Grupos de interesse e redes de políticas públicas:uma análise da formulação de política industrial

Hermílio Santos

Resumo


Grande parte das análises do processo de formulação de política industrial centra-se quase que exclusivamente no estudo do papel do Estado. Com isso cria-se uma imagem distorcida da realidade, a saber, de que neste processo o Estado é o único ator relevante. Este texto discute a questão apontando para a possibilidade e necessidade de se introduzir uma abordagem alternativa, fundada no estudo de redes de políticas públicas. Apresento os dois principais tipos de rede de políticas: as de tipo neopluralista e aquelas de tipo neocorporatista. O artigo conclui que esta abordagem alternativa por meio do estudo de redes de políticas públicas oferece de fato elementos importantes para a análise do processo de formulação de política industrial, mas até o momento tem sido incapaz de investigar detidamente o papel dos atores envolvidos. O principal objetivo, no entanto, é apresentar uma literatura relevante para a discussão do tema. Palavras-chave: Política industrial; grupos de interesse; redes de políticas; neopluralismo; neocorporatismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2002.1.95

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs