Conhecimento e entendimento de enfermeiros sobre as ações gerenciais na atenção primária à saúde

Rosângela Nunes Almeida da Silva, Anna kelly Martins Lima, Francidalma Soares Sousa Carvalho Filha, Jaiane de Melo Vilanova, Francisco Laurindo da Silva

Resumo


Objetivo: Avaliar as ações gerenciais realizadas por enfermeiros na Atenção Primária à Saúde, em Caxias-MA.
Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo avaliativo, com abordagem qualitativa, que analisou as facilidades e entraves de 32 enfermeiros em relação ao gerenciamento das ações, utilizando-se o método de análise temática, proposto por Bardin.
Resultados: Averiguou-se 06 categorias temáticas. Os profissionais entenderam o gerenciamento como um dispositivo essencial relacionado às práticas de organização e supervisão do trabalho. Consideraram de grande relevância a realização do planejamento na UBS, embora uma menor parcela de profissionais afirmaram desenvolvê-lo apenas diante de uma problemática. As competências gerenciais necessárias ao enfermeiro indicaram a liderança, o poder de comunicação e atualização, bem como o conhecimento proporcionado pelas especializações As facilidades elencadas foram a participação da equipe, a autonomia dentro da UBS e o apoio fornecido pela Coordenação da Atenção Primária e Vigilância Epidemiológica do município. Verificou-se que as dificuldades existentes englobaram o relacionamento com a equipe, a escassez de recursos materiais e a falta de tempo ocasionado pela sobrecarga de atividades. Sobre as atividades gerenciais realizadas na Unidade Básica de Saúde, destacaram-se a realização das escalas dos técnicos e vigilantes, frequência dos profissionais, controle e pedido de materiais, medicamentos e vacinas, além do planejamento assistencial.
Conclusão: Observou-se que as ações gerenciais estão de acordo com as propostas pelo Ministério da Saúde, contudo há necessidade em, organizar as atividades desempenhadas e compartilhar decisões e responsabilidades a fim de que este profissional não fique sobrecarregado.


Palavras-chave


enfermagem; gestão em saúde; atenção primária à saúde; programa saúde da família.

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política nacional de atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. 114 p.

Saito RXS. Políticas de Saúde: princípios, diretrizes e estratégias para a estruturação de um sistema único de Saúde. In: Ohara ECC, Saito RXS. Saúde da Família: considerações teóricas e aplicabilidade. São Paulo: Martinari; 2010. 424 p.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Vigilância em Saúde: Dengue, Esquistossomose, Hanseníase, Malária, Tracoma e Tuberculose. 2ª ed. rev. Brasília: Ministério da Saúde; 2008. 119 p.

Lopes Neto D, Guidão JMC, Silva MS. Gerenciamento do processo de mudança em enfermagem. In: Harada MJCS, organizador. Gestão em enfermagem. São Paulo: Yendis; 2011. 256 p.

Kurcgant P, coordenador. Gerenciamento em enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005.

Passos JP, Ciosak SI. A concepção dos enfermeiros no processo gerencial em Unidade Básica de Saúde. Rev Esc Enferm USP. 2006;40(4):464-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342006000400003

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades [Internet]; 2015 [citado em 2016]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat.

PMC/SMS. Secretaria Municipal de Saúde. Coordenação da Atenção Primária à Saúde. Sistema de Informação da Atenção Básica. Caxias: SMS/Prefeitura de Caxias; 2013.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70; 1997. 225 p.

Santos SR. Administração aplicada à enfermagem. 3ª ed. João Pessoa: Ideia; 2007. 237 p.

Spagnol CA. Repensando a gerência em enfermagem a partir de conceitos utilizados no campo da saúde coletiva. Ciênc Saúde Coletiva. 2005;10(1):119-27. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000100019

Passos JP, Ciosak SI. Planejamento e gerência: as duas faces de uma mesma moeda. R. Pesq.: Cuid. Fundam. 2004;8(1/2):25-32.

Melleiro MM, Tronchin DMR, Ciampone MHT. O planejamento estratégico situacional no ensino do gerenciamento em enfermagem. Acta Paul Enferm. 2005;18(2):165-71 http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002005000200008

Simões ALA, Fávero N. O desafio da liderança para o enfermeiro. Rev Latino-am Enfermagem. 2003;11(5):567-73. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692003000500002

Lourenço MR, Trevizan MA. Líderes da enfermagem brasileira – sua visão sobre a temática da liderança e sua percepção a respeito da relação liderança & enfermagem. Rev Latino-am Enfermagem. 2001;9(3):14-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692001000300003

André AM, Ciampone MHT. Competências para a gestão de Unidades Básicas de Saúde: percepção do gestor. Rev Esc Enferm USP. 2007;41:835-40. http://dx.doi.org/10.1590/s0080-62342007000500017

De Lima Trindade L, Coelho Amestoy S, Adyles Muniz L, L. Biolchi T, Pires de Pires DE, Schubert Backes VM. Influência dos estilos de liderança do enfermeiro nas relações interpessoais da equipe de enfermagem. Enfermería Glob. 2011;10(22):1-9.

Fernandes MC, Barros AS, Silva LMS, Nóbrega MFB, Silva MRF, Torres RAM. Análise da atuação do enfermeiro na gerência de unidades básicas de saúde. Rev Bras Enferm. 2010;63(1):11-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672010000100002

Peduzzi M, Ciampone MHT. Trabalho em equipe e processo grupal. In: Kurcgant P, coordenador. Gerenciamento em Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005.

Colomé ICS. Trabalho em equipe no Programa de Saúde da Família na concepção de enfermeiras [dissertação]. Porto Alegre: UFRGS; 2005. 97 p.

Castilho V, Gonçalves VLM. Gerenciamento de recursos materiais. In: Kurcgant P, coordenador. Gerenciamento em enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005. p. 157-70.

Santos VC, Soares CB, Campos CMS. A relação trabalho-saúde de enfermeiros do PSF no município de São Paulo. Rev Esc. Enferm USP. 2007;41(Esp):777-8.

Jonas LT, Rodrigues HC, Resck ZM. A função gerencial do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: limites e possibilidades. Rev APS. 2011;14(1):28-38.

Greco RM. Relato de Experiência: Ensinando a administração em enfermagem através da educação em saúde. Rev Bras Enferm. 2004;54(4):504-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672004000400026

Brondani Júnior DA, Heck RM, Ceolin T, Viegas CRS. Atividades gerenciais do enfermeiro na estratégia de saúde da família. Rev Enferm UFSM. 2011;1(1): 41-50.

Felli VEA, Peduzzi M. O trabalho gerencial em enfermagem. In: Kurcgant P, coordenador. Gerenciamento em enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2005. p. 1-13.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2016.1.21028

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS