Escrita e cicatriz: da colonização à prisão

Ivete Lara Camargos Walty

Resumo


Este trabalho pretende fazer dialogar algumas imagens da série Cicatriz, de Rosângela Rennó, com a escrita de/sobre a prisão em diferentes momentos da história da literatura brasileira, à luz do conceito de colonização em seu sentido lato, em relação com os conceitos de biopolítica (Foucault) e necropolítica (Mbembe). Representando momentos ditatoriais diversos, analisamse, sob o enfoque da imagem da cicatriz/tatuagem associada à da escrita, cenas de Memórias do Cárcere, de Graciliano Ramos (1954), Cartas da prisão (1977), O canto na fogueira (1977) e Batismo de Sangue (2006), de Frei Betto1, além da trilogia de Luiz Alberto Mendes: Memórias de um sobrevivente (2001), Às cegas (2005) e Confissões de um homem livre (2015).


Palavras-chave


Cicatriz. Colonização. Escrita. Prisão. Necropolítica.

Texto completo:

PDF

Referências


BETTO, Frei. Cartas da prisão. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

BETTO, Frei. Batismo de Sangue: guerrilha e morte de Carlos Marighella. 14. ed. Rev. e ampl. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

BRITO, Fernando de; LESBAUPIN, Ivo; CHRISTO, Carlos Alberto Libânio. O canto na fogueira. Cartas de três dominicanos quanto em cárcere político. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 1978.

CLASTRES, Pierre. A sociedade contra o Estado. Pesquisas de antropologia política. 2. ed. Tradução: Theo Santiago. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1978.

CLASTRES, Pierre. Arqueologia da violência. Ensaio de antropologia política. Tradução: Carlos Eugênio Marcondes de Moura. São Paulo: Brasiliense, 1982.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Tradução: Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1979.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1 – a vontade de saber. Tradução: Maria Thereza da Costa Albuquerque; J. A. Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FOUCAULT, M. Nascimento da biopolítica. Tradução: Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

GANDAVO, Pero de Magalhães. Tratado da Terra do Brasil. História da província de Santa Cruz. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v7i15p89-95

GIRARD, René. La violence et le sacré. Paris: Grasset, 1972.

GIRARD, René. Le bouc emissaire. Paris: Grasset, 1982.

GOODY, Jack. A lógica da escrita e a organização da sociedade. Tradução: Teresa L. Pérez. Lisboa: Edições 70, 1987.

KAFKA, Franz. O veredicto/Na Colônia penal. Tradução: Modesto Carone. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

LÉRY, Jean de. Viagem à terra do Brasil. Tradução: Sérgio Milliet. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. Tradução: Renata Santini. São Paulo: N-1 edições, 2018.

https://doi.org/10.12957/rmi.2018.39278

MENDES, Luiz Alberto. Memórias de um sobrevivente. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

MENDES, Luiz Alberto. Às cegas. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

MENDES, Luiz Alberto. Confissões de um homem livre. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

PELLEGRINI, Hélio. Psicanálise da criminalidade: ricos e pobres. Folha de S. Paulo, 1 de out. 1984, p. 7-8, (Folhetim).

RAMOS, Graciliano. Memórias do Cárcere. 23. ed. Rio de Janeiro: Record, 1987. 2 v.

RANCIÈRE, Jacques. Políticas da escrita. Tradução: Raquel Ramalhete et al. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

RENNÓ, Rosangela. Cicatriz. Fotografias de Museu penitenciário e textos do Arquivo universal. Discursos sediciosos – Crime, direito e sociedade, Rio de Janeiro, n. 4, p. 15-20, 1998.

RENNÓ, Rosângela. Cicatriz. Los Angeles: The Museum of Contemporary Art, 1996.

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos. São Paulo: Perspectiva, 1978.

SANTOS, Marcelo dos. Vidas em arquivo: cicatriz e memória em Rosangela Rennó e Silviano Santiago. 2010. Tese (Doutorado em Literatura Comparada) – Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UFRJ, Rio de Janeiro, 2010.

https://doi.org/10.1590/s0103-21862010000200013

SANTOS, Boaventura Souza. O fim do império cognitivo. Lisboa: Almedina, 2018.

SELIGMANN-SILVA, Márcio. Novos escritos dos cárceres: uma análise de caso. Luiz Alberto Mendes, Memórias de um sobrevivente. Estudos de literatura brasileira contemporânea, Brasília, n. 27, p. 35-58, 2007.

SOUZA, Laura de Mello e. O diabo e a terra de Santa Cruz. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.

THÉVET, Andre. As singularidades da França Antártica. Tradução: Eugênio Amado. Belo Horizonte: Itatiaia, 1978.

TODOROV, Tzetan. A conquista da América. A questão do outro. Tradução: Beatriz Perrone Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

WALTY, Ivete Lara Camargos. Cordeiro imolado: um estudo da violência nas Cartas da prisão, de Frei Betto. Ensaios de semiótica: Cadernos de linguística e teoria da literatura, Belo Horizonte, n. 6, p. 87-96, dez. 1981.

https://doi.org/10.17851/0101-3548.3.6.87-97

WALTY, Ivete Lara Camargos. Narrativa e imaginário social: uma leitura das Histórias de maloca antigamente, de Pichuvi Cinta-larga. 1991. Tese (Doutorado em Teoria Literária e Literatura Comparada) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, USP, São Paulo, 1991.

https://doi.org/10.1590/s0103-65641998000100003

WALTY, Ivete Lara Camargos. Religião e identidade em Iracema. Ensaios de semiótica: Cadernos de linguística e teoria da literatura, Belo Horizonte, n. 18-20, p. 209-225, 1988.

https://doi.org/10.17851/0101-3548.9.18-20.209-225

WEINSTEN, Arnold. Kafka’s Writing Machine: Metamorphosis in the Penal Colony. Studies in 20 th Century Literature, v. 7, n. 1, p. 21-33, 1982.

https://doi.org/10.4148/2334-4415.1112




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2019.2.32813

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

ATENÇÃO

Sistema em manutenção

Migração do sistema OJS para a versão 3.0. Durante este período os usuários:

  • Poderão acessar todo o conteúdo já publicado
  • Não poderão efetivar encaminhamentos do fluxo editorial (submissão, avaliação, publicação)

Previsão: 06/07/2020


e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.