Por que se faz políticas sociais no Brasil? Notas sobre estratégias de legitimação nos últimos dois governos federais

Emil Albert Sobottka

Resumo


As reformas de orientação neoliberal que foram implementadas no Brasil na década de 1990 afetaram profundamente as políticas sociais, mas as mudanças foram justificadas como reforma do estado e não das políticas. Seu escopo era a despolitização da administração pública. O governo de orientação socialdemocrata de Lula da Silva que se seguiu buscou legitimar sua política social priorizando a criação de alguns espaços de participação da sociedade numa esfera pública – mas sem alcançar o efeito dos governos locais do mesmo partido. Por isso o presente texto se propõe a enfocar as mudanças institucionais que afetam aquela política propostas pelos últimos dois governos enquanto substitutos de uma fundamentação discursiva de projetos distintos de reforma.

Palavras-chave:
Políticas sociais; Participação; Esfera pública; Reforma do Estado; Governo Lula.

Texto completo:

PDF


ISSN: 1519-6089

e-ISSN: 1984-7289


Copyright: © 2014 EDIPUCRS

 

 
 
Civitas - Revista de Ciências Sociais

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional