Diálogos entre Bruno Latour e Ulrich Beck: Convergências e divergências

Tatiana Gomes Rotondaro

Resumo


Este texto tem por objetivo expor e refletir sobre o debate entre dois dos principais cientistas sociais da atualidade: Ulrich Beck e Bruno Latour. Contudo, sugiro ainda que esse debate transcende o nível de suas convergências e divergências nos fornecendo indicativos de algumas tendências nas humanidades. Um dos aspectos que pretendo discutir se refere ao que observo como uma “abertura antropológica” das ciências humanas, que de modo algum corresponde a sua antropologização. Argumento que em função da proliferação de crises, pela quais passam as instituições contemporâneas, sociólogos e cientistas políticos tendem a abrir seus esquemas macroexplicativos da realidade social ao escrutínio e à combinação de metodologias antropológicas como meio de encontrar bases para a construção de novos parâmetros que possam balizar projetos políticos normativos inclusivos.

Palavras-chave


teoria social; teoria do ator rede (ANT); cosmopolitismo; Ulrich Beck; Bruno Latour

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2012.1.11152

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2020 Edipucrs