Interação medicamentosa em usuários de antidepressivos do sistema público de um município do sul do Brasil

Maiara Schenkel, Juliana Simão, Karin Hepp Schwanbach, Christiane de Fátima Colet

Resumo


Introdução: A depressão é um problema de saúde pública cujo tratamento se faz com uso de antidepressivos, os quais devem ser usados com cautela, devido aos seus efeitos colaterais e potenciais de interações medicamentosas. 
Objetivo: Identificar e classificar as principais interações medicamentosas em potencial de antidepressivos com outros medicamentos prescritos.
Materiais e Métodos: Foi realizado um estudo com usuários de antidepressivos, que retiraram estes medicamentos na Unidade Básica de Saúde do município de São José do Inhacorá/RS. Os entrevistados foram localizados a partir de uma consulta ao banco de dados, realizada nos meses de dezembro de 2013 a janeiro de 2014. As entrevistas foram realizadas nas residências com auxilio de um instrumento de coleta de dados elaborado pelos autores e validado por estudo piloto. As interações medicamentosas potenciais foram pesquisadas na base de dados Micromedex® e aqueles medicamentos não encontrados foram pesquisados em livros sobre interação medicamentosa, e foram classificadas pela gravidade em maior, moderada e menor.
Resultados: Foram entrevistados 88 pacientes, com idade média de 56,68±16,36. Foram encontradas 127 interações medicamentosas em potencial, sendo que 42 (47,72%) estavam sujeitos a interações, com média de 5,90±2,73 por usuário. Quanto à gravidade, 69 (54,33%) eram maior, 53 (41,73%) moderada e 5 (3,94%) menor. 
Conclusão: Este estudo demonstra a ocorrência das interações medicamentosas em potencial em grande parte dos usuários, bem como a prática de polifarmácia, que representa um risco ao usuário. Por isso, verifica-se a importância do farmacêutico inserido na equipe multidisciplinar, para poder minimizar os erros relacionados à farmacologia e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.


Palavras-chave


depressão; antidepressivos; conduta do tratamento medicamentoso.

Texto completo:

PDF

Referências


Kaplan HI, Sadock BJ, Grebb JA. Compêndio de psiquiatria: ciências do comportamento e psiquiatria clínica. 9ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2007.

Fleck MPA, Berlim, MT, Lafer B, Sougey EB, Del Porto JA, Brasil MA, Juruena MF, Hetem LA. Revisão das diretrizes da Associação Médica Brasileira para o tratamento da depressão (versão integral). Rev Bras Psiquiatr. 2009;31(1):7-17. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462009000500003

Teng CT, Humes EC, Demetrio FN. Depressão e comorbidades clínicas. Rev. Psiq Clín. 2005;32(3):149-59. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832005000300007

Organización Panamericana de la Salud. Tratamiento farmacológico de los trastornos mentales en la atención primaria de salud. Washington, D.C.: OPS; 2010.

Silva P. Farmacologia. 7ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara.Koogan; 2006.

Melgaco TB, Carrera JS, Nascimento DEB, Maia CSF. Polifarmácia e ocorrências de possíveis interações medicamentosas. Belém, PA: Universidade Federal do Pará; 2011.

Barros E, Barros HMT. Medicamentos na prática clínica. Porto Alegre: Artmed; 2010.

Campigotto KF, Teixeira JJV, Cano FG, Sanches ACC, Cano MFF, Guimarães DSL. Detecção de risco de interações entre fármacos antidepressivos e associados prescritos a pacientes adultos. Rev Psiq Clín. 2009;35(1):1-5.

Pivatto Júnior F, Godoy DB, Pires DF, Pietrobon E, Rosa FT, Saraiva JS. Potenciais interações medicamentosas em prescrições de um hospital escola de Porto Alegre. Rev AMRIGS. 2009;53(3):251-6.

Porto CC. Interação medicamentosa. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2011.

Bachmann KA, Lewis JD, Fuller MA, Bonfiglio MF. Interações medicamentosas. Barueri: Manole; 2006.

Miyasaka LS, Atallah NA. Risco de interação de drogas: combinações de uso de antidepressivos e outras drogas. Rev Saud Pub. 2003;37:212-15. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102003000200008

Mazzola PG, Rodrigues AT, Cruz AA, Marialva M, Granja S, Battaglini SCM. Perfil e manejo de interações medicamentosas potenciais teóricas em prescrições de UTI. Rev Bras Farm Hosp Serv Saúde. 2011;2(2):15-9.

Secoli SR. Drugs interactions: fundamental aspects for clinical practice nursing. Rev Esc Enferm USP. 2001;35(1):28-34. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342001000100005

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Ciência, tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Formulário terapêutico nacional 2010: Rename 2010. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.

Barcelos AM, Teixeira MA, Maia MC, Camanho LEM, Asumpção OQ. Síndrome do QT longo e torsades de pointes pós-parto. Arq Bras Cardiol. 2009;93(4):58-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2009001000022

Nogueira PR, Rassi S, Corrêa KS. Perfil epidemiológico, clínico e terapêutico da insuficiência cardíaca em hospital terciário. Arq Bras Cardiol, 2010;93(4):58-9. http://dx.doi.org/10.1590/s0066-782x2010005000102

Caramona M, Vitória I, Teixeira M, Alcobia A, Almeida P, Horta R, Reis, L. Normas de orientação terapêutica. Lisboa: Ordem dos Farmacêuticos; 2011.

Ministério da Saúde (BR). Protocolo de segurança na prescrição, uso e administração de medicamentos. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Fernandes G, Palvo F, Pinton FA, Dourado DAN, Mendes CAC. Impacto das intoxicações por antidepressivos tricíclicos comparados aos depressores do sistema nervoso central. Arq Ciênc Saúde. 2006;13:61-5.

GreghI CM, Moraes DSC, Zanluchi SL, Barbosa NRA, Valle R, Lopes SRS. Interações medicamentosas envolvendo os neuropsicofármacos padronizados no HURNP. In: Anais da V Jornada de Farmácia e Análises Clínicas de Londrina; 2001. p. 72.

Paulin LFRS, Reis EF, Rodrigues EF. Síndrome de descontinuação dos antidepressivos. RBM Rev Bras Med. 2008;65(10):326-30.

Marcolin MA, Cantarelli MG, Garcia Junior M. Interações farmacológicas entre medicações clínicas e psiquiátricas. Rev Psiq Clín. 2004; 31(2):70-81. http://dx.doi.org/10.1590/s0101-60832004000200003

Santos HC, Ribeiro RR, Ferrarini M, Fernandes JPS. Possíveis interações medicamentosas com psicotrópicos encontradas em pacientes da Zona Leste de São Paulo. Rev Cienc Farm Básica. 2009;30(3):285-89.

Furini AAC, Lima TAM, Faitarone NC, Verona JP, Silva LAM, Santos SS. Atenção farmacêutica nas interações medicamentosas e indicadores de prescrição em unidade básica de saúde. Arq Ciênc Saúde. 2014;21(2)99 106.

Lima REF, Cassiane SHDB. Interações medicamentosas potenciais de unidade de terapia intensiva de um hospital universitário. Rev Latino-Am Enfermagem. 2009;17(2):81-7.

Istilli PT, Miasso AI, Padovan CM, Crippa JA, Tirapelli CR. Antidepressivos: uso e conhecimento entre estudantes de enfermagem. Rev Latino-Am Enfermagem. 2010;18(3):131-39.

MICROMEDEX® Healthcare Series [Internet database]. Greenwood Village, CO: Thomson Reuters; 2015 [updated periodically]. Available from: http://www.micromedexsolutions.com/micromedex2/librarian




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2015.3.21093

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS