A natureza e o papel da psicologia fenomenológica em Alfred Schutz

Lester Embree

Resumo


O ensaio analisa como a psicologia fenomenológica pode se aproximar da fenomenologia transcendental de Edmund Husserl a fim de esclarecer os fundamentos das ciências culturais e, em seguida, explica a teoria desta psicologia implícita na obra de Schutz. Max Weber demonstrou que todos os fenômenos do mundo sociocultural originam-se na interação social e estão submetidos a ela. Segundo ele, é papel central da sociologia entender o significado que o ator confere a sua ação (o “significado subjetivo”, em sua terminologia). Mas o que é ação, o que é significado, e como é possível a compreensão de tal significado, seja por um participante da interação social, um simples observador da vida cotidiana ou um cientista social? Eu diria que qualquer tentativa de responder a estas perguntas leva imediatamente a questões com as quais Husserl mantinha interesse e que, até certo ponto, ele pode esclarecer (Schutz, 1962, p. 145).

Palavras-chave


psicologia fenomenológica, fenomenologia, Schutz, Husserl, ciência humana, ciências culturais

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1984-7289.2011.3.10058

Direitos autorais 2016 Civitas - Revista de Ciências Sociais

ISSN-L: 1519-6089  -  e-ISSN: 1984-7289

Civitas - Revista de Ciências Sociais

....................................................................................................................................................................................................

Este periódico é membro do Cope (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas editoriales de revistas científicas brasileñas. Disponibilidad de depósito: Azul .

Copyright: © 2006-2019 Edipucrs