Riscos ocupacionais e equipamentos de proteção individual em bombeiros da Brigada Militar

Bruna Zoehler Baumgart, Andréia Barcellos Teixeira Macedo, Ana Paula Gossmann Bortoletti, Sônia Beatriz Coccaro de Souza

Resumo


Introdução: Os bombeiros são profissionais expostos a um número elevado de riscos ocupacionais em decorrência das múltiplas situações atendidas. Por este motivo, devem utilizar adequadamente os equipamentos de proteção individual (EPI), minimizando a exposição. Entende-se como risco ocupacional toda e qualquer possibilidade de que algum elemento ou circunstância existente, num dado processo e ambiente de trabalho, possa causar dano à saúde.
Objetivo: Verificar a concordância entre a identificação correta dos riscos ocupacionais e a utilização do EPI.
Materiais e Métodos: Estudo transversal, com amostra de 83 bombeiros da Brigada Militar de Porto Alegre. O instrumento descreveu 13 ocorrências do cotidiano e os profissionais deveriam registrar riscos ocupacionais e EPI a ser utilizado. Para cada situação foi calculado o percentual de acertos para riscos e EPI e a concordância entre estes foi analisada através do método de Bland-Altman.
Resultados: A análise de concordância entre os percentuais das respostas corretas quanto ao uso do EPI e identificação dos riscos indicou que a utilização de EPI superestimou a identificação dos riscos, retratando que o número de acertos na identificação dos EPIs foi superior ao número de acertos na identificação dos riscos.
Conclusão: Observou-se que existe utilização do EPI na amostra, mas nem sempre é adequada ao risco ocupacional apresentado, trazendo vulnerabilidade para os profissionais durante o atendimento prestado.


Palavras-chave


saúde do trabalhador; riscos ocupacionais; condições de trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


Porto MFS. Análise de riscos nos locais de trabalho: conhecer para transformar. Cadernos de Saúde do Trabalhador. São Paulo: Kingraf;

Sêcco IAO, Robazzi MLCC, Gutierrez PR, Matsuo T. Acidentes de trabalho e riscos ocupacionais no dia-a-dia do trabalhador: desafio para a saúde do trabalhador. Espaç Saúde. 2002;4(1):68-81.

Portaria nº 24 do Ministério do Trabalho e Emprego (BR), de 12 de julho de 2011. Comissão Interna de Prevenção de Acidentes. DOU, 13 jul. 2011.

Portaria nº 292 do Ministério do Trabalho e Emprego (BR), de 08 de dezembro de 2011. Equipamento de proteção individual – EPI.

DOU, 9 dez. 2011.

Forlin MAS. Riscos profissionais. Porto Alegre: Polost; 2005.

Francisco HS. Importância dos EPIs nas atividades de combate a incêndio. Revista Emergência RS [Internet]. abr. 2014 [acesso em: 08 jun. 2016]. Disponível em: http://www.revistaemergencia.com. br/noticias/leia_na_edicao_do_mes/artigo_trata_da_importancia_ dos_epis_nas_atividades_de_combate_a_incendio/AAjjA5y4/10313

Dias C, Slob, EMGB. Análise do processo saúde & doença dos policiais militares do corpo de bombeiros de um município do

Vale do Paraíba. Rev Eletrônica Enf Vale do Paraíba [Internet]. jun.-

jul. 2015 [acesso em: 01 jun. 2016];1(08): [14 telas]. Disponível

em: http://www.publicacoes.fatea.br/index.php/reenvap/article/

viewArticle/1494

Melo LP. Síndrome de Burnout em bombeiros: prevalência, fatores de risco e proposta de intervenção [dissertação]. Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; 2015.

Santos M, lmeida A. Principais riscos e fatores de risco ocupacionais associados aos bombeiros, eventuais doenças profissionais e medidas de proteção recomendadas. Rev Port Saúde Ocup [Internet]. 2016. [acesso em 01 jun. 2016]. Disponível em: http://www.rpso. pt/principais-riscos-e-fatores-de-risco-ocupacionais-associadosaos-

bombeiros-eventuais-doencas-profissionais-e-medidas-deprotecao-

recomendadas/

Spacassassi F. Avaliação hemodinâmica, estresse, perfil metabólico e balanço autonômico em profissionais bombeiros militares [dissertação]. São Paulo: Programa de mestrado em Medicina da Universidade Nove de Julho; 2015.

Oliveira AC, Machado BCA, Gama CS. Acidente ocupacional envolvendo material biológico entre bombeiros militares de Minas Gerais. Ciênc Cuid Saúde. 2014;13(2):343-349.

Torres MC, Gusmão CMP, Lúcio MG. Riscos Ocupacionais do atendimento pré-hospitalar: uma revisão bibliográfica. Interfaces Cient Saúde Ambiente. 2013;1(3):69-77. https://doi.org/10.17564/

-3798.2013v1n3p69-77

Portaria MTE nº 1.471, de 24 de setembro de 2014. NR 9 – programa de prevenção de riscos ambientais. DOU, 25 set. 2014.

Resolução nº 466 do Conselho Nacional de Saúde, de 12 de dezembro

de 2012 (BR). Pesquisa envolvendo seres humanos. DOU, 13 jul. 2013.

Hirakata VN, Camey SA. Análise de concordância entre métodos de Bland-Altman. Rev HCPA [Internet]. 2009 [acesso em 26 maio 2015]; 29(3):[8 telas]. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/ bitstream/handle/10183/28980/000738092.pdf?sequence=1

Areosa J. As perceções de riscos ocupacionais no setor ferroviário. Sociologia. 2014;75:83-107. https://doi.org/10.7458/ spp2014753577

Oliveira AC, Machado BCA, Gama CS. Conhecimento e adesão às recomendações de biossegurança no Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais. Rev Esc Enferm USP. 2013;47(1):115-27. http:// dx.doi.org/10.1590/S0080-62342013000100015

Frota OP, Loureiro MDR, Ferreira. Aspiração endotraqueal por sistema aberto: práticas de profissionais de enfermagem em terapia intensiva. Esc Anna Nery. 2014;18(2):296-302.

Gomes BB, Santos LS. Acidentes laborais entre equipe de atendimento pré-hospitalar móvel (bombeiros/Samu) com destaque ao risco biológico. Revisa. 2012;1(1):40-9.

Contrera-Moreno L. Condições associadas à ocorrência de doenças infecciosas no trabalho operacional de bombeiros de Campo Grande, MS [dissertação]. Universidade Federal do Mato Grosso do Sul; 2012.

Monteiro JK, Maus D, Machado FR, Pesenti C, Bottega D, Carniel LB. Bombeiros: um olhar sobre a qualidade de vida no trabalho. Psicol Cienc Prof. 2007;27(3):554-65. https://doi.org/10.1590/ S1414-98932007000300014

Fermino IC. Biossegurança no atendimento pré- hospitalar nos quartéis de bombeiro militar das cidades de Armazém, Capivari de Baixo, Braço do Norte e Tubarão [monografia]. Florianópolis: UFSC;




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2017.1.24399

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS