Modalidades de carreira e formas de reconversão da militância político-partidária

Bergson Morais Vieira, Wilson José Ferreira de Oliveira

Resumo


A sociologia política tem dedicado notória atenção aos estudos relacionados ao processo de seleção e recrutamento daqueles que formam o corpo dirigente dos partidos políticos. Esses trabalhos demonstram uma relação estreita entre posição ocupada e posse de determinantes sociais, à exemplo das origens sociais, inserção em espaços de socialização, ocupação profissional entre outros. Seguindo essa linha de estudos, o trabalho ora proposto analisa três diferentes padrões de carreira que conduzem alguns atores a ocupação de postos de liderança político-partidária. A estratégia teórico-metodológica aqui adotada permitiu apreender diferentes modalidades de carreira e de reconversão de recursos variados e a compreensão dos mecanismos que transformam os diversos recursos sociais, escolares e profissionais em “trunfos” que permite a inserção dos líderes aqui considerados aos postos de comando disponíveis no partido. O universo empírico do qual se trata esse texto é composto pelos líderes do Partido Verde, seccional Sergipe. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, cujas informações foram acessadas por meio de entrevistas semi-estruturadas.


Texto completo:

PDF

Referências


BECKER, Howard S. Outsiders. Estudos de sociologia do desvio. Rio de Janeiro: Zahar. 232p, 2008.

BOURDIEU, Pierre. Le capital social. In: Actes de la recherche en sciences sociales. Vol. 31, janeiro de 1980.

_________.O poder Simbólico / Pierre Bourdieu; Tradução Fernando Tomaz (português de Portugal) – 11ª Ed. – Rio de Janeiro; Bertrand Brasil, 2007.

_________. O campo político. In: Revista brasileira de ciência política, v. 3, nº5. Brasília, jan./jul., p. 193-216, 2011.

CÂNEDO, Letícia B. Herança na política ou como adquirir disposições e competências necessárias às funções de representação política (1945-1964). Publicado em Pro-Posições, v. 13, n. 2(39) set/dez 2002.

_________. Ritos, símbolos e alegorias no exercício profissional da política. In: O Sufrágio Universal e a Invenção Democrática. São Paulo, estação e Liberdade, p.477-506, 2005.

CÂNDIDO, A. The Brasilian Family. In: SMITH, T. L.; MARCHANT, A. (Ed.). Brazil, portrait of a continent. New York: The Dryden Press, p. 291-312, 1951.

COLUSSI, Eliane Lucia e DIEHL, Astor Antonio. Guardados da memória política: o caso dos Vargas. Passo Fundo: Ediupf, 2008.

CORADINI, Odaci Luiz. Grandes famílias e elite ‘profissional’ na medicina no Brasil. In: História, Ciência e Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3, novembro, p. 425-466, 1996.

_________. Em nome de quem? Recursos sociais no recrutamento de elites políticas. Relume Dumará, Rio de janeiro, 2001.

DUVERGER, Maurice. Os partidos políticos. Rio de Janeiro / Brasília, Zahar. ed. UnB, 1980.

FILLIEULE, Olivier. Propositions Pour une Analyse Processuelle de L’engagement Individuel. In: Revue Française de Science Politique, vol. 51, nº 1-2, fev-abr, p. 199-217, 2001.

GAXIE, Daniel. Économie des partis et rétributions du militantisme. In: Revue française de science politique, 27e année, n°1, pp. 123-154, 1977.

_________. Les cens caché: inégalités culturelles et ségrégation politique. Paris: Éditions du seuil, 1978.

LEWIN, Linda. Política e parentela na Paraíba: um estudo de caso da oligarquia de base familiar. Rio de Janeiro: Record, 1993.

OLIVEIRA, Wilson José Ferreira de. Elites dirigentes, engajamento político e retribuições do militantismo ambientalista. TOMO (UFS), Nº13, jul./dez., 2008.

PALMEIRA, M. Política facção e Voto. In: Palmeira, M. e Goldman, M. (org.). Antropologia, voto e representação política. Rio de Janeiro: Contra-Capa Livraria, 1996.

PETRARCA, F. O Jornalismo como Profissão: recursos sociais, titulação acadêmica e inserção profissional dos jornalistas no Rio Grande do Sul. 2007, 308f. Tese (Tese de Doutorado em Sociologia). Programa de Pós Graduação em Sociologia, UFRGS, Porto Alegre, 2007.

_________. Elites jornalísticas, recursos políticos e atuação profissional no Rio Grande do Sul. TOMO (UFS), Nº13, jul./dez., 2008.

QUEIROZ, Maria Isaura P. de. Contribuição para o estudo da sociologia política no Brasil. In: _________. O mandonismo local na vida política brasileira e outros ensaios. São Paulo: Alfa-Omega, p.17-43, 1976.

_________. Coronelismo numa interpretação sociológica. In: FAUSTO, B. et al. História da Civilização Brasileira. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p.172-214, 2006.

RODRIGUES, Leôncio Martins. Partidos, Ideologia e Composição Social: Um Estudo das Bancadas Partidárias na Câmara dos Deputados, Rio de Janeiro, 2009.

SAINTENY, Guillaume. Logiques d’engagement et logiques de rétribution au sein de l’écologisme français. Cahiers Internationaux de Sociologie. Volume CVI, Jan-Jun. Paris: Presses Universitaires de France, 1999.

SEIDL, Ernesto. Disposições a militar e lógica de investimentos militantes. In: PRÓPOSIÇÕES ─ Revista da Faculdade de Educação da UNICAMP. Dossiê ─ Educação e Política: novas configurações nas práticas de militância. Campinas, vol. 20, nº 2(59), 2009.

VIEIRA, Bergson Morais. Processo de recrutamento e seleção de candidatos a cargos legislativos no Partido Verde em Sergipe na eleição de 2010. In: XV Encontro de Ciências Sociais do Norte e Nordeste e pré-alas Brasil. UFPI, Teresina-PI, 2012.

WEBER, Max. A política como vocação. In: Ciência e Política: duas vocações. Brasília: Editora UNB, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2178-5694.2018.2.31540

e-ISSN: 2178-5694

 

Conversas & Controvérsias


Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

 Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS