A ordem e a desordem de ontem e de hoje: notas etnográficas sobre a polícia na Lapa carioca

Haydée Caruso

Resumo


Neste artigo apresento alguns argumentos construídos a partir da etnografia que realizei sobre a Lapa Carioca. Ao longo deste trabalho, recupero brevemente os distintos momentos históricos vividos pela Lapa para problematizar o seu constante processo de transformação sociocultural e espacial. Com base nestes elementos históricos, busco estabelecer conexões considerando: a) as contribuições de distintos autores que buscaram refletir sobre cidade, ordem, desordem, crime, violência e administração de conflitos no espaço público e b) as políticas de policiamento adotadas nos últimos anos na região, com o intuito de compreender as lógicas que orientam as práticas policiais.


Palavras-chave


Administração de conflitos. Lapa. Ordem pública. Práticas policiais.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Rui. Oração aos moços. Oração aos moços/Rui Barbosa; edição popular anotada por Adriano da Gama Kury. 5. ed. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 1997.

BECKER, Calvin. Conflict and the uses of adjudication. Law Reform Commission of Canada, Studies on Diversion. Ottawa: Information Canada, 1975.

BOHANNAN, Paul. Justice and judgement among the Tiv. Illinois: Wavelend Press, 1989.

BRETAS, Marcos Luiz. A guerra das ruas: povo e polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Luis R. Direito legal e insulto moral: dilemas da cidadania no Brasil, Quebec e EUA. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2002.

CARUSO, Haydée. Entre ruas, becos e esquinas: por uma antropologia dos processos de construção da ordem na Lapa Carioca. Tese (Doutorado, PPG em Antropologia) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2009.

CARVALHO, Giane Alves de. Conflito, violência e tragédia da cultura moderna: reflexões à luz de Georg Simmel. Revista Brasileira de Segurança Pública, v. 1,

p. 150-163, 2007.

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados. O Rio de Janeiro e a república que não foi. Rio de Janeiro: Companhia das Letras, 2004.

COSER, L. Las funciones del conflicto social. Ciudad de México: Fondo de Cultura, 1978.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

DAMATA, Gasparino (org.). Antologia da Lapa. Rio de Janeiro: Desiderata, 2007.

EVANS- PRITCHARD, E. E. Os Nuer. 2. ed. Rio de Janeiro: Perspectiva, 1999.

GOLDSTEIN, Herman. Policiando uma sociedade livre. São Paulo: Edusp, 2003.

HERSCHMANN, Micael. Lapa, cidade da música: desafios para o crescimento do Rio de Janeiro e da indústria da música independente nacional. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007.

HOLLOWAY, Thomas. Polícia no Rio de Janeiro: repressão e resistência numa cidade do século XIX. Rio de Janeiro: FGV Editora, 1997.

JACOBS, Jane. Morte e vida nas grandes cidades. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KANT DE LIMA, Roberto. A polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Forense, 1995.

KANT DE LIMA, Roberto. A administração dos conflitos no Brasil: a lógica da punição. In: Gilberto Velho; Marcos Alvito (orgs.). Cidadania e violência. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 1996. v. 1, p. 165-177.

KANT DE LIMA, Roberto. Direitos civis e direitos humanos: uma tradição judiciária pré-republicana? São Paulo em Perspectiva. v. 18, n. 1, p. 49-59, 2004.

LUSTOSA, Isabel (org.). Lapa do desterro e do desvario: uma antologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2001.

LUZ, Moacyr. A Lapa em dois sambas. In: Gasparino Damata (org.). Antologia da Lapa. Rio de Janeiro: Desiderata, 2007. p. 13-17.

MAGNANI, J. G. C. Quando o campo é a cidade: fazendo antropologia na metrópole. In: J. G. Magnani; Lílian de Lucca Torres (orgs.). Na metrópole: textos de antropologia urbana. São Paulo: Edusp, 1996.

MARTINS, Luís. Noturno da Lapa. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1964.

MENDES DE ALMEIDA JR, J. O processo criminal brasileiro. 3. ed. aum. Rio de Janeiro: Typographia Baptista de Souza, 1920. 2 v.

MISSE, Michel. Malandros, Marginais e Vagabundos & a acumulação social da violência no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Sociologia) – Iuperj, Rio de Janeiro, 1999.

MUNIZ, Jacqueline O. Ser policial é sobretudo uma razão de ser: cultura e cotidiano da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado) – PPG em Ciência Política, Iuperj: Rio de Janeiro, 1999.

MUNIZ, Jacqueline O. Discricionariedade policial e aplicação seletiva da lei na democracia. Revista Ultima Ratio, v. 2, n. 2, p. 97-122, 2008.

NEDER, Gizlene. Cidade, identidade e exclusão social. Tempo. v. 2, n. 3, p. 106-134, 1997.

PARK, Robert Ezra. A cidade: sugestões para a investigação do comportamento humano no meio urbano. In: Otávio G. Velho (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1967. p. 25-66.

SANTOS, Wanderley Guilherme. Cidadania e justiça. Rio de Janeiro: Campus, 1978.

SILVA, Hélio R. S. Travestis: entre o espelho e a rua. Rio de Janeiro: Ed. Rocco, 2007.

SIMMEL. Georg. Conflict and the web of group-affiliations. New York: The Free Press, 1955.

SIMMEL, Georg. O estrangeiro. In: Sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

SIMMEL, Georg. A metrópole e a vida mental. In: Otávio G. Velho (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1967. p. 13-28.

TEIXEIRA MENDES, R. L. Dilemas da decisão judicial: as representações de juízes brasileiros sobre o princípio do livre convencimento motivado.

Tese (Doutorado em Direito) – UFG, Rio de Janeiro, 2008.

TURNER, V. Floresta de símbolos. Niterói, Eduff, 2005.

VALLADARES, Licia do Prado. A propósito da urbanização de favelas. Espaço & Debates, v. 1, n. 2, p. 5-18, 1981.

WIRTH, Louis. O urbanismo como modo de vida. In: Otávio G. Velho (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara, 1967. p. 89-112.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2015.1.17282

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs