A contextualização da verdade ou como a ciência torna-se periférica

Fabricio Monteiro Neves

Resumo


O trabalho trata do tema dos contextos da verdade. A argumentação teórica estrutura-se em torno de questões levantadas pelos estudos sociais em ciência e tecnologia, focando-se na vertente de estudos que levam em conta as diferenças de legitimação e circulação do conhecimento científico em contextos periféricos no sistema global de ciência e tecnologia. Deter-se-á na discussão do que se chamou sistema biotecnológico, um complexo articulado, formado por instituições acadêmicas, empresas públicas e empresas de pesquisa biotecnológicas especializadas na produção de conhecimento e tecnologia voltados para a manipulação da vida. A análise é desenvolvida por meio do conceito de regime de produção de conhecimento periférico, um regime de perturbações recíprocas entre sistemas, limitado pelas configurações institucionais dos estados nacionais, mas em relação com os centros de produção tecnocientíficos. Tal regime, no Brasil, foi caracterizado como tradutor de demandas locais, neste sentido, produtor de pesquisa de interesse meramente periférico, sem capacidade de circulação ampla na rede global do sistema, e, portanto, negligenciada no centro.

Palavras-chave


Estudos sociais em ciência e tecnologia. Sistema científico. Centro-periferia. Teoria dos sistemas sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


AROCENA, Rodrigo; SUTZ, Judith. Conhecimento, inovação e aprendizado: sistemas e políticas no norte e no sul. In: H. M. M. Lastres; J. E. Cassiolato; A. Arroio (Orgs.). Conhecimento, sistemas de inovação e desenvolvimento. Rio de Janeiro: Ed. da UFRJ, 2005. p. 405-428.

BLOOR, David. Conhecimento e imaginário social. São Paulo: Unesp, 2009.

BOUND, Kirsten. Brazil: the natural knowledge economy. London:

Demos, 2008.

BRONOWSKI, J.; MAZLISH, Bruce. The western intelectual tradition. New York: Dorset Press, 1986.

BURGOS, Marcelo. Ciência na periferia: a Luz sincrotron brasileira. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 1999.

ETZKOWITZ, Henry. The economy and technology. In: Sal Restivo (Org.). Science, technology, and society. New York: Oxford University Press, 2005.

ETZKOWITZ, Henry; WEBSTER, Andrew; GEBHARDT, Christiane; TERRA, Branca Regina Cantisano. The future of the university and the university of the future: evolution of ivory tower to entrepreneurial paradigma. Research Policy, v. 29, p. 313-330, 2000.

GIBBONS, Michael et al. The new production of knowledge: the dynamics of science and research in contemporary societies. London: Sage, 1994.

KNORR-CETINA, Karin. La fabricación del conocimiento: un ensayo sobre el caráter constructivista y contextual de la ciência. Bernal: Universidade Nacional de Quilmes, 2005.

LATOUR, Bruno; WOOLGAR, Steve. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

LATOUR, Bruno. Ciência em ação. São Paulo: Unesp, 2000.

LONGINO, Helen. The fate of knowledge. Princeton: Princeton University Press, 2002.

LUHMANN, Niklas. La ciencia de la sociedad. México, D. F.: Antrhopos,1996.

LUHMANN, Niklas. La sociedad de la sociedad. México: Iberoamericana, 2007.

MARTINELLI, Alberto. Global Modernization: rethinking the project of modernity. London: Sage, 2005.

NELSON, Richard R.; WINTER, Sidney G. Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas: Editora da Unicamp, 2005.

NEVES, Marcelo. Entre Têmis e o Leviatã: uma relação difícil – o estado democrático de direito a partir e além de Luhmann e Habermas. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

NEVES, Marcelo. From the autopoiesis to the alopoiesis of law. Jornal of Law and Society, v. 28, n. 2, p. 242-264, 2001.

NEVES, Fabrício; COSTA LIMA, João Vicente. As mudanças climáticas e a transformação das agendas de pesquisa. Liinc em Revista, v. 8, n. 1, p. 268-282, 2012.

NEVES, Fabrício M. Bíos e techné: estudo sobre a construção do sistema de biotecnologia periférico. Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Ufrgs. Tese de doutorado, 2009.

NEVES, Fabrício. A verdade como comunicação: notas sobre a sociologia do conhecimento científico e a teoria dos sistemas sociais. In: Roberto Dutra; João P. Bachur (Orgs.). Dossiê Niklas Luhmann. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

POWELL, Walter W.; SNELLMANN, Kaisa. The knowledge economy. Annual Reviews of Sociology. v. 30, p. 199-220, 2004.

RODRIGUES, Leo; NEVES, Fabrício. Niklas Luhmann: a sociedade como sistema. Porto Alegre: Edipucrs, 2012.

SHAPIN, Steven. A social history of truth. Chicago: Chicago Press, 1995.

SCHWARTZMAN, Simon. Formação da comunidade científica no Brasil. São Paulo: Ed. Nacional, 1979.

THORPE, Charles. Political theory in science and technology studies. In: Edward J. Hackett; Olga Amsterdamska; Michael Lynch; Judy Wajcman (Orgs.). The handbook of science and technology studies. Cambridge: The MIT Press. 2007.

TEUBNER, Günther. Direito, sistema e policontextualidade. Piracicaba: Editora Unimep, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2014.3.16712

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs