

Serbim AK, Figueiredo AEPL. Qualidade de vida de idosos em um grupo de convivência. Sci Med. 2011;1(4):166-72.

Paskulin LMG, Córdova FP, Costa FM, Vianna LAC. Percepção de pessoas idosas sobre qualidade de vida. Acta Paul Enferm. 2010;23(1):101-7. https://doi.org/10.1590/S0103-21002010000100016

Tavares DMS, Dias FA. Capacidade funcional, morbidades e qualidade de vida de idosos. Texto & Contexto Enferm. 2012;21(1):112-20.

https://doi.org/10.1590/S0104-07072012000100013

Benedetti TRB, Mazo GZ, Borges LJ. Condições de saúde e nível de atividade física em idosos participantes e não participantes de grupos de convivência de Florianópolis. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(8):2087-93. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000800019




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2017.4.26390

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS