Teoria crítica, reconhecimento social e política educacional: uma análise do discurso do Programa Nacional de Inclusão de Jovens

Jean Carlo Costa, Maíra Lewtchuk Espindola

Resumo


Este artigo analisa o discurso do ProJovem a partir de seu Projeto Político Pedagógico, que tem por objetivo desenvolver o protagonismo juvenil por meio da escolarização, da orientação ao mundo do trabalho e do desenvolvimento de ações comunitárias. Do ponto de vista teórico-metodológico, este trabalho está situado na esteira da recente teoria social, nos desdobramentos da categoria do reconhecimento social, cuja utilização está associada à teoria pós-crítica, a Charles Taylor, a Nancy Fraser e a Axel Honneth. Tal abordagem permite a configuração de profícuo instrumento no entendimento da formação discursiva de política públicas, particularmente, o ProJovem, com o intuito de ressaltar, por um lado, o reconhecimento simbólico, por meio da ênfase no protagonismo juvenil e na participação paritária da comunidade, e, por outro lado, o reconhecimento distributivo, via escolarização e iniciação ao trabalho.

Palavras-chave


teoria crítica; reconhecimento social; juventude; política pública

Texto completo:

PDF


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS