Características antropométricas e hábitos alimentares de escolares

Daniele Almeida Saraiva, Bianca da Conceição Cabral, Hellen Cristina Campos de Moraes, Luciana Soares do Nascimento, Luisa Margareth Carneiro Silva, Andréa das Graças Ferreira Frazão, Rosa Maria Dias, Claudia Daniele Tavares Dutra

Resumo


Objetivo: Estudar as características antropométricas e os hábitos alimentares de escolares do ensino fundamental de uma escola pública do município de Belém- PA.
Materiais e Métodos: Trata-se de um estudo transversal que analisou dados sociodemográficos, antropométricos e alimentares de escolares do 2º ao 5º ano, no período de agosto a dezembro de 2013. Para classificação do estado nutricional foi utilizado o cálculo do índice de massa corporal (IMC), enquanto que a avaliação dos hábitos alimentares foi realizada por meio de um questionário de frequência alimentar.
Resultados: Foram estudados 111 escolares, sendo 51,40% adolescentes. As crianças e os adolescentes eram na sua maioria do sexo feminino (57,66%), com média de idade de 8,25±0,70 e 11,01±1,60 anos, respectivamente. Foi observado que a maioria das crianças e adolescentes apresentou estado nutricional adequado. Entretanto foi verificado um percentual considerável de excesso de peso: para as crianças, segundo peso/idade (18,50%) e IMC/ Idade (33,30%) para o sexo feminino (p=0,016), e para os adolescentes (IMC/I: 26,30%), sem diferença estatística entre os sexos. Os hábitos alimentares indicaram um consumo insuficiente de alimentos considerados protetores para doenças cardiovasculares como: feijão (54,50%), frutas (70,90%), salada crua (58,70%), verduras e legumes cozidos (58,60%), e um consumo considerável de alimentos de risco como: carne com gordura (17,9%), frango com pele (21,10%), fritura (40,20%), refrigerantes (41,30%), salgados fritos e salgadinhos de milho (36,60%).
Conclusão: Observou-se que a maioria dos escolares apresentava estado nutricional de eutrofia, entretanto foi constatado um percentual considerável de excesso peso e uma alimentação inadequada.


Palavras-chave


estado nutricional; hábitos alimentares; escolares.

Texto completo:

PDF

Referências


Kaufmann CC, Albernaz EP. Prevalência e fatores associados ao excesso de peso em crianças de uma coorte no Sul do Brasil. Cienc. Saude 2013;6(3):172-80.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2013. 84 p.

Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: Antropometria e Estado nutricional de Crianças, Adolescentes e Adultos no Brasil Rio de Janeiro: IBGE; 2010. 130 p.

Spinelli MGN, Morimoto JM, Freitas APG, Barros CM, Dias DHS, Pioltine MB, Gonçalves PPO, Navarro RB. Estado nutricional e consumo alimentar de pré- escolares e escolares de escola privada. Cienc Saude 2013;6(2):94-101.

Aquilla R. A educação alimentar e nutricional no espaço escolar: saber, sabor e saúde [dissertação]. Ijuí (RS): Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, 2011.

Silva EB, Martens IBG, Tuma RB, Siqueira YM. Educação nutricional aplicada à mudança de conhecimentos, atitudes e práticas alimentares dos escolares de uma Escola de Belém- PA. Nutr pauta 2012;112:41-5.

Salvi C, Ceni GC. Educação nutricional para pré-escolares da Associação Creche Madre Alix. Vivências Rev Eletronica Extensão URI 2009;5(8):71-6.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: norma técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2011. 76 p.

World Health Organization. WHO Reference 2007: growth reference data 5-19 years. [online]. Switzerland: WHO; 2007. [capturado 2014 Jan 02]. Disponível em: http://www.who.int/growthref/en.

Fisberg RM, Martini LA, Slater B. Métodos de inquéritos alimentares. In: Fisberg RM, Slater B, Marchioni DML, Martini LA. Inquéritos alimentares: métodos e bases científicos. São Paulo: Manole; 2005. p. 1-31.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Dez passos para uma alimentação saudável para crianças de 2 a 10 anos. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2007.

Alcântara Neto OD, Silva RCR, Assis AMO, Pinto EJ. Fatores associados à dislipidemia em crianças e adolescentes de escolas públicas de Salvador, Bahia. Rev Bras Epidemiol 2012;15(2): 335-45. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2012000200011

Mariz LS, Medeiros CCM, Vieira CENK, Enders BC, Coura AS. Modificação na frequência alimentar de crianças e adolescentes: acompanhamento em serviço de referência. Rev Latino-Am Enfermagem 2013;21(4):973 81. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692013000400020

Ribeiro AA. Sobre uma “pedagogia da morenidade”: gênero e mestiçagem entre estudantes de duas escolas de Belém do Pará. Rev acad educa do ISE Vera Cruz 2012;2(1):114-29. http://dx.doi.org/10.14212/veras.vol2.n1.ano2012.art82

Santos GG, Sousa JB, Toscano MB, Morais MEA. Hábitos alimentares e estado nutricional de adolescentes de um centro de juventude da cidade de Anápolis. Ens cienc: Ciências biológicas, agrárias e da saúde 2011;15(1):141-51.

Pedrosa OP, Neto WNR, Silva AC, Pinho ST, Alves DM. Composição corporal de escolares da rede de ensino pública e privada em uma cidade da Região Norte. Anais da Semana Educa 2010;1(1).

Medeiros CCM, Cardoso MAA, Pereira RAR, Alves GTA, França ISX, Coura AS, Carvalho DF. Estado nutricional e hábitos de vida em escolares. Rev Bras Crescimento Desenvolvimento Hum 2011;21(3):789-97.

Souza JB, Enes CC. Influência do consumo alimentar sobre o estado nutricional de adolescentes de Sorocaba-SP. J Health Sci Inst 2013;31(1):65-70.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: nutrição infantil – aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2009. 112 p.

Krinski K, Elsangedy HM, Hora S, Rech CR, Legnani E, Santos BV, Campos W, Silva SG. Estado nutricional e associação do excesso de peso com gênero e idade de crianças e adolescentes. Rev bras cineantropom desempenho hum 2011;13(1):29-35.

De Paula DV, Botelho LP, Zanirati VF, Lopes ACS, Santos LC. Avaliação nutricional e padrão de consumo alimentar entre crianças beneficiárias e não beneficiárias de programas de transferência de renda, em escola municipal do Município de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, Brasil, em 2009. Epidemiol Serv Saúde 2012;21(3):385-94. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742012000300004

Brasil. Ministério da Saúde. Secretária de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfretamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2011. 148 p.

Brasil. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE. Diretoria de Pesquisas. Coordenação de População e Indicadores Sociais. Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2009. Rio de Janeiro: IBGE; 2009.

Carvalho AP, Oliveira VB, Santos LS. Hábitos alimentares e práticas de educação nutricional: atenção a crianças de uma escola municipal de Belo Horizonte, Minas Gerais. Pediatria (São Paulo) 2010;32(1):20-7.

Meireles AL. Xavier CC, Sales ADF, Abreu MNS, Malta DC, Caiaffa WT. Perfil alimentar de adolescentes e adultos jovens em Belo Horizonte segundo perfil antropométrico e contexto de moradia. Rev Med Minas Gerais 2013;23(supl 2):S12-9.

Portinho JA, Zimmermann LM, Bruck MR. Efeitos benéficos do Açaí. Int J Nutr 2012;5(1):15-20.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2015.2.19657

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS