A desigualdade no “topo”: empregadores negros e brancos no mercado de trabalho brasileiro

Jordão Horta Nunes, Neville Julio de Vilasboas e Santos

Resumo


Os empregadores, em razão de sua posição no binômio capital-trabalho, ocupariam provavelmente estratos de remuneração mais alta. No entanto, há desníveis de rendimentos, como ocorre entre trabalhadores brancos e negros, em que estes se tornam empregadores preponderantemente em setores menos privilegiados e ocupações com alto índice de informalidade, em pequenos empreendimentos com menor estabilidade. Este artigo a) apresenta um breve perfil de empregadores negros e brancos no Brasil; b) demonstra as desigualdades de inserção na estrutura do mercado de trabalho e c) mensura os diferenciais médios de renda a fim de determinar o peso de fatores produtivos e da discriminação racial sobre a renda média dos empregadores estratificados por raça e sexo. Com base na análise quantitativa, empregando o método de decomposição de Oaxaca-Blinder, sustenta-se que existe uma diferença significativa de rendimentos entre estratos orientados por raça e sexo de empregadores que não pode ser creditada unicamente a fatores associados, como nível de escolaridade, experiência ou diferentes inserções ocupacionais, mas provém de um resíduo não explicado que é atribuído à discriminação de raça ou sexo. 


Palavras-chave


Desigualdade. Rendimento. Empregador. Raça. Sexo.

Texto completo:

PDF

Referências


ATKINSON, A. Income and inequality in OECD countries: data and explanation. CESIfo Economic Studies, v. 49, n. 4, p. 479-513, 2003 <10.1093/cesifo/49.4.479>.

BECKER, Gary Stanley. Investment in human capital: a theoretical analysis. Journal of Political Economy, v. 70, n. 5, parte 2, p. 9-49, 1962.

BLINDER, Alan Stuart. Wage discrimination: reduced form and structural estimates. The Journal of Human Resources, v. 8, n. 4 p. 436-455, 1973 <10.2307/144855>.

CACCIAMALI, Maria Cristina; TATEI, Fábio. Género y salarios de la fuerza de trabajo calificada en Brasil y México. Problemas del Desarrollo, v. 44, n. 172, p. 53-79, 2013.

CARVALHO, A. P.; NÉRI, M. C.; SILVA, D. B. Diferenciais de salários por raça e gênero: aplicação dos procedimentos de Oaxaca e Heckman em pesquisas amostrais complexas. Caxambu, 2006. 15. Encontro de Estudos Populacionais (Abep)

www.abep.nepo.unicamp.br/encontro2006/docspdf/ABEP2006_695.pdf>.

CARD, David; DINARDO, John E. Skill-biased technological change and rising wage inequality: some problems and puzzles. Journal of Labor Economics, v. 20, n. 4, p. 733-783, 2002 <10.1086/342055>.

DAHRENDORF, R. Class and class conflict in industrial society. In: David Grusky (org.). Social stratification: race, class and gender in sociological perspective. 4. ed. Colorado: Westview Press, 2014. p. 143-149.

DIPRETE, Thomas A. What has sociology to contribute to the study of inequality trends? A historical and comparative perspective. American Behavioral Scientist, v. 50, n. 5, p. 603–618, 2007 <10.1177/0002764206295009>.

ERIKSON, Robert; GOLDTHORPE, John H. The constant flux: a study of class mobility in industrial societies. Oxford: Claredon Press, 1992.

ERIKSON, Robert, GOLDTHORPE, John H. Intergenerational inequality: a

sociological perspective. Journal of Economic Perspectives, v. 16, n. 3, p. 31-44, 2002 <10.1257/089533002760278695>.

GRUSKY, Dadid. The past, present, and future of social inequality. In: David Grusky (org.). Social stratification: class, race and gender in sociological perspective. Boulder: Westview, 2001. p. 3-51.

GUIMARÃES, Nadya Araújo. Os desafios da equidade: reestruturação e desigualdades de gênero e raça no Brasil. Cadernos Pagu, n. 17-18, p. 237-266, 2002 <10.1590/S0104-83332002000100009>.

JANN, Ben. The Blinder-Oaxaca decomposition for linear regression models. The Stata Journal, v. 8, n. 4, p. 453-479, 2008.

HASENBALG, C. Discriminação e desigualdades raciais no Brasil. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

HASENBALG, C.; SILVA, N. V. Estrutura social, mobilidade e raça. Rio de Janeiro: Vértice, 1988.

HASENBALG, C.; SILVA, N. V.; LIMA, M. Cor e estratificação social no Brasil. Rio de Janeiro: ContraCapa, 1999.

HASENBALG, C.; SILVA, N. V. (orgs.). Origens e destinos: desigualdade sociais ao longo da vida. Rio de Janeiro: Topbooks, 2003.

LIMA, M. Serviço de branco, serviço de preto: um estudo sobre cor e trabalho no Brasil urbano. Iuperj: Rio de Janeiro, 2001. Tese de doutorado em Sociologia.

LIMA, Márcia. “Raça” e pobreza em contextos metropolitanos. Tempo Social, v. 24, n. 2, 2012 <10.1590/S0103-20702012000200012>.

MEDEIROS, M. O que faz os ricos ricos? Um estudo sobre os fatores que determinam a riqueza. Universidade de Brasília. Brasília, 2003. Tese de Doutorado em Sociologia.

MINCER, J. Schooling, experience, and earnings. New York: NBER, 1974.

MYLES, John. Where have all the sociologists gone? Explaining income inequality. The Canadian Journal of Sociology, v. 28, n. 4, p. 551-559, 2003 <10.2307/3341842>.

OAXACA, Ronald. Male-female wage differentials in urban labor markets.

International Economic Review, v. 14, n. 3, p. 693-709, 1973 <10.2307/2525981>.

OSÓRIO, R. G. A mobilidade social dos negros brasileiros. Ipea: Texto para discussão 1033, 2004.

OSÓRIO, R. G. A desigualdade racial de renda no Brasil: 1976-2006. Brasília: Universidade de Brasília, 2009. Tese de doutorado em Sociologia.

PIKETTY, Thomas, SAEZ, Emmanuel. Income inequality in the United States 1913-1998. Quarterly Journal of Economics, v. 118, n. 1 p. 1-41, 2003 <10.1162/00335530360535135>.

RIBEIRO, C. A. C. Desigualdade de oportunidades no Brasil. Belo Horizonte: Argvmentvm, 2009.

ROCHA, E. F. O negro no mundo dos ricos: um estudo sobre a disparidade racial de riqueza no Brasil com os dados do censo demográfico de 2010. Universidade de Brasília: Brasília, 2015. Tese de doutorado em Sociologia.

SANTOS, José Alcides Figueiredo. Efeitos de classe na desigualdade racial no Brasil. Dados, v. 48, n. 1, p. 21-65, 2005 <10.1590/S0011-52582005000100003>.

SANTOS, José Alcides Figueiredo. Classe social e desigualdade de gênero no Brasil. Dados, v. 51 n. 2, p. 353-402, 2008 <10.1590/S0011-52582008000200005>.

SANTOS, José Alcides Figueiredo. A interação estrutural entre a desigualdade de raça e de gênero no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 24, n. 70, p. 37-60, 2009 <10.1590/S0102-69092009000200003>.

SCALON, Celi. Ensaios de estratificação. Belo Horizonte: Argumentum, 2009.

SOARES, S. S. D. O perfil da discriminação no mercado de trabalho: homens negros, mulheres brancas e mulheres negras. Ipea, Texto para discussão n. 769, 2000.

SØRENSEN, Aage B. Toward a sounder basis for class analysis. American Journal of Sociology, v. 105, n. 6, p. 1523-1558, 2000 <10.1086/210463>.

THERBORN, G. Sexo e poder: a família no mundo, 1900-2000. São Paulo: Editora Contexto, 2006.

TILLY, Charles. Durable inequality. Berkeley: University of California Press, 1999.

WRIGHT, Erik Olin; PERRONE, Luca. Marxist class categories and income inequality. American Sociological Review, v. 42, n. 1, p. 32-55, 1977 <10.2307/2117730>.

WRIGHT, E. O. Class structure and income determination. New York: Academic Press, 1979.

WRIGHT, E. O. Intersections and interactions: thinking about the relationship between class and other forms of inequality. Lecture 7, Sociology 298, 2002 (18 mar. 2015).

WRIGHT, E. O. Approaches to class analysis. New York: Cambridge University Press, 2005 <10.1017/CBO9780511488900>.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2016.2.22735

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs