Abordagem pós-colonial e decolonial em Paulo A Carta aos Romanos

Flávio Martinez de Oliveira

Resumo


O texto discute a abordagem pós e decolonial em sua história e contexto, finalidades e relações. Tem como objetivos investigar o fenômeno desenvolvido na América Latina, suas relações com o pensamento alternativo europeu e norte-americano, suas implicações no Cristianismo, na Teologia e na pesquisa em Paulo. Nesta orientação, analisa-se a Carta aos Romanos. Revisa-se a bibliografia mais significativa e propõe-se uma análise própria. Conclui-se que a análise é pertinente, possível e necessária. Paulo faz um diagnóstico do Império e da Casa Imperial e lança a proposta de uma sociedade alternativa com base na justiça escatológica de Deus, que não implica revolta, mas resistência em solidariedade e amor mútuo. Tal proposta incide nos indivíduos, comunidades e atinge o próprio cosmos. Conclui-se, finalmente, que a abordagem pós e decolonial é altamente significativa, em forte inspiração aos biblistas comprometidos com uma hermenêutica crítica e àqueles que acreditam na transformação do sistema de colonialidade/modernidade, o qual ainda nos afeta, causando confusão e intenso sofrimento a grandes contingentes da população e à própria natureza.


Palavras-chave


Pós-colonial; Decolonial; Teologia; Romanos.

Texto completo:

PDF

Referências


ARBIOL, Carlos Gil. Que se sabe de… Pablo en el naciente cristianismo. Estella: Verbo Divino, 2015.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 11, p. 89-117, maio/ago. 2013.

BHABA, Homi K. O local da cultura. 2. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

BONNICI, Thomas. Avanços e ambiguidades do pós-colonialismo no limiar do século 21. Revista Légua & Meia, Feira de Santana, v. 3, n. 1, p. 186-2002, 2005.

Disponível em: http://leguaemeia.uefs.br/3/3_186-202_avancos.pdf. Acesso em: 30 dez. 2018.

BOYARIN, Daniel. A radical Jew: Paul and the politics of identity. Los Angeles: University of California Press, 1994.

CUNHA, Carlos. Provocações decoloniais à teologia cristã. São Paulo: Terceira Via, 2017.

DUSSEL, Enrique D. Descolonización epistemológica da teología. Concilium: Revista Internacional de Teología, n. 350, p. 23-34, 2013.

ELLIOTT, Neil. Liberating Paul: the justice of God and the politics of the apostle. Maryknoll: Orbis Books, 1994.

ELLIOTT, Neil. The arrogance of nations: reading Romans in the shadow of the empire. Minneapolis: Fortress Press, 2008.

ELLIOTT, Neil. The Letter to the Romans. In: SEGOVIA, Fernando F.; SUGIRTHARAJAH, R. S. (ed.). Postcolonial commentary on the New Testament writings. London: T&T Clark, 2009. p. 194-219.

ELLIOTT, Neil. The rhetoric of Romans: argumentative constraints and strategy and Paul’s dialogue with Judaism. Minneapolis: Fortress Press, 1990.

ESCOBAR, Arturo. Mundos y conocimientos de otro mundo: el programa de investigación modernidad/colonialidad latinoamericano. Tabula Rasa, Bogotá, n. 1, enero/dic. 2003.

ESLER, Philip. (ed.). Modelling early christianity: social-scientific studies of the New Testament in its context. London: Routledge, 1995.

FANON, Frantz. The Wretched of the Earth. New York: Gove Press, 1963. Federal da Bahia, Salvador, 2012.

FITZMYER, Joseph A. Romans. New York: Doubleday, 1993.

FORNET-BETANCOURT, Raúl. Filosofar para nuestro tiempo en clave intercultural. Aachen: Wissenchaftsverlag Mainz, 2004.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 47. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

GAGER, John. The origins of antisemitism. New York: Oxford University Press, 1985.

GEFFRÉ, Claude. Crer e interpretar: a virada hermenêutica da teologia. Petrópolis: Vozes, 2004.

GEORGI, Dieter. Theocracy in Paul’s praxis and theology. Minneapolis: Fortress Press, 1991.

GOODENOUGH, Erwin Ramsdell. An introduction of Philo Judaeus. 2. ed. Oxford: Basil Blackwell, 1962.

GOODMAN, Martin. The Roman World 44 BC-AD 180. New York: Routledge, 1997.

GUTIÉRREZ, Gustavo. Teologia da libertação: perspectivas. São Paulo: Loyola, 2000.

HORSLEY, Richard A. (ed.). Paul and empire: religion and power in roman imperial society. Harrisburg: Trinity, 1997.

HORSLEY, Richard A. Paul and the Roman Imperial Order. London: Bloomsbury Academic, 2004.

HORSLEY, Richard A. The first end second letters to the Corinthians. In: SEGOVIA, Fernando F.; SUGIRTHARAJAH, R. S. (ed.). Postcolonial commentary on the New Testament writings. London: T&T Clark, 2009. p. 220-245.

LÖWY, Michael. O que é cristianismo da libertação? Religião e política na América Latina. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2016.

MEGGITT, Justin. Paul, poverty and survival. Edinburgh: T&T Clark, 1998.

MIGNOLO, Walter. La idea de America Latina: la herida colonial y la opción decononial. Barcelona: Gedisa, 2007.

MOLTMANN, Jürgen. Experiências de reflexão teológica: caminhos e formas da teologia cristã. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

MORIN, Edgar; LE MOIGNE, Jean-Louis. Inteligência da complexidade: epistemologia e pragmática. Lisboa: Instituto Piaget, 2009.

NEUTZLING, Inácio. Ciência e teologia na universidade do século XXI: possibilidades de uma teologia pública: algumas aproximações. São Leopoldo: Unisinos, 2004.

NICOLESCU, Barasab. O manifesto da transdisciplinaridade. 2. ed. São Paulo: Triom, 2001.

PALERMO, Zulmira; QUINTERO, Pablo (coord.). Anibal Quijano: textos de fundación. Buenos Aires: Signo, 2016.

PENNA, Romano. Lettera ai Romani: Rm 12-16. Bologna: EDB, 2008. v. 3.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y modernidad-racionalidad. In: PALERMO, Zulmira; QUINTERO, Pablo (coord.) Anibal Quijano: textos de fundación. Buenos Aires: Signo, 2016.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina. In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidade do saber eurocentrismo e ciências sociais: perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, 2005.

Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/sur-sur/20100624103322/12_Quijano.pdf. Acesso em: 28 mar. 2019.

RAMSARAN, Rollis A. Resisting imperial domination and influence: Paulus’s apocalyptic rhetoric in 1 Corinthians. In: HORSLEY, Richard A. (ed.). Paul and the Roman Imperial Order. Harrisburg: Trinity, 2004. p. 89-102.

REASONER, Mark. The Strong and the Weak: Romans 14:1-15:13 in Context. Cambridge: Cambridge University Press, 1999. (Society for the New Testament Studies Monograph Series, n. 103).

SAID, Edward W. Orientalismo. Madrid: Libertárias, 1990.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologia do sul. São Paulo: Cortez, 2001.

SCOTT, James C. Los dominados y el arte de la resistencia: discursos ocultos. Fafalla: Txalaparta, 2003.

SCOTT, James C. Weapons of the weak: everyday forms of peasant resistance. New Haven: Yale University Press, 1985.

SEGOVIA, Fernando. Interpreting beyond borders. Sheffield: Sheffield Academic Press, 2000.

SOMMERMAN, Américo. A interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade como novas formas de conhecimento para a articulação dos saberes no contexto da ciência e do conhecimento em geral: contribuição para os campos da educação, da saúde e do meio ambiente. 2012. Tese (Doutorado em Difusão do Conhecimento) – Programa Multi-institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento, Universidad

STOWERS, Stanley, A rereading of Romans: justice, jews, gentiles. New Haven: Yale University Press, 1994.

SUSIN, Luiz Carlos (org.). Teologia para outro mundo possível. São Paulo: Paulinas, 2006.

TAMAYO, Juan José Tamayo. Teologías del sur: el giro descolonizador. Madrid: Trotta, 2017.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, estado, sociedad: Luchas (de) coloniales de nuestra época. Quito: Abya Yala, 2009.

Disponível em: http://clar.org/assets/interculturalidadestadosociedad.pdf. Acesso em: 28 mar. 2019.

WRIGHT, Nicholas Thomas. The climax of convenant: Christ and the law in pauline theology. Edinburg: T&T Clark, 1991.





e-ISSN: 2596-2922

 

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org

Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul.

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS