Mensuração de feridas: revisão da literatura

Thaís Dresch Eberhardt, Marciane Kessler, Rhea Sílvia de Ávila Soares, Suzinara Beatriz Soares de Lima, Graziele Gorete Portella da Fonseca, Liane Rocha Rodrigues

Resumo


Objetivo: Identificar a produção científica acerca da mensuração de feridas.
Materiais e Métodos: Revisão narrativa da literatura. A busca foi realizada nas bases de dados Literatura Latinoamericana e do Caribe em Ciências da Saúde e na Cumulative Index to Nursing & Allied Health Literature, em junho de 2014, sendo a análise dos dados realizada a partir da proposta operativa de Minayo.
Resultados: Nove estudos foram incluídos nesta revisão, possibilitando identificar que a mensuração de feridas pode ser desenvolvida por meio de métodos invasivos ou não invasivos. Dentre os estudos selecionados, cinco relatavam sobre técnicas não invasivas, dois estudos abordaram técnicas invasivas e dois estudos relatavam sobre técnicas invasivas versus não invasivas para mensuração de feridas. As técnicas não invasivas têm sido desenvolvidas e aprimoradas com o objetivo de minimizar as limitações das técnicas invasivas de mensuração.
Conclusão: A análise dos estudos possibilitou identificar que a mensuração de feridas pode ser desenvolvida por meio de métodos invasivos como o decalque ou traçado de acetato e a mensuração por meio da régua de papel descartável; ou não invasivos como as fotografias digitais. Destaca-se que tanto as técnicas invasivas, quanto as não invasivas de mensuração, podem utilizar aferições manuais ou computacionais, sendo que maioria das pesquisas desta revisão apresentam métodos não invasivos de mensuração.


Palavras-chave


enfermagem; gestão em saúde; pesos e medidas; cicatrização; ferimentos e lesões.

Texto completo:

PDF

Referências


Scemons D, Elston D. Nurse to nurse: cuidados com feridas. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Sehnem GD, Busanello J, Silva FM, Poll MA, Borges TAP, Rocha EN. Dificuldades enfrentadas pelos enfermeiros no cuidado de enfermagem a indivíduos portadores de feridas. Ciênc cuid saude 2015;14(1):839-46. http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v14i1.20949

Keast DH, Bowering CK, Evans AW, Mackean GL, Burrows C, D’Souza L. MEASURE: a proposed assessment framework for developing best practice recommendations for wound assessment. Wound Repair Regen 2004;12:S1-17. http://dx.doi.org/10.1111/j.1067-1927.2004.0123S1.x

Carvalho DV, Gomes FSL, Carmo DJAC, Batista JA, Viana MN. Planimetria como método para mensuração de feridas. Reme Rev Min Enferm 2006;10(4):425-8.

Ferreira AM, Rigotti MA, Barcelos LS, Simão CMF, Ferreira DN, Gonçalves RQ. Knowledge and practice of nurses about care for patients with wounds. Rev pesqui cuid fundam (Online) 2014; 6(3):1178-90. http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2014v6n3p1178

Rother ET. Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta paul enferm 2007;20(2):v-vi. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002007000200001

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13 ed. São Paulo: Hucitec; 2013.

Krouskop TA, Baker R, Wilson MS. A noncontact wound measurement system. J Rehabil Res Dev 2002;39(3):337-46.

Falcão SC, Coelho ARB, Almeida EL, Galdino CAPM. Processo modificado de reprodução e amplificação de imagem para mensuração de área por planimetria: Aplicação em feridas planas produzidas em cães, tratadas por curativos oclusivos de pele de rã. Braz j vet res anim sci 2001;38(4):165-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-95962001000400004

Gethin G, Cowman S. Wound measurement comparing the use of acetate tracings and Visitrak digital planimetry. J Clin Nurs 2006;15(4):422-7. http://dx.doi.org/10.1111/j.1365-2702.2006.01364.x

Lopes AG, Soares MC, Santana LA, Guadagnin RV, Neves RS. Aferição não-invasiva de úlcera por pressão simulada em modelo plano. Rev Bras Enferm 2009;62(2):200-3. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672009000200005

Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Área Técnica de Dermatologia Sanitária. Manual de condutas para úlceras neurotróficas e traumáticas. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.

Reis CLD, Cavalcante JM, Rocha Júnior EFR, Neves RS, Santana LA, Guadagnin RV, Brasil LM. Mensuração de área de úlceras por pressão por meio dos softwares Motic e do AutoCAD®. Rev Bras Enferm 2012;65(2):304-8. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672012000200016

Sprigle S, Nemeth M, Gajjala A. Iterative design and testing of a hand held, non-contact wound measurement device. J Tissue Viability 2012;21(1):17-26. http://dx.doi.org/10.1016/j.jtv.2011.09.001

Poucke SV, Nelissen R, Jorens P, Haeghen YV. Comparative analysis of two methods for wound bed area measurement. Int Wound J 2010;7(5):366-77. http://dx.doi.org/10.1111/j.1742-481X.2010.00701.x

Papazoglou ES, Zubkov L, Mao X, Neidrauer M, Rannou N, Weingarten MS. Image analysis of chronic wounds for determining the surface area. Wound Repair Regen 2010;18(4):349-58. http://dx.doi.org/10.1111/j.1524-475X.2010.00594.x

Galvão MTG, Alexandre HO, Dantas PB, Lima ICV, Lopes EM. Uso da fotografia no processo do cuidar: tendências das ações de enfermagem. Cienc enferm 2013;19(3);31-9.

Cooper DM. Assessment, measurement, and evaluation: their pivotal roles in wound healing. In: Bryant RA. Acute and chronic wounds: nursing management. 2rd ed. St. Louis: Mosby; 2000. p. 51-83.

Baumgarten M, Margolis DJ, Selekof JL, Moye N, Jones PS, Shardell M. Validity of pressure ulcer diagnosis using digital photography. Wound Repair Regen 2009;17(2):287-90. http://dx.doi.org/10.1111/j.1524-475X.2009.00462.x

Lagan KM, Dusoir AE, McDonough SM, Baxter GD. Wound measurement: the comparative reliability of direct versus photographic tracings analyzed by planimetry versus digitizing techniques. Arch Phys Med Rehabil 2000;81(8):1110-6. http://dx.doi.org/10.1053/apmr.2000.6281

Haghpanah S, Bogie K, Wang X, Banks PG, Ho CH. Reliability of electronic versus manual wound measurement techniques. Arch Phys Med Rehabil 2006;87(10):1396-402. http://dx.doi.org/10.1016/j.apmr.2006.06.014




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2015.2.19947

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS