Educação e formas de conhecimento: do inatismo antigo (Platão) e da educação natural moderna (Rousseau)

Claudio A. Dalbosco

Resumo


O artigo trata da relação entre educação e formas de conhecimento. Busca esclarecer em que sentido certa noção epistemológica de educação pode influenciar decisivamente na relação entre educador e educando, mais precisamente na maneira como o educador concebe o modo como o educando aprende. Analisa, como caso ilustrativo, o modelo inatista antigo, que tem sua referência maior no Menão de Platão e, modernamente, o modelo da educação natural, desenvolvido por Jean-Jacques Rousseau no Émile. Defende a tese de que a educação natural, ao basear-se na experiência e nos sentidos da criança e na educação pelas coisas, representa uma objeção consistente ao modelo inatista clássico.

Palavras-chave


educação; conhecimento; inatismo; educação natural; criança; aprendizagem

Texto completo:

PDF


ISSN-L: 0101-465X | e-ISSN: 1981-2582


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.