Úlceras por pressão em pacientes internados em unidades de terapia intensiva: revisão integrativa da literatura

Antonia Almeida Araújo, Ariane Gomes dos Santos

Resumo


Objetivo: Analisar a produção científica acerca de úlcera por pressão (UPP) em pacientes internados em unidades de terapia intensiva (UTI).
Materiais e Métodos: Trata-se de uma revisão integrativa da literatura. A coleta de dados foi realizada de julho a novembro de 2014, as bases de dados utilizadas foram: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), National Library of Medicine (NLM-PubMed) e Scientific Eletronic Library OnLine (SCIELO). A amostra final do estudo constituiu-se de 14 artigos. 
Resultados: Os conteúdos dos artigos foram divididos em três categorias analíticas: “relação entre a prevenção de UPP e assistência de enfermagem em UTI” (71,4% dos artigos), “fatores de risco para UPP em pacientes internados em UTI” (64,2%) e “fatores propulsores de assistência de enfermagem qualificada” (35,7%). A pesquisa pôde constatar a viabilidade clínica da escala de Braden e a inegável importância da mudança de posicionamento, considerada como a principal ação da equipe de enfermagem na prevenção de UPP.
Conclusões: Pacientes internados em UTI estão mais expostos ao desenvolvimento de UPP, cabe à equipe de enfermagem realizar um cuidado sistematizado e adotar a construção de uma cultura de avaliação orientada por um paradigma educativo, que preconiza um olhar contínuo para a melhoria do serviço prestado. É necessária a realização de educação em saúde e discussões acerca da temática, assim como novas pesquisas que continuem avaliando os riscos associados ao surgimento das UPP.


Palavras-chave


úlcera por pressão; enfermagem; unidades de terapia intensiva.

Texto completo:

PDF

Referências


European Pressure Ulcer Advisory Panel and National Pressure Ulcer Advisory Panel. Prevention and treatment of pressure ulcers: quick reference guide [Internet]. Washington DC: National Pressure Ulcer Advisory Panel; 2009 [cited 2016]. Available from: http://www. epuap.org/guidelines/Final_Quick_Treatment.pdf

Brandão ES, Mandelbaum MHS, Santos I. A challenge in nursing care: preventing pressure ulcers in the client. J Nurs UFPE. 2012;6(8):1965-70.

Freitas MC, Medeiros ABF, Guedes MVC, Almeida PC, Galiza FT, Nogueira JM. Úlcera por pressão em idosos institucionalizados: análise da prevalência e fatores de risco. Rev Gaúcha Enferm. 2011;32 (1):143-50. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472011000100019

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 529/gm de 1 de Abril de 2013. Programa Nacional de Segurança do Paciente. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária Implantação do Núcleo de Segurança do Paciente em Serviços de Saúde – Série Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde/Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa; 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Protocolo para prevenção de úlcera por pressão. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Casaburi RP, Westin UM, Mascarenhas SHZ. Elaboração e avaliação de conteúdo educacional sobre úlceras por pressão. J Health Inform. 2012;4(Esp.):120-4.

Oliveira SKP, Queiroz APO, Matos DPM, Moura AF, Lima FET. Temas abordados na consulta de enfermagem: revisão integrativa da literatura. Rev Bras enferm. 2012;65(1):155-61. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672012000100023

Santos CT, Oliveira MC, Pereira AGS, Suzuki LM, Lucena AF. Indicador de qualidade assistencial úlcera por pressão: análise de prontuário e de notificação de incidente. Rev Gaúcha Enferm. 2013;34(1): 111-8. http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472013000100014

Simão CMF, Caliri MHL, Santos CB. Concordância entre enfermeiros quanto ao risco dos pacientes para úlcera por pressão. Acta Paul Enferm. 2013;26(1):30-5. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000100006

Haesler E, editor, National Pressure Ulcer Advisory Panel. European Pressure Ulcer Advisory Panel and Pan Pacific Pressure Injury Alliance. Prevention and Treatment of Pressure Ulcers: quick reference guide. Cambridge Media: Perth; 2014.

Medeiros ABF, Lopes CHAF, Jorge MSB. Análise de prevenção e tratamento de úlceras por pressão propostos por enfermeiros. Rev Esc Enferm USP. 2009;43(1):223-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342009000100029

Silva MLN, Caminha RTÓ, Oliveira SHS, Diniz ERS, Oliveira JL, Neves VSN. Úlcera por pressão em unidade de terapia intensiva: análise da incidência e lesões instaladas. Rev Rene; 2013;14(5): 938-44.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2008;17(4):758-64. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Fernandes NCS, Torres GV, Vieira D. Fatores de risco e condições predisponentes para úlcera de pressão em pacientes de terapia intensiva. Rev Eletrônica Enferm. 2008;10(3): 733-46.

Soares DAS, Vendramin FS, Pereira LMD, Proença PK, Marques MM. Análise da incidência de úlcera de pressão no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência em Ananindeua, PA. Rev Bras Cir Plást. 2011;26(4):578-81.

Martins DA, Soares FR. Conhecimento sobre prevenção e tratamento de úlceras de pressão entre trabalhadores de enfermagem em um hospital de Minas Gerais. Cogitare Enferm. 2008;13(1):83-7. http://dx.doi.org/10.5380/ce.v13i1.11956

Stein EA, Santos JLG, Pestana AL, Guerra ST, Prochnow AG, Erdmann AL. Ações dos enfermeiros na gerência do cuidado para prevenção de úlceras por pressão em unidade de terapia intensiva. R Pesq Cuid Fundam. 2012;4(3):2605-12.

Rangel EML, Caliri MHL. Uso das diretrizes para tratamento da úlcera por pressão por enfermeiros de um hospital geral. Rev Eletrônica Enferm. 2009;11(1):70-7.

Cremasco MF, Wenzel F, Sardinha FM, Zanei SSV, Whitaker IY. Úlcera por pressão: risco e gravidade do paciente e carga de trabalho de enfermagem. Acta Paul Enferm. 2009;2(2):897-902. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002009000700011

Silva DP, Barbosa MH, Araújo DF, Oliveira LP, Melo AF. Úlcera por pressão: avaliação de fatores de risco em pacientes internados em um hospital universitário. Rev Eletrônica Enferm. 2011;13(1): 118-23.

Silva EWNL, Araújo RA, Oliveira EC, Falcão VTF. Aplicabilidade do protocolo de prevenção de úlcera de pressão em unidade de terapia intensiva Rev Bras Ter Intensiva. 2010;22(2):175-85. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2010000200012

Gomes FSL, Bastos MAR, Matozinhos FP, Temponi HR, Meléndez GV. Avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos. Rev Esc Enferm USP. 2010;45(2):313-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000200002

Dantas, ALM, Ferreira PC, Diniz KD, Medeiros ABA, Lira ALBC. Prática do enfermeiro intensivista no tratamento de úlceras por pressão. J Res: Fundam Care. 2014;6(2):716-24. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2014v6n2p716

Tabari L. Preparo do leito da ferida antes do tratamento cirúrgico da úlcera por pressão em indivíduos com lesão medular [dissertação]. Brasília, DF: Departamento de Enfermagem da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB; 2014.

Mattia AL, Rocha AM, Barbosa MH, Guimarães MAMC, Borgato MO, Silva SRR, Freitas Filho JPA. Úlcera por Pressão em UTI: fatores de risco e medidas de prevenção. Saúde Colet. 2010;7(46):297-9.

Bavaresco T, Medeiros RH, Lucena AF. Implantação da escala de braden em uma unidade de terapia intensiva de um hospital universitário. Rev Gaúcha Enferm. 2011;32(4):703-10.

Costa IG, Caliri MHL. Validade preditiva da escala de Braden para pacientes de terapia intensiva. Acta Paul Enferm. 2011;4(6):772-7. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002011000600007

Gomes FSL, Bastos MAR, Matozinhos FP, Temponi HR, Meléndez GV. Fatores associados a ulcera por pressão em pacientes internados nos centros de terapia intensiva de adultos. Rev Esc Enferm USP. 2010;44(4):1070-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000400031

Almeida R A, Bastos RAA, Almeida FCA, Pequeno GA, Vasconcelos JMB, Rodrigues FA. Avaliação da utilização de protocolos na prevenção de úlceras por pressão. Ciênc. Saúde. 2012;5(2):125-31.

Sousa CA, Santos I, Silva LD. Aplicando recomendações da Escala de Braden e prevenindo úlceras por pressão - evidências do cuidar em enfermagem. Rev Bras Enferm. 2006;59(3):279-84. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672006000300006

Rogenski NMB, Santos VLCG. Estudo sobre a incidência de úlceras por pressão em um hospital universitário. Rev Latino-Am Enfermagem. 2005;13(4):474-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692005000400003

Thomas DR. Prevention and treatment of pressure ulcers. J Am Med Dir Assoc. 2006;7(1):46-59. http://dx.doi.org/10.1016/j.jamda.2005.10.004

Araújo AMT, Moreira MP, Caetano JA. Avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos. Rev Enferm UERJ. 2011;19(1): 58-63

Miyazaki MY, Caliri MHL, Santos CB. Conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção da úlcera por pressão. Rev Latino- Am Enfermagem. 2010;18(6):10.

Araújo CRDA. Enfermagem e a utilização da escala de Braden em úlcera por pressão. Rev Enferm UERJ. 2010;18(3):359-64.

Dealey, C. Cuidando de feridas: um guia para enfermeiras. 3. ed. São Paulo: Atheneu; 2008.

Shahin ES, Dassen T, Halfens RJG: Pressure ulcer prevalence and incidence in intensive care patients: a literature review. Nurs Crit Care. 2008;13(2):71-9. http://dx.doi.org/10.1111/j.1478-5153.2007.00249.x

Araujo TM, Araujo MFM, Caetano JÁ, Galvão MTG, Damasceno MMC. Diagnósticos de enfermagem para pacientes em risco de desenvolver úlcera por pressão. Rev Bras. Enferm. 2011;64(4): 671-6. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672011000400007

Fernandes ML, Caliri MHL, Haas MJ. Efeito de intervenções educativas no conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção de úlceras pressão. Acta Paul Enferm. 2008;2(2):305-11.

Juchem GMSSM, Falk BC, Magalhães MLR, Suzuki AMM, Midori L. Construção e implantação de dois indicadores de qualidade assistencial de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm. 2009;30(1): 136-40.

Lise F, Silva LC. Prevenção de úlcera por pressão: instrumentalizando a enfermagem e orientando o familiar cuidador. Acta Sci. Health Sci. 2007;29(2):85-9.

Madigan MT, Martinko JM, Dunlap PV, Clark DP. Microbiologia de Brock. 12ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2010.

Smith DM, Snow DE, Rees E, Zischkau AM, Hanson JD, Wolcott RD, Sun Y, White J, Kumar S, Dowd SE. Evaluation of the bacterial diversity of pressure ulcers using bTEFAP pyrosequencing. BMC Med Genomics. 2010;3:41. http://dx.doi.org/10.1186/1755-8794-3-41

Romanelli M, Dini V, Barbanera S, Bertone MS. Evaluation of the efficacy and tolerability of a solution containing propyl betaine and polihexanide for wound irrigation. Skin Pharmacol Physiol. 2010;23 Suppl:41-4. http://dx.doi.org/10.1159/000318266

Beele H, Meuleneire F, Nahuys M, Percival SL. A prospective randomised open label study to evaluate the potential of a new silver alginate/carboxymethylcellulose antimicrobial wound dressing to promote wound healing. Int Wound J. 2010;7(4):262-70. http://dx.doi.org/10.1111/j.1742-481X.2010.00669.x




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2016.1.20804

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS