Fator amazônico e cultura política na gestão do SUAS: as influências no processo de consolidação do SUAS no Estado do Pará / Amazonian factor and political culture in the management of SUAS: the influences on SUAS consolidation process in the State of Pará

Severino Martins Junior

Resumo


O presente artigo traz elementos da Pesquisa Regional intitulada “Avaliando a implementação do Sistema Único de Assistência Social na região norte e nordeste: significado do SUAS para o enfrentamento à pobreza nas regiões mais pobres do Brasil”, que vislumbra o processo de consolidação do SUAS por meio da análise crítica dos fundamentos, da realidade da Política Nacional de Assistência Social e do processo de implementação do SUAS. As respostas preambulares apontam práticas antidemocráticas implícitas na gestão do SUAS em dois municípios do Estado do Pará, expressos no clientelismo, na subalternização e na servilidade da pobreza imputada aos usuários do SUAS, assim como na atualização do conservadorismo, relacionado ao “primeiro-damismo”, convalidando a ordem política, materializando a não política, sob a “pseudo” benesse do Estado.


Palavras-chave


Fator amazônico; Cultura Política; Assistência Social.

Texto completo:

PDF

Referências


BAQUERO, M. Cultura política participativa e desconsolidação democrática: reflexões sobre o Brasil contemporâneo. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 15, n. 4, 2001.

BRASIL. Orientações técnicas: Centro de Referência de Assistência Social – CRAS. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. 1. ed. Brasília: 2009.

CAMPOS, Edval B. As sociedades amazônicas e o SUAS. In: CRUS, José Ferreira da et al. (Org.). Coletânea de artigos comemorativos dos 20 anos da Lei Orgânica de Assistência Social. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. 1. ed. Brasília: MDS, 2013;

CARVALHO, José M. Mandonismo, coronelismo, clientelismo: uma discussão conceitual. Pontos e Bordados: escritos de história e política. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1999.

COUTO, B. et aI. O Sistema Único de Assistência Social: uma realidade em movimento. São Paulo: Cortez, 2010.

CRUS, José; TEIXEIRA. Joaquina B. A Política Nacional de Educação Permanente do SUAS: removendo pedras no meio do caminho. In: CRUS, José Ferreira da et al. (Org.). Gestão do trabalho e educação permanente do SUAS em pauta. 1.ed. Brasília: MDS, 2014.

DAGNINO, Ricardo de S; SAIFI, Samira. Grandes projetos de desenvolvimento e implicações sobre as populações locais: o caso da usina de Belo Monte e a população de Altamira, Pará. IPEA. Code 2011. Anais do I Circuito de debates acadêmicos: Disponível em: http://www.ipea.gov.br/code2011/chamada2011/pdf/area7/area7-artigo19.pdf. Acesso em: 08 nov. 2017.

D'AVILA FILHO, Paulo M. et al. Acesso ao poder: clientelismo e democracia participativa, desconstruindo uma dicotomia. Civitas - Revista de Ciências Sociais, Porto Alegre, v. 4. n. 2, p. 211-233, jul./dez. 2004.

DULCI, Otávio Soares. As elites mineiras e a conciliação: a mineiridade como ideologia. Ciências Sociais Hoje, São Paulo: Cortez, 1984.

Fernandes, F. A revolução burguesa no Brasil. São Paulo: Globo, 2006.

FARIAS FILHO, Milton Cordeiro. Elites políticas regionais: contornos teórico-metodológicos para identificação de grupos políticos. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 26, n. 77, out. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v26n77/14.pdf Acesso em: 27 out. 2017.

GOHN, Maria da G. Educação não-formal e cultura política: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. São Paulo: Cortez, 1999;

GRAMSCI, Antônio. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

KOGA, Dirce. O território e suas múltiplas dimensões na política de assistência social. Cadernos de Estudos Desenvolvimento Social em Debate, n.2. Brasília: MDS, 2005.

______. Aproximações sobre o conceito de território e sua relação com a universalidade das políticas sociais. Serv. Soc. Rev., Londrina, v. 16, n.1, p. 30-42, jul./dez. 2013.

PINHEIRO, Marcia Maria Biondi. Práticas democráticas e participativas no SUAS: estratégias para ressignificar o direito socioassistencial. In: CRUS, José Ferreira da et al. (Org.). Coletânea de artigos comemorativos dos 20 anos da Lei Orgânica de Assistência Social. 1.ed. Brasília: MDS, 2013.

SANTOS, Izabel. Diferença entre Amazônia Legal e Internacional. Disponível em: http://portalamazonia.com/noticias-detalhe/ meio-ambiente/entenda-a-diferenca-entre-amazonia-legal-internacional-e-regiao-norte/?chash. Acesso em: 22 out. 2017.

SANI, Giacomo. Cultura política. In. BOBBIO, Noberto et al. Dicionário de política. 1.ed. Brasília: Ed. da UnB, v. 1, pp. 306-308, 1998.

TEIXEIRA, Joaquina B. A Amazônia e a interface com o SUAS. In: CRUS, José Ferreira da et al. (Org.). Coletânea de artigos comemorativos dos 20 anos da Lei Orgânica de Assistência Social. 1.ed. Brasília: MDS, 2013.

TORRES, Iraildes Caldas. As primeiras-damas e a assistência social: relações de gênero e poder. São Paulo: Cortez, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2018.2.29508


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS