Gênero, sexualidade e juventude(s): problematizações sobre heteronormatividade e cotidiano escolar

Dilton Ribeiro do Couto Junior, Maria Luiza Magalhães Bastos Oswald, Fernando Altair Pocahy

Resumo


Fruto de pesquisa de doutorado recentemente concluída, este texto propõe questionar as normas regulatórias de gênero presentes nos cotidianos escolares de dois jovens que se autodenominam gays. A interação com os sujeitos ocorreu através do estabelecimento de conversas on-line realizadas no Facebook mediante uma relação dialógica e de alteridade, propiciando a criação de um sentimento de cumplicidade e disponibilidade que tornou possível uma ampla discussão em torno de questões relativas à heteronormatividade e às experiências da abjeção que ela produz. As conversas on-line foram interpretadas principalmente à luz da contribuição de autores do campo de estudos de gênero e sexualidade amparados teoricamente pela perspectiva dos estudos queer. As conversas com ambos os jovens contribuíram com a tessitura de reflexões sobre a (re)produção dos estigmas sociais no espaço escolar e sobre a urgência de se (re)pensar o planejamento de estratégias de resistência nos cotidianos escolares na tentativa de desmistificar a naturalização e normatização da suposta superioridade e supremacia das heteronormas.


Palavras-chave


Sexualidade. Juventudes. Heteronormatividade. Educação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Miriam; CASTRO, Mary Garcia; SILVA, Lorena Bernadete.

Juventude e sexualidade. Brasília: Unesco Brasil, 2004.

AMARAL, Marília dos Santos. Essa boneca tem manual: práticas de si, discursos e legitimidades na experiência de travestis iniciantes. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2012.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista Estudos Feministas, v. 19, n. 2, p. 549-559, 2011 <10.1590/S0104-026X2011000200016>.

BUTLER, Judith. Critically queer. GLQ: A Journal of Lesbian and Gay Studies, v. 1, n. 1, p. 17-32, 1993 <10.1215/10642684-1-1-17>.

BUTLER, Judith. Le pouvoir des mots: politique du performatif. Paris: Éditions Amsterdam, [1997] 2004.

COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro. Etnografia virtual e as contribuições de Mikhail Bakhtin na Pesquisa com internautas. Revista Teias, v. 14, n. 31, p. 97-108, 2013 <10.12957/teias.2013.24330>.

COUTO JUNIOR, Dilton Ribeiro; OSWALD, Maria Luiza Magalhães Bastos. Em defesa de uma pedagogia queer: re-imaginando corpos, gêneros e sexualidades no espaço escolar. Textura, v. 18, n. 38, p. 123-142, 2016.

DUQUE, Tiago. Montagens e desmontagens: vergonha, estigma e desejo na construção das travestilidades na adolescência. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-graduação em Sociologia, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2009.

FREITAS, Maria Teresa de Assunção. A pesquisa qualitativa de abordagem históricocultural: fundamentos e estratégias metodológicas. In: Anais da 30ª Reunião anual da Anped [on-line], Caxambu, 2007.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

GERALDI, João Wanderley. Bakhtin tudo ou nada diz aos educadores: os educadores podem dizer muito com Bakhtin. In: Maria Teresa de Assunção Freitas (org.). Educação, arte e vida em Bakhtin. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013. p. 11-28.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

MISKOLCI, Richard. Um corpo estranho na sala de aula. In: Anete Abramowicz; Valter Roberto Silvério (orgs.). Afirmando diferenças: montando o quebra-cabeça da diversidade na escola. 2. ed. Campinas: Papirus, 2010. p. 13-26.

NINO, Aldones; PIVA, Paulo Jonas de Lima. O cotidiano escolar e os impactos da teoria queer face à pedagogia heterossexista. Sapere Aude, v. 4, n. 7, p. 501-505, 2013.

PARAÍSO, Marlucy Alves. A ciranda do currículo com gênero, poder e resistência. Currículo Sem Fronteiras, v. 16, n. 3, p. 388-415, 2016.

PEREIRA, Rita Marisa Ribes. Por uma ética da responsividade: exposição de princípios para a pesquisa com crianças. Currículo Sem Fronteiras, v. 15, n. 1, p. 50-64, 2015.

PISCITELLI, Adriana. Interseccionalidade, categorias de articulação e experiências de migrantes brasileiras. Revista Sociedade e Cultura, v. 11, n. 2, p. 263-274, 2008 <10.5216/sec.v11i2.5247>.

POCAHY, Fernando. Deuses e Monstros: envelhecimento e (homo)sexualidade nas tramas da abjeção. Bagoas – Estudos Gays: gênero e sexualidades, v. 7, n. 10, p. 133-155, 2013.

POCAHY, Fernando. A pesquisa fora do armário: ensaio de uma heterotopia queer. 2006. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Psicologia, Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

POCAHY, Fernando. Interseccionalidade e educação: cartografias de uma práticaconceito feminista. Textura, v. 13, n. 23, p. 18-30, 2011a.

POCAHY, Fernando. A idade um dispositivo. A geração como performativo. Provocações discursivo-desconstrucionistas sobre corpo-gênero-sexualidade. Revista Polis e Psique, v. 1, n. 3, p. 195-211, 2011b <10.22456/2238-152X.31539>.

PRECIADO, Paul Beatriz. Quem defende a criança queer? Jangada, Viçosa, n. 1, p. 96-99, 2013.

RIOS, Luís Felipe. O Feitiço de Exu: um estudo comparativo sobre parcerias e práticas homossexuais entre homens jovens candomblesistas e/ou integrantes da comunidade entendida do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado) – Instituto de Medicina Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

SEFFNER, Fernando. Sigam-me os bons: apuros e aflições nos enfrentamentos ao regime da heteronormatividade no espaço escolar. Educação e Pesquisa, v. 39, n. 1, p. 145-159, 2013 <10.1590/S1517-97022013000100010>.

VIGOYA, Mara Viveros. La interseccionalidad: una aproximación situada a la dominación. Debate Feminista, v. 52, p. 1-17, 2016 <10.1016/j.df.2016.09.005>.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2018.1.28046

Direitos autorais 2018 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs