Disjunções e ambivalências: famílias migrantes nordestinas no ABC paulista

Jaime Santos Junior, Mariana Zanata Thibes, Marilda Aparecida de Menezes

Resumo


Este artigo mira em dois alvos. O primeiro, de caráter mais teórico, referese à tentativa de extrair consequências analíticas da junção de três variáveis: famílias, trabalho e migrações. Conquanto não se reivindique a sua prioridade frente a outras variáveis, a suposição é a de que os elementos de intersecção que emergem quando trabalhamos com essas três frentes constituem um “lugar” analítico fecundo para a análise de trajetórias de vida. Em um segundo momento, discutimos os processos de transmissão geracional no afã de compreender os modos como os projetos e as estratégias de vida são elaborados, vivenciados e transmitidos de uma geração a outra. Para tal, tomamos dois casos de trajetórias de famílias de migrantes nordestinos instalados na região do ABC Paulista observando o recorte geracional. A pesquisa ocorreu entre os anos de 2014 e 2016, com entrevistas biográficas com os membros das famílias que tinham como traço comum, além da trajetória de migração, a inserção de algum de seus membros nas indústrias da região. Os resultados sugerem a centralidade da “família” enquanto projeto coletivo para “melhorar de vida”.


Palavras-chave


Famílias. Migrações. Trabalho. Geração. Trajetórias.

Texto completo:

PDF

Referências


ARCHER, Margaret. Structure, agency and the internal conversation. Cambridge: Cambridge University Press, 2003. https://doi.org/10.1017/CBO9781139087315

ATTIAS-DONFUT, Claudine. Rapports de générations: transferts intrafamiliaux et dynamique macrosociale. Revue Française de Sociologie, Paris, v. 41, n. 4, p. 643-684, 2000. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/3322701. https://doi.org/10.2307/3322701

BOURDIEU, Pierre. Outline of a theory of practice. Cambridge: Cambridge University Press, 1977. https://doi.org/10.1017/CBO9780511812507

BOURDIEU, Pierre. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: AMADO, Janaina; FERREIRA, Marieta M. (org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: FGV, 2006. p. 183-191.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Mulher: individuo ou família? Novos Estudos Cebrap, São Paulo, v. 2, n. 4, p. 2-10, 1984.

COMIN, Alvaro A.; BARBOSA, Rogério Jerônimo. Trabalhar para estudar: sobre a pertinência da noção de transição escola-trabalho no Brasil. Novos Estudos Cebrap, São Paulo, n. 91, p. 75-95, 2011. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-33002011000300004. Acesso em: 22 out. 2019.

DOMINGUES, José Maurício. Gerações, modernidade e subjetividade coletiva. Tempo Social, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 67-89, 2002. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20702002000100004.Acesso em: 22 out. 2019.

DUARTE, Luiz Fernando D. Da vida nervosa (nas classes trabalhadoras urbanas). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1986.

DURHAM, Eunice Ribeiro. A caminho da cidade. São Paulo: Perspectiva, 1978.

FONSECA, Cláudia. Aliados e rivais na família: o conflito entre consanguíneos e afins em uma vila porto-alegrense. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 4, n. 2, p. 88-102, 1987.

FONSECA, Cláudia. Cavalo amarrado também pasta: honra e humor em um grupo popular brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 75, n. 6, p. 27-39, 1991.

FONSECA, Claudia. Família, fofoca e honra: etnografia de relações de gênero e violência. Porto Alegre: UFRGS, 2000.

LAHIRE, Bernard. A cultura dos indivíduos. Porto Alegre: Artmed, 2006.

LAHIRE, Bernard. Portraits sociologiques: dispositions et variations individuelles. Paris: Nathan, 2002.

MACHADO, Lia Zanotta. Famílias e individualismo: tendências contemporâneas no Brasil. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 5, n. 8, p. 11-26, 2001. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832001000100002. Acesso em: 22 out. 2019.

MACIEL, Lidiane. O sentido de melhorar de vida: arranjos familiares na migração rural-urbana para o interior de São Paulo. Jundiaí: Paco Editorial, 2013.

MANNHEIM, Karl. The problem of generations. In: KECSKEMETI, Paul (org.). Essays on the sociology of knowledge. London: Routledge & Kegan Paul, 1952. p. 276-322.

SARTI, Cynthia A. A família como espelho: um estudo sobre a moral dos pobres. São Paulo: Cortez, 1996.

SARTI, Cynthia A. Família como ordem moral. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 91, p. 46-53, 1994.

TELLES, Vera da Silva. A experiência da insegurança: trabalho e família nas classes trabalhadoras urbanas em São Paulo. Tempo Social, São Paulo, v. 4, n. 1-2, p. 53-92, 1992. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/ts.v4i1/2.84911. Acesso em: 22 out. 2019.

VELHO, Gilberto. A busca da coerência: coexistência e contradições entre códigos em camadas médias urbanas. In: FIGUEIRA, Sérvulo A. (org.). Cultura da psicanálise. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 169-178.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1999.

ZALUAR, Alba. A máquina e a revolta: as organizações populares e o significado da pobreza. São Paulo: Brasiliense, 1985.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2019.3.28647

Direitos autorais 2019 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs