A influência do protocolo de reabilitação de Cawthorne e Cooksey no equilíbrio de idosas

Juliana de Oliveira Souza, Ariela Torres Cruz

Resumo


Objetivo: Este estudo teve como objetivo avaliar a influência do protocolo de reabilitação de Cawthorne e Cooksey no equilíbrio de idosas institucionalizadas.
Materiais e Métodos: Ensaio clínico controlado e randomizado. Após a verificação dos critérios de inclusão e exclusão, 10 idosas com idade entre 60 e 88 anos, foram aleatoriamente escolhidas e distribuídas em dois grupos: cinco idosas no grupo experimental (GE), submetidas ao protocolo de reabilitação de Cawthorne e Cooksey; e cinco no grupo controle (GC), que não receberam o tratamento proposto. Ambos os grupos foram avaliados antes e após três meses de tratamento através da Escala de Equilíbrio de Berg (EEB). Após a avaliação, as idosas do GE foram submetidas individualmente a 32 sessões do protocolo de reabilitação de Cawthorne e Cooksey, realizadas 2 vezes por semana, por um período de três meses, com duração de 50 minutos cada.
Resultados: Constatou-se que houve um aumento no escore da EEB do GE (p=0,0008) quando comparado ao GC (p=0,0486) e consequentemente diminuição da possibilidade de queda.
Conclusão: Os resultados do presente estudo mostram que o protocolo de reabilitação de Cawthorne e Cooksey foi capaz de melhorar o equilíbrio das idosas institucionalizadas participantes do estudo.


Palavras-chave


acidentes por quedas; sistema vestibular; equilíbrio postural; idoso; fisioterapia.

Texto completo:

PDF

Referências


Minayo MCS. O envelhecimento da população brasileira e os desafios para o setor da saúde. Cad Saúde Pública 2012;28(2): 208-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2012000200001

Alves NB, Scheicher ME. Equilíbrio postural e risco para queda em idosos da cidade de Garça, SP. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2011;14 (4):763-8. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232011000400015

Lopes MNSS, Passerini CG, Travensolo CF. Eficácia de um protocolo fisioterapêutico para equilíbrio em idosos institucionalizados. Semina Cienc Biol Saude. 2010;31(2):143-52. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2011v32n2p143

Duca GFD, Antes DL, Hallal PC. Quedas e fraturas entre residentes de instituições de longa permanência para idosos. Rev Bras Epidemiol. 2013;16(1):68-76. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2013000100007

Soares WJS, De Moraes AS, Ferriolli E, Perracini MR. Fatores associados a quedas e quedas recorrentes em estudo: estudo de base populacional. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2014;17(1):49-60. http://dx.doi.org/10.1590/S1809-98232014000100006

Onishi ET, Kasse CA, Barreiro FCAB, Doná F. Avaliação e reabilitação do equilíbrio corporal: abordagem interdisciplinar. São Paulo: Copyrigh; 2013.

Scherer S, Lisboa HrK, Pasqualotti A. Tontura em idosos: diagnóstico otoneurológico e interferência na qualidade de vida. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2012;17(2):142-50. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342012000200007

Shimizu WAL, Uematsu ESC, Peterlin CB, Brito RMS. Prevalência de sinais e sintomas de disfunção vestibular em idosos institucionalizados e não institucionalizados. Med Reabil. 2010;29(2):52-6.

Ricci NA, Aratani MC, Doná F, Macedo C, Caovilla HH, Ganança FF. Revisão sistemática sobre os efeitos da reabilitação vestibular em adultos de meia idade e idosos. Rev Bras Fisioter. 2010;14(5): 361-71. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-35552010000500003

Ferreira DCO, Yoshitome AY. Prevalência e características das quedas de idosos institucionalizados. Rev Bras Enferm. 2010;63(6):991-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672010000600019

Cunha AA, Lourenço RA. Quedas em idosos: prevalência e fatores associados. Revista HUPE. 2014;13(2):21-9. http://dx.doi.org/10.12957/rhupe.2014.10128

Berg KO. Clinical and laboratory measures of postural balance in an elderly population. Arch Phys Med Rehabil. 1992;73(11):1073-80.

Miyamoto ST, Lombardi Junior I, Berg KO, Ramos LR, Natour J. Brazilian version of the Berg balance scale. Braz J Med Biol Res. 2004;37(9):1411-21. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-879X2004000900017

Chiu AYY, Au-Yeung SSY, Lo SK. A comparison of four functional tests in discriminating fallers from non-fallers in older people. Disabil Rehabil. 2003;25(1):45-50. http://dx.doi.org/10.1080/dre.25.1.45.50

Peixoto TM, Artelosa RCC, Silva LAT, Santos TSM. Causas e conseqüências de quedas em idosos atendidos no hospital de Santo Estevão, BA. Biociências. 2015;21(2):93-100.

Santos MV, Weizenmann SE, Koetz LCE. Avaliação dos idosos e a percepção dos profissionais quanto aos riscos de quedas em uma instituição de longa permanência. Cinergis. 2015;16(1):2-6.

Karuka AH, Silva JAMG, Navega MT. Análise da concordância entre instrumentos de avaliação do equilíbrio corporal em idosos. Rev Bras Fisioter. 2011;15(6):460-6. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-

Neto JP, Raso W, Brito CAF. Mobilidade funcional em função da força muscular em mulheres idosas fisicamente ativas. Rev Bras Med Esporte. 2015;21(5):369-71. http://dx.doi.org/10.1590/1517-869220152105112756

Batista JS, Pasqualotti A, Marchi ACB, Wibelinger LM. A reabilitação vestibular e o envelhecimento humano. Rev Bras Ciênc Saúde. 2011;9(27):57-63.

Peres M, Silveira E. Efeito da reabilitação vestibular em idosos: quanto ao equilíbrio, qualidade de vida e percepção. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(6):2805-14. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000600018

Castro DLS, Pontes NG. Proposta de tratamento fisioterapêutico na reabilitação vestibular para pacientes com vertigem posicional paroxística benigna [monografia]. Belém: Universidade da Amazônia; 2008.

Oliveira ESAO, Costa JCB, Raphael SB, Guabiroba JS, Silva IP. Idosos e exercício físico: a aderência da prática como fator predominante para wellness. Rev Int Cienc Deporte. 2015;11(2):117-8.

Santana FJ, Lima MCAML. Prevalência de quedas e dor musculoesquelética em idosos. Saúde & Amb Rev. 2014;3(2): 80-9.

Jonsson E, Seiger A, Hirschfeld H. One-leg stance in healthy young and elderly adults: a measure of postural steadiness. Clin Biomech (Bristol, Avon). 2004;19(7):688-94. http://dx.doi.org/10.1016/j.

clinbiomech.2004.04.002

Dias BB, Mota RS, Gênova TC, Tamborelli V, Pereira VV, Puccini PT. Aplicação da Escala de Equilíbrio de Berg para verificação do equilíbrio de idosos em diferentes fases do envelhecimento. Rev Bras de Ciên do Envelh Hum. 2009;6(2):213-24. http://dx.doi.org/10.5335/rbceh.2009.020

Delissa JA. Tratado de Medicina da Reabilitação. 2ª ed. São Paulo: Editora Manole; 2002.

Alfieri FM, Teodori RM, Guirro RRJ. Estudo baropodométrico em idosos submetidos à intervenção fisioterapêutica. Fisioter Mov. 2006;19(2):67-74.

Miot HÁ. Tamanho da amostra em estudos clínicos e experimentais. J Vasc Bras. 2011;10(4):p. 275-8.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2016.1.21767

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS