Comportamento alimentar de sacerdotes da igreja católica – suas percepções

Karina Gomes da Silva, Mônica Cristina Broilo

Resumo


Objetivo: Conhecer o comportamento alimentar de sacerdotes da Igreja Católica, analisando suas percepções sobre a influência do sacerdócio na alimentação.
Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, contemplando seis participantes de faixas etárias distintas, integrados à Diocese de Novo Hamburgo-RS. Os entrevistados responderam de forma individual a questões abertas, tendo o áudio das entrevistas gravado e submetido à análise de conteúdo, por análise categorial, através da fragmentação em categorias e reagrupamentos por afinidade. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa da Universidade Feevale.
Resultados: Foi possível identificar três categorias distintas nas falas dos participantes: Alimentação antes do sacerdócio; Alimentação no Seminário; e Sacerdócio como influência na alimentação. A primeira categoria destacou a importância da família na construção do comportamento alimentar do indivíduo, assim como as consequências de uma privação alimentar na infância que repercutem na vida adulta; já a segunda categoria abordou as mudanças na busca de viver a vocação e a adaptação aos costumes do Seminário; e a terceira categoria demonstrou a influência da rotina exigente e atribulada dos sacerdotes, que por vezes faz com que os cuidados com a alimentação sejam ignorados, mesmo sendo considerados importantes pelos entrevistados.
Conclusão: Pode-se observar que os sacerdotes possuem comportamento alimentar que se assemelha à população em geral, no entanto conservam algumas particularidades pela condição de sua vocação, como os hábitos alimentares simples e modestos, a não recusa aos alimentos a eles oferecidos e a preocupação com a valorização ao alimento consumido.


Palavras-chave


comportamento alimentar; clero; percepção; alimentação; religião.

Texto completo:

PDF

Referências


Wettstein MF. Bioética e restrições alimentares por motivação religiosa: tomada de decisão em tratamento de saúde [dissertação]. Porto alegre: UFRGS; 2010.

Ogden J. Psicología de la alimentación: comportamientos saludables y trastornos alimentarios. Madrid: Ediciones Morata; 2003.

Código de Direito Canônico: CDC [promulgado por João Paulo II, papa]. 4ª ed. Lisboa: Editorial Apostolado da Oração – Braga; 1983.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Cardoso AFM. Estado nutricional da criança: influência do comportamento alimentar e da cultura organizacional da família [dissertação]. Viseu: Instituto Politécnico de Viseu; 2013 [citado em 2017]. Disponível em: http://repositorio.ipv.pt/bitstream/10400.19/1980/1/CARDOSO,%20Ana%20Filipa%20Matos%20-20Disserta%C3%A7%C3%A3o%20mestrado.pdf

Straatmann G, Laus MF, Almeida SS, Costa TMB. Psicobiologia do comportamento alimentar. Rio de Janeiro: Rubio; 2013.

Gagné S. A energética dos alimentos: a força espiritual, emocional e nutricional do que comemos. Gottlieb A, tradutora. São Paulo: Lafonte; 2011.

Benelli SJ. Estudo psicossocial de um seminário teológico: a formação do clero católico em análise. Estud Psicol (Campinas). 2008; 13(3):203-11. https://doi.org/10.1590/S1413-294X2008000300003

Franco OS, Prado J. A hospitalidade e a cordialidade: reflexões sobre o Brasil [Internet]. 2007 [citado em 2017]. Disponível em: http://www.ibhe.com.br/assets/conteudo/uploads/a-hospitalidade-e-acordialidade,--reflexoes-sobre-o-brasil---200755d1f86db0909.pdf

Acosta ACMA, Bastos SR. A Etiqueta permeando o ambiente hospitaleiro das recepções domésticas. Contrib Cienc Soc [periódico online]. 2012 Nov [citado em 2017]. Disponível em: http://www.eumed.net/rev/cccss/22/etiqueta-recepcionesdomesticas.pdf

Lopes AAF. O gênero do cuidado de si: as implicações da dieta alimentar na comensalidade de diabéticos. Cad Pagu. 2011;36:345- 74. https://doi.org/10.1590/S0104-83332011000100013

Popkin BM. O mundo está gordo: modismos, tendências, produtos e políticas que estão engordando a humanidade. Rio de Janeiro: Elsevier; 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2017.3.24462

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS