Política externa brasileira para a América do Sul: as diferenças entre Cardoso e Lula

Leandro Freitas Couto

Resumo


O Brasil assume a América do Sul como componente regional da sua identidade internacional a partir dos anos 1990. A sul-americanidade começa a ser instrumentalizada principalmente a partir de 2000, com uma série de iniciativas postas em marcha pelo governo brasileiro. Todavia, há diferenças substanciais entre a estratégia da política externa brasileira para a região entre Lula e Cardoso, na qual se destaca a opção pela institucionalização do multilateralismo regional em Lula.

Palavras-chave


Política Externa Brasileira, Integração sul-americana, UNASUL

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2010.1.6591

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs