Continuidades e rupturas: análises das Independências americanas 200 anos depois

Alex Jacques da Costa

Resumo


N a esteira do projeto da Associação de Historiadores Latino- americanistas Europeus, chamado Estudios de Historia Latinoamericana, a obra de Frasquet & Slemian (2009) surge também na voga de um período de comemorações em boa parte da América Latina: do bicentenário dos processos de independência nos territórios que faziam parte da chamada América espanhola. Constituída por doze trabalhos, a obra percorre um caminho pelo qual são desdobrados os temas, partindo-se na direção sul-norte das Américas e no qual as autoras trataram especialmente de apontar o quanto o liberalismo revolucionário e a práxis política e legislativa, primeiro nas Cortes de Cádiz e depois em Madrid e Lisboa, foram “los cimientos” para a formação dos Estados-nação que seriam construídos na América durante a primeira metade do século XIX. (Frasquet; Slemian, 2009, p. 10-11) Da mesma forma, anotam as historiadoras, a importância da historiografia que a algum tempo passou a contemplar questões mais focalizadas, aportando novas possibilidades e maior complexidade ao estudo dos referidos processos de independência.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2010.2.8769



ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.