Políticas de internacionalização da Educação Superior: o contexto brasileiro

Olgaíses Cabral Maués, Robson dos Santos Bastos

Resumo


A internacionalização da educação superior no Brasil vem apresentando um crescimento significativo, sobretudo se considerarmos as duas últimas décadas, nas quais foram estabelecidas no país algumas políticas relativas a esse aspecto. A utilização da internacionalização como uma forma de aumentar a concorrência entre os países e de fomentar a sociedade do conhecimento tem levado alguns governos de diferentes países a instituírem políticas de educação superior que possam atender a essas demandas, o que pode significar a mercantilização do saber. O objetivo deste texto é apresentar a análise de algumas dessas políticas brasileiras de internacionalização que envolvem a mobilidade estudantil e de docentes. No estudo, procura-se identificar os principais vetores dos programas, das ações e das estratégias definidas pelos governos, buscando-se verificar as motivações de sua instituição e o conceito de internacionalização que as perpassa.


Palavras-chave


Políticas de Educação. Ensino Superior. Internacionalização da Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIATION INTERNATIONALE DES UNIVERSITÉS (AIU). Renforcer les valeurs académiques dans l’internationalisation de l’enseignement supérieur: un appel à l’action. 2012. Disponível em: . Acessado em: 20 jan. 2017.

AZEVEDO, Mário Luiz Neves de. Internacionalização ou transnacionalização da educação superior: entre a formação de um campo social global e um mercado de ensino mundializado. Crítica Educativa (Sorocaba/SP), v. 1, n. 1, p. 56-79, jan./jun. 2015.

BANCO MUNDIAL. Construir Sociedades de Conocimiento: Nuevos Desafíos para la Educación Terciaria 2003. Disponível em: . Acessado em: 10 jun. 2016.

BRASIL. Decreto nº 7.642 de 13 de dezembro de 2011. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF – Seção 1 – 14/12/2011, Página 7. Disponível em: . Acessado em: 2 abr. 2016.

BRASIL. MEC. INEP. Censo da Educação Superior 2016. Notas Estatísticas. 2016. Disponível em:

notas_sobre_o_censo_da_educacao_superior_2016.pdf>. Acessado em: 20 set. 2017.

BRASIL. SENADO FEDERAL Secretaria d Transparência Coordenação de Controle Social de Pesquisa DataSenado. Pesquisa de Opinião Avaliação do Programa Ciência sem Fronteiras, 2015. Disponível em: . Acessado em: 4 jun. 2016.

BRASIL. Ciência sem Fronteiras. Disponível em: . Acesso em: 2017.

COMITÉ ÉCONOMIQUE ET SOCIAL EUROPÉEN. L’enseignement supérieur européen dans le monde. 2014.

Disponível em:

education-et-formation>. Acessado em: 21 ago. 2017.

HUGONNIER, Bernard. L’internationalisation de l’éducation supérieure conséquences pour le monde et pour la France. 2006. Disponível em: . Acessado em: 03 ago. 2017.

KNIGHT, Jane. Internationalisation de l’enseignement supérieur. In: KNIGHT, Jane; WITT, Hans de. Qualite et Internationalisation de l’Enseignement Supérieur, OCDE, 1999. Disponível em: . Acessado em: 20 maio 2017.

KNIGHT, Jane. Cinco verdades a respeito da internacionalização. International Higher Education, 2012. Disponível em: . Acessado em: 20 ago. 2017.

KNIGHT, Jane. Un Modelo de Internacionalización: Respuetas a nuevas realidades y retos. In: Educación Superior en América Latina. La Dimension Internacional, Banco Mundial, 2005. Disponível em: . Acessado em: 01 set. 2017.

LAFORESTE, Mario. Contribution pour une redéfinition de l’internationalisation universitaire. In: LAFOREST, Mario; BRETON, Gilles; BEL, David. Réflexions sur l’internationalisation du monde universitaires. Points de vue d’acteurs, Cahier n. 1 (RIMES), Paris, 2014. Disponível em:

id=873>. Acessado em: 20 ago. 2017.

MOROSINI, Marília Costa. Internacionalização na Produção de Conhecimento em IES Brasileira: Cooperação Internacional Tradicional e Cooperação Internacional Horizontal. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 27, n. 01, p. 93-112, abr. 2011. Disponível em: . Acessado em: 10 jun. 2017.

OMC/GATS. Acordo Geral sobre Comércio de Serviços. 1994. Disponível em: . Acessado em: 20 ago. 2016.

SANTOS, Fernando Seabra; ALMEIDA FILHO, Naomar de. A quarta missão da Universidade: internacionalização universitária na sociedade do conhecimento. Brasília: Editora Universidade de Brasília; Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2012.

SGUISSARDI, Valdemar. Modelo de expansão da educação superior no Brasil: predomínio privado/mercantil e desafios para a regulação e a formação universitária. Educação & Sociedade, Campinas: CEDES, v. 29, n. 105, p. 991-1022, dez. 2008.

SILVA JR, João dos Reis. The New Brazilian University. A busca por resultados comercializáveis: para quem? Bauru-SP: Canal Editora, Projeto Editorial Práxis, 2017.

WEBER, Max. Coleção Os Pensadores. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

WIT, Hans de et al. L’Internationalisation de l’Enseignement Supérieur. Direction Générale des Politiques Internes. Département Thématique B: Politiques Structurelles et de Cohésion. Parlement Européen. 2015. Disponível em:

WIT, Hans de. Repensando o conceito da internacionalização. 2013. Disponível em: . Acessado em: 12 maio 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2017.3.28999




Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS