Tolerância ao resfriamento e congelamento de folhas de eucalipto

André Luís Lopes da Silva, Yohana de Oliveira, Giovana Bomfim de Alcantara, Maisa dos Santos, Marguerite Quoirin

Resumo


A maior restrição da cultura do eucalipto nas regiões sul do Brasil é o frio e a incidência de geadas. O objetivo desse trabalho foi avaliar a tolerância de plantas de eucalipto ao resfriamento e congelamento. Foram testadas as espécies: Eucalyptus saligna, E. camaldulensis e E. dunnii e os híbridos E. grandis x E. urophylla, E. maculata x E. sp. e E. benthamii x E. dunnii. Plantas com 60 cm de altura foram cultivadas em substrato Plantmax® HT e mantidas em casa de vegetação. Discos foliares de 1 cm de diâmetro foram obtidos das terceiras e quartas folhas a partir do ápice das plantas. Os discos foliares foram lavados três vezes com água ultra-pura e secados em papel absorvente. Frascos contendo 20 mL de água ultra-pura, com 10 discos foliares, permaneceram 18h no escuro a 25 ºC previamente a realização dos tratamentos. Os tubos com os discos foliares foram dispostos em criostato com as temperaturas: 4, 2, 0, -2 ou -4 ºC por uma hora. A condutividade elétrica das amostras foi medida antes dos tratamentos (CD), após os tratamentos (CT) e após o armazenamento sob -80 ºC por 24h (CF). A condutividade relativa foi estimada pela expressão CR = (CT - CD) /(CF - CD) , sendo usada para obtenção da viabilidade das células, estimada pela expressão V(%) = (1-CR).100. A viabilidade das células não diferiu significativamente entre as temperaturas, porém houve diferenças significativas entre as plantas. A viabilidade das células do híbrido E. maculata x E. sp. foi significativamente inferior (V=51%) às das demais espécies, que não diferiram entre si, variando entre 86,6 e 93,8%.

Palavras-chave


ionic leakage; Eucalyptus; relative conductivity; thermal shock; electrolytic conductivity; abiotic stress.

Texto completo:

PDF (English)




L-ISSN: 0104-3455
e-ISSN: 2317-6245

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. *Disponibilidade para depósito: Azul.

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS