Cidadania, reconhecimento e ação afirmativa no ensino superior

Angela Randolpho Paiva

Resumo


O presente artigo analisa a implantação das políticas de ação afirmativa nas universidades públicas à luz dos principais conceitos que ajudam na compreensão das mudanças ocorridas no acesso ao ensino superior entre 2002 e 2012. Enfatiza a redemocratização, ação do movimento negro e a controvérsia em torno da adoção das “cotas raciais”. Assim, conceitos como cidadania, esfera pública, direitos, reconhecimento, ação coletiva e identidade serão aqueles privilegiados na análise, pois têm grande validade heurística para se entenderem as mudanças ocorridas no acesso ao ensino superior em direção a sua maior diversidade e inclusão social. Mostra como, em um período de dez anos, mais de 70% das universidades públicas enfrentaram desafios para sua transformação em uma instituição que incorpore a ideia do direito social do acesso à educação de forma mais substantiva.


Palavras-chave


Cidadania. Ação afirmativa. Reconhecimento. Movimento negro. Esfera pública.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTI, Verena; PEREIRA, Amilcar (orgs.). Histórias do movimento negro no Brasil. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

APPIAH, K. Anthony. Identity, authenticity, survival. In: Amy Gutmann (org.). Multiculturalism. Princeton: The Princeton University Press, 1994. p. 149-163.

ARENDT, Hannah. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1983.

BARBOSA, Joaquim. Ação afirmativa e princípio constitucional da igualdade. Rio de Janeiro: Renovar, 2001.

BENHABIB, Seyla. Models of public sphere: Hannah Arendt, the liberal tradition and Jürgen Habermas. In: Craic Calhoun (org.). Habermas and the public sphere. Massachusetts: The MIT Press, 1999. p. 73-98.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

CARVALHO, José Murilo. Os bestializados. São Paulo: Cia. Das Letras, 1991.

COSTA, Emília Viotti. Da monarquia à república: momentos decisivos. São Paulo: Grijalbo, 1977.

COSTA, Sérgio. As cores de Ercília. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

DaMATTA, Roberto. Relativizando. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.

DAGNINO, Evelina. Os movimentos sociais e a emergência de uma nova cidadania. In: Evelina Dagnino (org.). Política e sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1994, p. 103-115.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Ática, 1978.

FRASER, Nancy. Justice interrupts. New York: Routledge, 1997.

FRASER, Nancy. Redistribuição ou reconhecimento? Classe e status na sociedade contemporânea. Interseções. v. 4, n. 1, p. 7-32, 2002.

FRASER, Nancy; HONNETH, Axel. Redistribution or recognition? A politicalphilosophical exchange. New York: Verso, 2003.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande e senzala. Rio de Janeiro: José Olympo, 1981.

GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais e redes de mobilizações civis no Brasil contemporâneo. Petrópolis: Vozes, 2010.

GONZALEZ, Lélia; HASENBALG, Carlos Alfredo. Lugar de negro. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1982.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio. Classes, raças e democracia. São Paulo: Editora 34, 2002.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio. Racismo e anti-racismo no Brasil. São Paulo: Editora 34, 1999.

HABERMAS, Jürgen. Mudança estrutural na esfera pública. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Ed., 2005.

HASENBALG, Carlos Alfredo. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Graal, 1979.

HASENBALG, Carlos; SILVA, Nelson do Valle. Relações raciais no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Rio Fundo Ed. 1992.

HASENBALG, Carlos; SILVA, Nelson do Valle. Origens e destinos. Rio de Janeiro: Topbooks, 2003.

HERINGER, Rosana. Ação afirmativa e a promoção da igualdade racial no Brasil: o desafio da prática. In: Angela R. Paiva (org.). Ação afirmativa na universidade: reflexão sobre experiências concretas. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, 2004.

HENRIQUES, Ricardo. Raça e gênero nos sistemas de ensino. Brasília: Unesco, 2001.

HONNETH, Axel. A luta por reconhecimento. São Paulo: Editora 34, 2003.

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MATTOS, Patrícia. A sociologia política do reconhecimento. São Paulo: Annablume 2006.

McADAM, Doug. Political process and the development of black insurgency. Chicago: The University of Chicago Press, 1999.

MEAD, G. H. Mind, self and society. Chicago; University of Chicago Press, 1964.

MEDEIROS, Carlos Alberto. Na lei e na raça: legislação e relações raciais Brasil-Estados Unidos. Rio de Janeiro: DP&A, 2004.

MELUCCI, Alberto. A invenção do presente. Petrópolis: Vozes, 2001.

NASCIMENTO, Abdias. Quilombismo: afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Sumus, 2009.

OLIVEIRA, Nythamar. Affirmative action, recognition and self-respect: Axel Honneth and the phenomenological deficit of critical theory. Civitas. v. 9, n. 3, p. 369-385, 2009 <10.15448/1984-7289.2009.3.6897>.

PAIVA, Angela R. Católico, protestante, cidadão. Belo Horizonte: UFMG Ed. 2003.

PAIVA, Angela R. A difícil equação entre modernidade e desigualdade. Interseções, v. 6, p. 7-17, 2004.

PAIVA, Angela R. (org.). Entre dados e fatos: ação afirmativa nas universidades públicas brasileiras. Rio de Janeiro: Pallas, 2010.

PAIVA, Angela R. Ação afirmativa em questão: Brasil, Estados Unidos, França e África do Sul. Rio de Janeiro: Pallas, 2013.

PEREIRA, Amauri M. Trajetórias e perspectivas do movimento negro brasileiro. Belo Horizonte: Nandyala, 2008.

PETRUCCELLI, José Luis. A cor denominada: estudos sobre a classificação étnicoracial. Rio de Janeiro: DP&A, 2007.

REIS, Elisa P. Elites agrárias, state building e autoritarismo. Dados, v. 25, n, 3, p. 331-348, 1982.

RIBEIRO, Carlos Antonio C. Classe, raça e mobilidade social no Brasil. Dados, v. 49, n. 4, p. 833-873, 2006 <10.1590/S0011-52582006000400006>.

RIBEIRO, Matilde. Políticas de promoção da igualdade racial no Brasil. Rio de Janeiro: Garamond, 2014.

SANSONE, Lívio. Cor, classe e modernidade em duas áreas da Bahia. Estudos Afro-Asiáticos, v. 23, n. 1, p. 143-173, 1993.

SANTOS, Augusto Sales. Educação: um pensamento negro contemporâneo. São Paulo: Paco Editorial, 2014.

SANTOS, Renato E. Racialidade e novas formas de ação social: o pré vestibular para negros e carentes. In: Renato Emerson dos Santos; Fátima Lobato (org.). Ações afirmativas: políticas públicas contra as desigualdades raciais. Rio de Janeiro: DP&A, 2003. p. 127-153.

SANTOS, Wanderley G. Cidadania e justiça: a política social na ordem brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1979.

SCHARTZMAN, Luisa F.; SILVA, Graziella M. Dias da. Unexpected narratives from multicultural policies: translations of affirmative action in Brazil. Journal of Latin American and Caribbean Ethnic Studies, v. 7, n. 1, p. 31-48, 2012 <10.1080/17442222.2012.658295>.

SCHWARZ, Roberto. As ideias fora do lugar. In: Roberto Schwarz. Ao vencedor as batatas. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1992.

SEYFERTH, Giralda. Construindo a nação: hierarquias raciais e o papel do racismo nas políticas de imigração e colonização. In: Marcos Chor Maio; Ricardo Ventura (orgs.). Raça, ciência e sociedade. Rio de Janeiro: Fiocruz Editora, 1996. p. 41-58.

SILVA, Nelson do Valle. Extensão e natureza das desigualdades raciais no Brasil. In: Antonio Sérgio Alfredo Guimarães; Lynn Huntley (orgs.). Tirando a máscara: ensaios sobre o racismo no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2000. p. 33-51.

SOUZA, Jessé. A modernização seletiva. Brasília: Editora UnB, 2000.

TARROW, Sidney. Power in movement. New York: Cambridge University Press, 1998.

TAYLOR, Charles. The politics of recognition. In: Amy Gutmann (org.). Multiculturalism: examining the politics of recognition. Princeton: The Princeton University Press, 1994. p. 25-73.

TELLES, Vera S. Sociedade civil e a construção de espaços públicos. In: Eveline Dagnino (org.). Anos 90: política e sociedade no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1994. p. 91-102.

VELHO, Gilberto. Violência, reciprocidade e desigualdade: uma perspectiva antropológica. In: Gilberto Velho; Marcos Alvito (orgs.). Cidadania e violência. Rio de Janeiro: FGV, 1996. p. 11-25.

WERNECK VIANNA, Luiz. A revolução passiva. Rio de Janeiro: Revan, 1997.

YOUNG, Iris M. Polity and group difference: a critique of the ideal of universal citizenship. Ethics, v. 99, n. 2, p. 250-274, 1989 <10.1086/293065>.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2015.4.23251

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs