Você brinca de boneca, mas é menino: sujeitos, gêneros e sexualidades em brincadeiras infantis

Lívia de Rezende Cardoso, Daniela Lima do Nascimento

Resumo


Analisou-se como as relações de gênero são estabelecidas em atividades lúdicas de um currículo e seus efeitos na subjetividade de meninos e meninas. A pesquisa foi desenvolvida em escola de município sergipano, durante três meses, em uma turma composta por crianças com 5 anos. No cenário observado, as relações de gênero têm suas bases firmadas na heterossexualidade. A equipe escolar e os(as) próprios(as) alunos(as) carregam consigo concepções de feminino e de masculino bem definidas. Há, também, intensa vigilância da sexualidade das crianças, na busca de estimular a heterossexualidade como norma a ser seguida e, ao mesmo tempo, contê-la. Porém, nem sempre o currículo analisado conseguiu normatizar os sujeitos, e outras possibilidades puderam ser construídas. O mais significativo foi evidenciar como o currículo escolar exerce fortes marcas na constituição de seus sujeitos.


Palavras-chave


Gênero. Sexualidade. Educação infantil.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Sandra dos Santos. Mídia, corpo e educação: a ditadura do corpo perfeito. Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre:Mediação, 2004. p. 107-120.

ARAÚJO, Emanuel. A arte da sedução: sexualidade feminina na colônia. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das mulheres no Brasil. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. p. 45-77.

AZEVEDO, Tânia Maria C. Brinquedos e gênero na Educação Infantil – um estudo do tipo etnográfico no Estado do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Psicologia e Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

BASSANEZI, Carla. Mulheres dos Anos Dourados. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das mulheres no Brasil. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. p. 607-639.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. p. 151-172.

CARDOSO, Lívia de Rezende. Relações de gênero, ciência e tecnologia no currículo de filmes de animação. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 24, n. 2, p. 463-484, jun. 2016. ISSN 0104-026X. Disponível em: .

CARDOSO, Lívia de Rezende. Conflitos de uma bruta flor: governo e quereres de gênero e sexualidade no currículo do fazer experimental. 7º Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero. Brasília: MEC, 2011. p. 1-24.

CARDOSO, Lívia de Rezende; PARAÍSO, Marlucy A. Possibilidades de uma metodologia alquimista para pesquisar em educação e em currículo. Revista e-Curriculum, São Paulo, v. 11 n. 1, abr. 2013.

CARDOSO, Lívia de Rezende; PARAÍSO, Marlucy A. Tecnologias de gênero e a produção de sujeitos no currículo de aulas experimentais de ciências. Currículo sem Fronteira, v. 15, n. 1, abr. 2015. Disponível em: .

CARVALHAR, Danielle Lameirinhas. Currículo da Educação Infantil: sexualidade e heteronormatividade na produção de identidades. In: PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Pesquisas sobre currículos e culturas: temas, embates, problemas e possibilidades. Curitiba: Editora CRV, 2010. p. 31-52.

CARVALHAR, Danielle Lameirinhas. Relações de gênero no currículo da educação infantil: a produção das identidades

de princesas, heróis e sapos. Belo Horizonte, Faculdade de Educação da UFMG, 2009.

CUNHA, Marlécio Maknamara da Silva. Currículo, gênero e nordestinidade: o que ensina o forró eletrônico? Tese (Doutorado em Educação) – Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2011.

D’INCAO, Maria Ângela. Mulher e família burguesa. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das mulheres no Brasil. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. p. 223-240.

FELIPE, Jane; GUIZZO, Bianca S. Entre batons, esmaltes e fantasias. In: MEYER, Dagmar E. E.; SOARES, Rosângela de F. R. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação, 2004. p. 31-40.

FONSECA, Cláudia. Quando cada caso não é um caso: pesquisa etnográfica e educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 10, p. 58-78, jan./abr. 1999.

KISHIMOTO, Tizuko Morchida. Brinquedos e brincadeiras na Educação Infantil. (In: BRASIL. Ministério da Educação e da Cultura, Conselho Nacional de Educação, Câmara de Educação Básica, 2010).

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

______. Sexualidade: lições da escola. In: MEYER, Dagmar. E. E.; DALLA ZEN, Maria. I. H.; XAVIER, Maria. L. M. de F. (Org.). Saúde e sexualidade na Escola. Porto Alegre: Mediação, 1998. p. 85-96.

______. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira Lopes (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade, 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000. p. 9-34.

______. Currículo, gênero e sexualidade: refletindo sobre o “normal”, o “diferente” e o “excêntrico”. Estudos Feministas,

n. 1-2, jul./dez. 2002.

______. Pedagogias da sexualidade. In: LOURO, Guacira (Org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 1-34.

______. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria Queer. 1. reimpr. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

______. Mulheres na sala de aula. In: PRIORE, Mary Del (Org.). História das mulheres no Brasil. 9. ed. São Paulo: Contexto, 2009. p. 443-481.

DE OLIVEIRA PINTO, Tatiane; LOPES, Maria de Fátima. Brincadeira no espaço da rua e a demarcação dos gêneros na infância. Rev. Latinoam. Cienc. Soc. Niñez, v. 7, n. 2, p. 861-885, jul. 2009. Disponível em: .

PARAÍSO, Marlucy Alves. Apresentação. In: PARAÍSO, Marlucy Alves (Org.). Pesquisas sobre currículos e culturas: temas, embates, problemas e possibilidades. Curitiba: Editora CRV, 2010. p. 11-14.

PIRES, S. M. F. Representações de gênero em ilustrações de livros didáticos. Revista Psicopedagogia [Online], v. 1, p. 54, 2004.

RIBEIRO, Cláudia Maria. Crianças, gênero e sexualidade: realidade e fantasia possibilitando problematizações. Rev. Estud. Fem., Florianópolis, v. 19, n. 2, p. 605-614, ago. 2011. Disponível em: .

SABAT, Ruth. Só as bem quietinhas vão casar. In: MEYER, Dagmar E. E.; SOARES, Rosângela de F. R. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação, 2004. p. 95-106.

SILVA, Rosimeri A. O ponto fora da curva. In: MEYER, Dagmar E. E.; SOARES, Rosângela de F. R. (Org.). Corpo, gênero e sexualidade. Porto Alegre: Mediação, 2004. p. 85-94.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

TAUFER, Isabel C. B. Representações de gênero no livro didático de ciências nos anos iniciais do ensino fundamental. Dissertação (Especialização em Educação, Sexualidade e Relações de Gênero) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2009.

XAVIER FILHA, Constantina. Era uma vez uma princesa e um príncipe...: representações de gênero nas narrativas de crianças.

Rev. Estud. Fem., v. 19, n. 2 p.591-603, 2011. Disponível em:

X2011000200019&lng=pt&nrm=iso>. ISSN 0104-026X.

http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2011000200019




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2017.2.23571

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2017 EDIPUCRS