Divertida-mente: entrando no cinema pelo Projeto CineIFSC – Pipoca Educultural

Eliane Juraski Camillo, Maria dos Anjos Lopes Viella

Resumo


Este trabalho resultou do Projeto CineIFSC – Pipoca Educultural, que teve como objetivo potencializar a interpretação de textos e de mundos, via utilização do cinema com os alunos dos cursos técnicos em Fabricação Mecânica e Agroindústria do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Campus Xanxerê, no ano letivo de 2015. Assim, foi elaborado e colocado em prática o referido projeto, utilizando-se, para a coleta de dados, questionários aplicados aos alunos e professores antes da sua execução e registros dos debates realizados após a exibição dos filmes. Para fundamentar a análise, estabeleceu-se o diálogo com Catelli (2005), Duarte (2002), Napolitano (2013) e Roure (2011), entre outros. Os dados enfatizam um conjunto de habilidades e atitudes conquistadas pelos sujeitos que participaram do processo e apontam caminhos para um frutífero diálogo entre cinema e educação.


Palavras-chave


Leitura e interpretação. Cinema. Prática pedagógica.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Educação e emancipação. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

CAMILLO, E. J. Ócio e trabalho docente: um estudo em Sobradinho-RS e municípios circunvizinhos. Santa Cruz do Sul: Edunisc, 2013.

CATELLI, R. E. Aprender a ver: a irradiação da educação e da cultura, entre os anos de 1920 e 1940. In: Encontro Nacional de Estudos Multidisciplinares em Cultura – Enecult , I., 2005, Salvador. Disponível

em: . Acesso em: 12 jan. 2015.

CORDEIRO, P. A definição do sujeito no cinema – os dias estranhos do cinema ou a inconstância do eu e do outro nas personagens e no encontro entre o mundo real e a ficção. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2015.

COSTA, A. Compreender o cinema. Rio de Janeiro: Globo, 1987.

DUARTE, R. Cinema & Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

FISCHER, R. M. B.; MARCELLO, F. de A. Cinema e Educação: nos descaminhos de uma política da imagem, o encontro com a formação estética. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 35. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

LINS, H. A. de M. Cultura visual e pedagogia da imagem: recuos e avanços nas práticas escolares. Educação em Revista. Belo Horizonte, v. 30, n. 1, p. 245-260, mar. 2014.

LOPES, J. S. M. Cinema e educação: o diálogo de duas artes. Revista SCIAS Arte/Educação, v. 1. n. 1, 2013, p. 2-14. 2013.

MORAES, M. C. M. de; DUAYER, M. História, estórias: morte do “real” ou derrota do pensamento? Perspectiva, Florianópolis, v. 26, n. 29, p. 63-74, jan.-jun. 1998.

NAPOLITANO, M. Como usar o cinema na sala de aula. 5. ed., 1ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2013.

PINTO, Vinicius Soares. Zelig: o olhar de Woody Allen sobre o espetáculo pós-moderno. Temática, ano XII, n. 6, p. 62-76, jun. 2016. Namid/UFPB. Disponível em: . Acesso em: 23 mar. 2017.

ROURE, G. Q. de. Tartarugas podem voar: cinema, educação e infância. Disponível em: . Acesso em: 21 jul. 2016.

SACRAMENTO, A. J. C. O cinema na prática pedagógica: Projeto Cine Modelo, realizado no Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães. uazeiro: Universidade do Estado da Bahia, 2009.

SOUSA, B. J. de. O cinema na escola: aspectos pedagógicos do texto cinematográfico. Dissertação (Mestrado) – Universidade Católica de Goiás. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2015.

SOUZA, André Barcellos Carlos de. Cinema infantil, arte e indústria cultural. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2016.

VIELLA, M. dos A. L. Fetichismo da infância e do trabalho nos mapas do trabalho infantil. 268 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

XAVIER, I. Um cinema que “educa” é um cinema que (nos) faz pensar. Entrevista com Ismail Xavier. Educação & Realidade, Universidade Federal do Rio Grande do Sul Porto Alegre. v. 33, n. 1, p. 13-20, jan.-jun. 2008. Disponível em: . Acesso em: 25 out. 2015.

Filmografia

A VIDA é bela . Direção: Roberto Benigni. Produção: Vittorio Cecchi Gori. Local: Itália. Produtora: Estúdio Melampo Cinematográfica, 1997. 1h57min. Música: Nicola Piovani. Direção de fotografia: Torino Delli Colli. Gênero: Comédia Dramática.

ANOS de escravid ão. Direção: Steve McQueen. Produção: Steve McQueen, Brad Pitt, Dede Gardner, Jeremy Kleiner, Bill Pohlad, Arnon Milchan e Anthony Katagas. Roteiro: John Ridley. Música: Hans Zimmer. Estados Unidos. Distribuição: Fox Searchlight Pictures, Entertainment One, Buena Vista International, 2014. 2h13min. Gênero: Biografia, Drama, Histórico.

JOGADA de gênio. Autor: John Seabrook. Direção: Marc Abraham. Produtor: Gary Barber. Roteiro: Philip Railsback. 2009, Estados Unidos. Universal Pictures, 2009. 120min. Gênero: Drama.

MARY e Max : uma amizade diferente. Direção e roteiro: Adam Elliot. Produção: Matk Gooder, Paul Hardart, Tom Hardart, Bryce Menzies, Jonathan Page. Música: Dale Cornelius, 2009, Austrália, Gaumont, 2009. 92min. Gênero: Animação.

MUITO além do peso. Direção: stela Renner. Produtor: Marcos Nisti, Juliana Borges. Fotografia: Renata Ursaia. Montagem:Jordana Berg. Música: Jukebox. 2012, Brasil. Produção: Maria Farinha Filmes. 2012. 84min. Gênero: Documentário.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2017.3.26159

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS