Subjetividade na e pela linguagem: a construção da identidade docente

Carina Maria Melchiors Niederauer, Tânia Maris Azevedo

Resumo


Este artigo tem por objetivo abordar a construção da identidade docente pelo viés da subjetividade na linguagem. Para isso, inicialmente é apresentado o aporte teórico que fundamenta essa proposta, os estudos benvenistianos, seguidos de uma breve incursão pela filosofia buberiana, assim como pelo olhar de alguns estudiosos da Educação, quanto a como o docente se vê e se constrói como professor, demonstrando, ainda, algumas das influências externas (culturais, sociais etc.) que interferem nesse processo de constituição docente. Por fim, é feita uma análise de alguns discursos de professores que falam sobre como se veem como docentes, bem como veem o profissional de maneira geral, a fim de ser demonstrado de que forma se marcam na e pela linguagem e como por ela manifestam a subjetividade no processo de construção de sua identidade docente.


Palavras-chave


Educação; Subjetividade; Constituição da identidade docente.

Texto completo:

PDF

Referências


BENVENISTE, É. Problemas de lingüística geral I. 5. ed. Campinas: Pontes, 2005.

______. Problemas de lingüística geral II. 2. ed. Campinas: Pontes, 2006.

BUBER, M. Eu e tu. São Paulo: Moraes, 1979.

CARRARA, O. V. A relação em Martin Buber. Mimesis, v. 23, n. 1, p. 81-98, 2002.

CASTAMAN, A. S.; VIEIRA, A. M. D. P.; OLIVEIRA, D. A constituição da profissão docente: um estudo com professores da educação profissional. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 16, n. 50, p. 1009-1028, out./dez. 2016.

CAVACO, Maria Helena. Ofício de professor: o tempo e as mudanças. Profissão professor. Porto, Portugal: Porto Editora, 1995.

ENTREVISTA com um professor de idiomas online. Blazaar. Disponível em:

https://www.blazaar.com/blog/entrevistacom-um-professor-idiomas-online/. Acesso em: 24 ago. 2017.

FLORES, V. et al. (Org.). Dicionário de linguística da enunciação. São Paulo: Contexto, 2009.

______. Introdução à teoria enunciativa de Benveniste. São Paulo: Parábola, 2013.

NÓVOA, António (Org.). Profissão professor. Porto, Portugal: Porto Editora, 1995.

SACRISTÁN, J. G. Consciência e acção sobre a prática como libertação profissional dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Profissão professor. Porto, Portugal: Porto Editora, 1995.

VEIGA, I. P. A. Docência como atividade profissional. In:VEIGA, I. P. A.; D’AVILA, C. (Orgs.). Profissão docente: novos sentidos, novas perspectivas. Campinas, SP: Papirus, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2018.3.29726

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS