Consumo de alimentos dos grupos que compõem a pirâmide alimentar americana por idosos brasileiros: uma revisão

Rúbia Garcia Deon, Rosane Dias da Rosa, Vivian Polachini Skzypek Zanardo, Vera Elizabeth Closs, Carla Helena Augustin Schwanke

Resumo


Introdução: A pirâmide alimentar adaptada para a população idosa americana é um guia alimentar que destaca a importância da alimentação equilibrada para o envelhecimento bem sucedido.
Objetivo: Apresentar uma revisão literária sobre as evidências do consumo de alimentos dos grupos que compõem a pirâmide alimentar americana por idosos brasileiros.
Materiais e Métodos: Foram incluídos artigos científicos (identificados no LILACS e Medline/PubMed), dissertações e teses (identificadas no portal da CAPES), relatórios técnico-científicos, guias e livros. Os termos de busca e operadores boleanos utilizados foram: (“guias alimentares” ou “consumo de alimentos” ou “nutrição”) E (“idoso” ou “envelhecimento”) e seus correlatos em inglês, publicados entre 2000-2014, envolvendo seres humanos.
Resultados: Em idosos brasileiros de diferentes contextos e de diferentes regiões, o consumo de alimentos pertencentes a oito dos nove grupos da pirâmide adaptada para a população idosa americana (cereais/pães/tubérculos/raízes, hortaliças, frutas, leguminosas, leite/derivados, carnes/ovos, açúcares/doces e água) não é adequado. Somente em relação ao consumo de gorduras e óleos os dados mostraram-se controversos, apontando tanto adequação (em relação ao consumo de colesterol, gordura saturada, ácidos graxos monoinsaturados e ácidos graxos poli-insaturados) quanto inadequação (especialmente em relação ao consumo de ácidos graxos saturados).
Conclusão: As evidências apontam que o consumo, por idosos brasileiros, dos alimentos integrantes dos grupos da pirâmide alimentar adaptada para a população idosa americana, em geral, não está adequado.

 


Palavras-chave


Guias alimentares. Consumo de alimentos. Nutrição do idoso. Idoso. Envelhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


Beltrão KI, Camarano AA, Kanso S. Dinâmica populacional brasileira na virada do século XX. Instituto de pesquisa econômica aplicada (IPEA). Rio de Janeiro (RJ): IPEA; 2004. Texto para discussão 1034.

Veras R. Envelhecimento populacional contemporâneo- demandas, desafios e inovações. Rev Saude Publica. 2009;43(3):548-54. http:// dx.doi.org/10.1590/S0034-89102009000300020

Terra NL, El-Kik RM, Watte M, Vieira JMS, Marchi DSM, David CN, Souza CG, Teixeira AS. Alimentação saudável: é possivel ter uma alimentação equilibrada. In: Terra NL, El-Kik RM, Watte M, Vieira JMS, Marchi DSM, David CN, Souza CG, Teixeira AS, editores. A nutrição e as doenças geriátricas. Porto Alegre: EDIPUCRS; 2011. p. 11-20.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Caderno de atenção básica 19 - Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009. 36 p.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de atenção Básica. Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2014. 87 p.

Lanzillotti HS, Couto SRM, Afonso FM. Pirâmides alimentares: uma leitura semiótica. Rev Nutr. 2005;18(6):785-92. http://dx.doi. org/10.1590/S1415-52732005000600009

Lictenstein AH, Rasmussen H, Yu WW, Epstein SR, Russel RM. Modified MyPyramid for Older Adults. J Nutr. 2008;138:78-82.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasilia (DF): Ministério da Saúde; 2008. 210 p.

Mattos LL, Martins IS. Consumo de fibras aliamentares em população adulta. Rev Saude Publica. 2000;34(1):50-5. http:// dx.doi.org/10.1590/S0034-89102000000100010

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de atenção Básica. Alimentacao saudavel para a pessoa idosa: um manual para profissionais de saúde. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2009. 36 p.

Fisberg RM, Marchioni DM, Castro MA, Verly Junior E, Araújo MC, Bezerra IN, Pereira RA, Sichieri R. Ingestão inadequada de nutrientes na população de idosos do Brasil. Rev Saude Publica. 2013;47(1 Suppl):222S-30S. http://dx.doi.org/10.1590/S0034- 89102013000200008

Malta MB, Papini SJ, Corrente JE. Avaliação da alimentação de idosos de município paulista: aplicação do IAS. Clín Saúde Colet. 2013;18 (2):377-84. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232013000200009

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. [capturado 2012 ago. 5]. Disponível em: www.anvisa.gov.br

Carvalho PGB, Machado CMM, Moretti CL, Fonseca MEN. Hortaliças como alimentos funcionais. Hort Bras. 2006;24(4):397- 404. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-05362006000400001

Cerqueira FM, Medeiros MHG, Augusto O. Antioxidantes dietéticos controvérsias e perspectivas. Quim Nova. 2007;30(2):441-9. http:// dx.doi.org/10.1590/S0100-40422007000200036

Viebig RF, Pastor-Valero M, Scazufca M, Menezes PR. Consumo de frutas e hortaliças por idosos de baixa renda na cidade de São Paulo. Rev Saude Publica. 2009;43(5):806-13. http://dx.doi.org/10.1590/ S0034-89102009005000048

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísitica. Pesquisa de orçamentos familiares 2008-2009: análise do consumo alimentar pessoal do Brasil. Rio de Janeiro (RJ): IBGE; 2010. 150 p.

Levy-Costa RB, Sichieri R, Pontes NS, Monteiro CA. Disponibilidade domiciliar de alimentos no Brasil distribuição e evolução (1974- 2003). Rev Saude Publica. 2005;39(4):530-40. http://dx.doi.org/ 10.1590/S0034-89102005000400003

Jaime PC, Monteiro CA. Fruit and vegetable intake by Brazilian adults, 2003. Cad Saúde Pública. 2005;21(Sup):519-24.

Carlos JV, Rolim S, Bueno MB, Fisberg RM. Porcionamento dos principais alimentos e preparações consumidos por adultos e idosos residentes no município de São Paulo. Rev Nutr. 2008;21(4): 383-91. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732008000400002

Organização Pan-Americana da Saúde. Doenças crônicodegenerativas e obesidade: estratégia mundial sobre alimentação saudável, atividade física e saúde. Brasília (DF): OPAS; 2003. 60 p.

Closs VE, Feoli AMP, Gomes I, Schwanke CHA. Healthy eating index of eldely: description and association with energy, macronutrients and micronutrients intake. Arch Latinoam Nutr. 2014;64(1):34-41.

Martins JM, Bento OP. As leguminosas como alimentos funcionais: o caso das dislipidémias e das doenças cardiovasculares. Rev Ciências Agrárias. 2007;30(1):385-99.

Anderson JW, Major AW. Pulses and lipaemia, short- and long-term effect: potential in the prevention of cardiovascular disease. Br J Nutr. 2002;88(Suppl 3):S263-71. http://dx.doi.org/10.1079/BJN2002716

Madar Z, Stark AH. New legume sources as therapeutic agents. Br J Nutr. 2002;88(Suppl 3):S287-92. http://dx.doi.org/10.1079/ BJN2002719

Merritt JC. Metabolic syndrome: soybean foods and serum lipids. J Natl Med Assoc. 2004;96(8):1032-41.

Embrapa. Cultivo do Feijão da primeira e segunda safras na Região Sul de Minas Gerais 2005 [capturado 2015 jan. 08].

Souza DD. Consumo de produtos lácteos informais, um perigo para a saúde pública: estudo dos fatores relacionados a esse consumo no município de Jacareí-SP [dissertação]. São Paulo: USP; 2005.

Passanha A, Garcia HS, Cervato-Mancuso AM, Andrade SC, Vieira VL. Milk consumption profile in elderly people. J Human Growth Develop. 2011; 21(2):319-26.

Marucci MFN, Ferreira LS. Ações preventivas na terceira idade. In: Filho WJ, Gorzoni ML. Geriatria e Gerontologia: o que todos devem saber. São Paulo: Roca; 2008. p. 461-88.

Haraguchi FK, Abreu WC, Paula H. Proteínas do soro do leite: composição, propriedades nutricionais, aplicações no esporte e benefícios para a saúde humana. Rev Nutr. 2006;19(4):479-88. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-52732006000400007

Martini LA, Wood RJ. Milk intake and the risk of type 2 diabetes mellitus, hypertension and prostate cancer. Arq Bras Endocrinol Metabol. 2009;53(5):688-94. http://dx.doi.org/10.1590/S0004- 27302009000500021

Vieira JM. Hábitos Dietéticos y situación nutricional de personas de edad avanzada de Rio Grande do Sul (Brasil) de três etnias diferentes [tese]. Madrid: Universidad Complutense de Madrid; 2007.

Sachs A, Oliveira PA, Magnoni D. Riscos nutricionais na terceira idade. In: Magnoni D, Cukier C, Oliveira PA. Nutrição na terceira idade. São Paulo: Sarvier; 2005. p. 43-52.

Lanou AJ. Should dairy be recommended as part of a healthy vegetarian diet? Counterpoint. Am J Clin Nutr. 2009;89(5):1638S-42S. http:// dx.doi.org/10.3945/ajcn.2009.26736P

Weaver CM. Should dairy be recommended as part of a healthy vegetarian diet? Point Am J Clin Nutr. 2009;89(5):1634S-7S. http:// dx.doi.org/10.3945/ajcn.2009.26736O

Cozzolino SMF, Cominetti C, Bortoli MC. Grupo das carnes e ovos. In: Philippi ST. Pirâmide dos alimentos: fundamentos básicos da nutrição. Barueri (SP): Manole; 2008. p. 167-209.

Marucci MFN, Alves RP, Gomes MMBC. Nutrição em Gerontologia. In: Silva SMCS, Mura JDP. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia. São Paulo (SP): Roca; 2010.

Martino NMB, Martino HSD. Biodisponibilidade de minerais. In: Silva SMCS, Mura JDP. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia. São Paulo (SP): Roca; 2010.

Cardiologia SB. IV Diretriz brasileira sobre dislipidemias e prevenção de aterosclerose. Arq Bras Cardiol. 2007;88(1):2-19.

Philippi ST, Silva GV, Pimentel CVMB. Grupo dos açúcares e doces. In: Philippi ST. Pirâmide dos alimentos: fundamentos básicos da nutrição. Barueri (SP): Manole; 2008. p. 293-314.

World Health Organization. Global Strategy on Diet, Physical Activity and Health. Fifty-seventh World Health Assembly. Genebra: WHO; 2004.

Bueno MB, Marchioni DML, César CLG, Fisberg RR. Added sugars: consumption and associated factors among adults and the elderly. São Paulo, Brazil. Rev Bras Epidemiol. 2012;15(2):256-64. http:// dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2012000200003

Lottenberg AMP, Buonacorso V. Gordura alimentar e a síndrome metabólica. In: Giacagli LR, Silva MER, Santos RF. Tratado de síndrome metabólica. São Paulo (SP): Roca; 2010. p. 653-67.

Santos KMO, Aquino RC. Grupo de óleos e gorduras. In: Philippi ST. Pirâmide dos Alimentos: Fundamentos básicos da nutrição. Barueri (SP): Manole; 2008. p. 241-92.

ADA. Evidence-Based Nutrition Principles and Recommendations for theTreatment and Prevention of Diabetes and Related Complications. Diabetes Care. 2002;25(1):202-12. http://dx.doi. org/10.2337/diacare.25.1.202

Lopes ACS, Caiaffa WT, Sichieri R, Mingoti SA, Lima-Costa MF. Consumo de nutrientes em adultos e idosos em estudo de base populacional: Projeto Bambuí. Cad Saude Publica. 2005;21(4): 1201-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2005000400022

Muller AR, Wichmann FMA, Ohlweiler ZNC. Perfil lipídico da dieta alimentar como fator de risco para doenças cardiovasculares em idosas ativas. Rev Bras Geriat Gerontol. 2007;10(2):179-89.

Kuczmarski MF, Kuczmarski RJ, Najjar M. Descriptive Anthropometric Reference Data for Older Americans. J Am Diet Assoc. 2000; 100(1):59 66. http://dx.doi.org/10.1016/S0002-8223(00)00021-3

Paternez ACAL, Aquino RC. Água e eletrólitos. In: Philippi ST. Pirâmide dos Alimentos: fundamentos básicos de nutrição. Barueri (SP): Manole; 2008. p. 315-40.

IOM. Dietary Reference Intakes for water, potassium, sodium, chloride and sulfate. In: Medicine Io, editor. Washington (DC): The National Academies Press; 2004.

Carvalho APL, Zanardo VPS. Consumo de água e outros líquidos em adultos e idosos residentes no município de Erechim – Rio Grande do Sul. Perspectiva. 2010;34(125):117-28.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2015.1.18065

 

e-ISSN: 1983-652X 

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

***


Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons BY-NC 4.0 Internacional

 ***

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.   

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS