Porcos da metrópole e atuns da colônia: adaptação alimentar dos colonizadores europeus na América portuguesa quinhentista

Christian Fausto Moraes dos Santos, Gisele Cristina Conceição, Fabiano Bracht

Resumo


A partir de cartas, tratados e relatos produzidos na América portuguesa do século XVI, analisamos alguns traços do cotidiano nutricional vivido pelos europeus que se estabeleceram no litoral. Para tal, abordamos questões estratégicas como o desenvolvimento das técnicas de cultivo, coleta e pesca, bem como a introdução, adaptação e aclimatação de algumas espécies animais e vegetais, oriundos da Europa. A partir da perspectiva da História das Ciências, buscamos compreender como o novo Mundo Natural encontrado pelos europeus ao desembarcarem nos trópicos, contribuiu não somente à sobrevivência destes, como também, na construção de novos paradigmas no campo da Filosofia Natural.

Palavras-chave


História das Ciências. América portuguesa. Adaptação alimentar.Colonização.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBADE, Celina Márcia de Souza. Os textos da culinária Portuguesa revelando os costumes Medievais. Cadernos do Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos, Rio de Janeiro: Cifefil, v. XII, n. 08, 2009.

AMORIN, Inês. Da pesca a salga da sardinha: recursos, tecnologia da pesca e tecnologia da conservação, na costa de Aveiro (2ª metade do séc. XVIII a inícios de XIX). Porto: Universidade do Porto/Faculdade de Letras, 1998.

BERKEL, Brigitte Maas-van; BOOGAARD, Brigiet van den; HEIJNEN, Corlien. Conservação de peixe e carne. Wageningen: Fundação Agromisa, 2005.

CARDIM, Fernão. Tratados da terra e gente do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

CASCUDO, Luis da Camara. História da alimentação no Brasil. São Paulo: Global, 2005.

CASE, Frances. 1001 comidas para provar antes de morrer. Prefácio de Gregg Wallace. Rio de Janeiro: Sextante, 2009.

CASTRO, Silvio. A carta de Pero Vaz de Caminha. Porto Alegre: L&PM Editores, 1985.

COSTA, Manuel Fernandes. O descobrimento da América e o Tratado de Tordesilhas. Lisboa: Instituto de Cultura Portuguesa, 1980.

COSTA, José P. C. da; BELO, Muracy; BARBOSA, José C. Efeitos de Espécies de Timbós (Derris spp.: Fabaceae) em populações de Musca domestica L. An. Soc. Entomol. Brasil, v. 26, n. 1, p. 163-168, 1997.

CROSBY, Alfred. Imperialismo ecológico: A expansão biológica da Europa 900-1900. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

DEAN, Warren. A ferro e fogo: a história e a devastação da mata atlântica brasileira. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

DELARIVA, Rosilene Luciana; AGOSTINHO, Angelo Antonio. Introdução de espécies: uma síntese comentada. Acta Scientiarum, v. 21, n. 2, p. 255-262, 1999.

DIAMOND, Jared. Armas germes e aço: os destinos das sociedades humanas. Rio de Janeiro: Record, 2008.

FERRAZ DE ARRUDA, Lia; MARTINS, Priscila Eloi; SILVA, Adrana Figueiredo da; MORAES, Julieta E. Rodini de; VAZ-PIRES, Paulo; OZÓRIO, Rodrigo Otávio de Almeida; OETTERER, Marília. O Setor Pesqueiro em

Portugal – Relato de caso. Bol. Inst. Pesca, v. 37, n. 2, p. 199-207, 2011.

FERNÁNDEZ-ARMESTO, Felipe. Os desbravadores: uma história mundial da exploração da Terra. Tradução Donaldson M. Garschagen. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

FERREIRA, Tiago Miguel de Lima. Produção de Suínos de raça Alentejana em sistema intensivo até ao final da pré-engorda. Dissertação (Mestrado em Produção Animal) – Universidade Técnica de Lisboa Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa, 2008.

FLANDRIN, Jean Louis; MONTANARI, Massimo. História da alimentação. 4. ed. São Paulo: Estação Liberdade, 1998.

GANDAVO, Pero de Magalhães. História da Província Santa Cruz. Rio de Janeiro: Obelisco, 1963.

GASPAR, Madu. Sambaqui: arqueologia do litoral brasileiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2004.

HAZIN, Fábio Hissa Vieira. O futuro da pesca e da aquicultura marinha no brasil: a pesca oceânica. Ciência e Cultura, São Paulo, v. 62, n. 3, 2010. Disponível em: .

HOLZKAMM, Tim E.; WAISBERG, Leo G. Native American Utilization of Sturgeon. LEBRETON, Greg T. O.; BEAMISH, F. William H.; MCKINLEY, R. Scott (Ed.). Sturgeons and Paddlefish of North America. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers. 2004, p. 22-36.

HUE, Moura Sheila. Delícias do descobrimento: a gastronomia brasileira no século XVI. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

KRONDL, Michael. Veneza, Lisboa e Amsterdã na rota das especiarias. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

KURLANSKY, Mark. A grande ostra: cultura, história e culinária de Nova York. Rio de Janeiro: José Olympio. 2009.

LÉRY, Jean de. Viagem à terra do Brasil. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exercito, 1961.

LOUX; Richard. Sagesses du corps: la santé et la maladie dans les proverbes français. Paris: Maisonneuve et Larose, 1978.

LOPES, M.M. Culturas das Ciências Naturais/Cultures of Natural Sciences. Ciência & Educação, v. 11, n. 3, p. 457-470, 2005.

MAGNOLI, Demétrio. Geografia: a construção do Mundo. São Paulo: Moderna, 2005.

MANUPPELLA, Giacinto; ARNAUT, Salvador Dias. O livro de cozinha da Infanta D. Maria de Portugal. Coimbra: Ordem da Universidade de Coimbra, 1967.

MARIANTE, Arthur da Silva, CAVALCANTE, Neusa. Animais do descobrimento: raças domésticas da história do Brasil/Animals of the discovery: domestic breeds in the history of Brasil. 2. ed. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2006.

ODUM, Eugene P. Fundamentos de Ecologia. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

QUAMMEN, David. O canto do dodô: biogeografia de ilhas numa era de extinções. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

REBELO, Maria José Fortes. As indústrias da pesca e conservas de atum no Algarve do Século XX. [Tese – Universidade de Algarve], Algarve: Editora MJFR, 2010.

REITZ, Elizabeth J. The Spanish Colonial Experience and Domestic Animals. Historical Archaeology, v. 26, n. 1, The Archaeology of the Spanish Colonial and Mexican Republican Periods, p. 84-91, 1992.

RODRIGUES, Domingos. 1637-1719: Arte de Cozinha, 1680. Rio de Janeiro: SENAC Rio de Janeiro, 2008.

RODRIGUES, Leticia de Alencar Pereira; CARVALHO FILHO, Celso Duarte. Ocorrência de Vibrio parahaemolitycus nas etapas de beneficiamento de ostras (Crassostrea rhizophorae), Cultivadas na Baía de Todos os Santos-BA, e Determinação dos Pontos Críticos de Controle. UNOPAR Cient. Ciênc. Biol. Saúde, v. 13, p. 77-83, 2011.

SAFFRON, Inga. Caviar: a estranha história e o futuro incerto da iguaria mais cobiçada do mundo. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2004.

SANTOS, C. F. M.; FERREIRA, Vítor de Souza; CARREIRA, Lígia. A América e o morcego hematófago no relato de viajantes quinhentistas. Varia História, Belo Horizonte, v. 23, p. 561-573, 2007.

SANTOS, Christian F. M. dos; MOTTA, Lúcio Tadeu; GONÇALVES, José Henrique Rollo. Estratégia e adaptabilidade alimentares na América portuguesa do século XVIII: alguns casos Monçoeiros. Diálogos, DHI/PPH/UEM, v. 14, n. 2, p. 273-286, 2010.

SOUSA, Gabriel Soares de. Tratado Descritivo do Brasil. São Paulo: Brasiliana, 1971.

SOUZA, Rosa Cristina Corrêa Luz de; LIMA, Tania Andrade, SILVA, Edson Pereira da. Conchas marinhas de Sambaquis do Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Technical Books, 2011.

SZPILMAN, Marcelo. Peixes marinhos no Brasil: guia prático de identificação. Rio de Janeiro: Mauad, 2000.

THÉVET, André. As singularidades da França Antártica. Belo Horizonte/São Paulo: Itatiaia/Editora da Universidade de São Paulo, 1978.

TUAN, Yi-Fu. “Topofilía”: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. São Paulo/Rio de Janeiro: Difel, 1980.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2013.2.13744



e-ISSN: 1980-864X | ISSN-L: 0101-4064

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios - www.publicationethics.org



AVALIAÇÃO QUALIS CAPES - 2016 
ÁREA CAPES - História
CLASSIFICAÇÃO - A2

INDEXADORES E PORTAIS

  • Web of Science - Master Journals List (Clarivate Analytics)
  • SSCI - Social Sciences Citation Index (Clarivate Analytics)
  • AHCI - Arts and Humanities Citation Index (Clarivate Analytics)
  • Scopus (Elsevier)
  • SJR - ScIMAGO Journal & Country Rank (Elsevier)
  • Historical Abstracts with Full Text (EBSCO)
  • Academic Search Premier (EBSCO)
  • Fonte Acadêmica (EBSCO)
  • Fuente Academica (EBSCO)
  • CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades
  • DOAJ - Directory of Open Access Journals
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal
  • REDALYC - Red de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal
  • Portal CAPES

FATOR DE IMPACTO NO SJR (SCImago Journal & Country Rank)

SCImago Journal & Country Rank

Licença Creative Commons OriginalityCheck®
Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional. 
TurnITin
Todos os artigos são submetidos ao software Turnitin, antes de iniciar qualquer tipo de avaliação.
Diadorim  Open Access 
Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul. 
 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS