Desdobramento da estratégia para avaliação de desempenho: implantação do Balanced Scorecard (BSC) no processo produtivo da pecuária de corte bovina

Soraya Tanure, Vinícius do Nascimento Lampert, Diego Vinicius Souza de Souza, Cláudio José Müller

Resumo


As especificidades reveladas pelo setor primário restringem a necessidade de um sistema de medição de desempenho altamente estruturado, mas requerem um conjunto de indicadores que possam efetivamente contribuir para a implementação de estratégias e melhoria contínua das propriedades rurais. No presente trabalho, propõe-se a aplicação da metodologia do Balanced Scorecard (BSC) à atividade pecuária de corte bovina, representada por uma propriedade rural de ciclo completo no estado do Rio Grande do Sul. Os resultados encontrados mostraram que há viabilidade de adaptação do BSC às empresas pecuárias, tendo em vista que sua missão tem múltiplos objetivos, o que se adequou perfeitamente à filosofia do BSC, composta de distintas perspectivas.

Palavras-chave


Estratégia. Balanced Scorecard. Indicadores. Pecuária de corte bovina.

Texto completo:

PDF

Referências


BARCELLOS, J. O. J.; SUÑÉ, Y. B. P.; SEMMELMANN, C. E. N.; GRECELLÉ, R. A.; COSTA, E. C.; MONTANHOLI, Y. R.; CHRISTOFARI, L. F. A bovinocultura de corte frente a agriculturização no sul do Brasil. In:

CICLO DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA, 11., 2004, Lages. Anais... Lages: CAMEVUDESC, 2004.

p. 13-30.

BERETTA, V.; LOBATO, J. F. P.; MIELITZ NETTO, C. G. Produtividade e eficiência biológica de sistemas de produção de gado de corte de ciclo completo no Rio Grande do Sul. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 31,

n. 2, p. 991-1001, 2002.

BRISOLARA, C. S. Análise intertemporal de alternati-

vas tecnológicas na bovinocultura de corte gaúcha. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1999.

BRISOLARA, C. S. Balanced Scorecard em uma pro-

priedade pecuária. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE

ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA RURAL, 46., 2008, Rio Branco. Anais... Rio Branco: SOBER, 2008.

CEZAR, I. M.; EUCLIDES FILHO, K. Novilho precoce: reflexos na eficiência e economicidade do sistema de produção. Campo Grande:

Embrapa-CNPGC, 1996.

DUNN, E.; SEBSTAD, J.; BATZDORFF, L.; PARSONS, H. Lessons learned on MSE upgrading in value chains. A synthesis paper. Washington, DC: USAID, 2006.

FELÍCIO, P. E. Fatores ante e post mortem que influenciam na qualidade da carne bovina. In: PEIXOTO, A. M.; MOURA, J. C.; FARIA, V. P. (Ed.) Produção do novilho de corte. Piracicaba: Fundação de Estudos Agrários Luis de Queiroz, 1997. p. 79-97.

FELÍCIO, P. E. Sistemas de qualidade assegurada na cadeia de carne bovina: a experiência brasileira. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE CARNES, 1., 2001, São Pedro. Anais... Cam-

pinas: Instituto de Tecnologia de Alimentos/Centro de Tecnologia de Carnes, 2001. p. 342-355.

FERREIRA, G.; CARDOZO, O.; LIMA, J. M. S. Modelo bio-economico para toma de decisiones en engorde de novillos a pastoreo. In: MODELOS PARA TOMADA DE DECISÕES NA PRODUÇÃO DE BOVINOS E OVINOS, 1., 2002, Santa Maria. Resumos... Santa Maria: UFSM, 2002. p. 121-145.

GILES, A.K.; STANSFIELD, M. The farmer as a manager. 2. ed. Oxford: C.A.B. International, 1990.

HARRINGTON, H. J. Aperfeiçoando processos empresariais. Tradução Luiz Liske. São Paulo: Makron Books, 1993.

HRONEC, S. M. Sinais vitais: usando medidas de desempenho da qualidade, tempo e custo para traçar a rota para o futuro da sua empresa. Tradução Luiz Liske. São Paulo: Makron Books, 1994.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D.P. A estratégia em ação: Balanced Scorecard. Tradução Luiz Euclides Trindade Frazão Filho. 6. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D.P. The balanced scorecard: measures that drive performance. Harvard Business Review, v. 70, n. 1, p. 71-79, 1992.

LANK, A. G. Como evitar que a dinastia vire um episódio de Dallas. In: BIRLEY, S.; MUZYKA, D. F. (Ed.). Dominando os desafios do empreendedor. São Paulo: Makron Books, 2001. p. 130-135.

LAZZARINI NETO, S.; LAZZARINI, S. G.; PISMEL, F. S. Pecuária de corte: a nova realidade e perspectiva no agribusiness. São Paulo: Lazzarini & Associados, 1996.

MENDONÇA, L. R. C. Simulador de cenários bioeconômicos para suporte à decisão no gerenciamento de fazendas produtoras de gado de corte. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal de Goiás, 2004.

MÜLLER, C. J. Modelo de gestão integrando planejamento estratégico, sistemas de avaliação de desempenho e gerenciamento de processos (MEIO – Modelo de Estratégia, Indicadores e Operações). Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2003.

NEVES, F. M.; CASTRO, L. T. O cenário para a pecuária brasileira. In: JORNADA TÉCNICA EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE E CADEIA PRODUTIVA, 2., 2007, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: UFRGS, 2007. p. 5-16.

PAGNONCELLI, D.; VASCONCELLOS FILHO, P. Sucesso empresarial planejado. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1992.

PEREIRA, M. A.; VALE, S. M. L. R.; MANCIO, A. B. Ges-

tão de recursos humanos em empresas de bovinos de corte no Triângulo Mineiro. Organizações Rurais e Agroindustriais, v. 6, n. 2, p. 61-74, 2004.

PÖTTER, L.; LOBATO, J. F. P.; MIELITZ NETTO, C. G. A. Análises econômicas de produção com novilhas de corte primíparas aos dois, três e quatro anos de idade. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 29, n. 3, p. 861-870, 2000.

RUMMLER, G. A.; BRACHE, A. P. Melhores desempenhos das empresas. 3. ed. São Paulo: Makron Books, 2007.

SEBRAE/SENAR/FARSUL. Diagnóstico da pecuária de corte no estado do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: SENAR, 2005.

SOUZA, D. V. S. Sistemática para avaliação de desempenho do processo de suprimentos em uma empresa do setor metroviário. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

SVEIBY, K. E. A nova riqueza das organizações: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento. Tradução Luiz Euclydes Trindade Frazão Filho. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

TALAMINI, D. J. D. Lições de um sistema insensível. Agroanalysis, v. 21, n. 3, p. 21-22, 2001.




ISSN-L: 1516-2680
e-ISSN:
1980-6302


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. *Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS